Cidadeverde.com

30% dos brasileiros controlam os gastos "de cabeça"; 45% nem isso fazem

Foto: iStock

Não ter controle do quanto gasta; não perceber o quanto paga de juros; não se planejar para imprevistos e não entender de rendimentos mensais - essa é a realidade de mais de 45% dos brasileiros, segundo pesquisa do SPC e da CNDL. 

Outros quase 30% revelam que têm controle, sim, mas "de cabeça". Ou seja, recorrem a um método pouco confiável para organizar suas finanças. É o retrato da falta de educação financeira do país.

Apenas 53,9% dos entrevistados têm algum mecanismo organizado para gerenciar os recursos. E os principais são: 
- caderno de anotações: 29,8%
- planilha: 21%
- aplicativos digitais: 3,1%

Menos da metade (48,1%) dos entrevistados ouvidos consideram-se pessoas organizadas financeiramente. Considerando uma escala de um a dez, a nota média que o brasileiro atribui para o seu próprio nível de educação financeira é de apenas 6,3.

O interessante é que os entrevistados demonstram ter conhecimentos mínimos sobre quais atitudes tomar para fazer o controle de suas finanças, mas acabam falhando na hora de colocar as ideias em prática. Disciplina para registrar os ganhos e gastos (26,3%), recordar das compras em dinheiro e que não constam no extrato bancário (19,4%) e falta de tempo (8,2%) são as principais dificuldades das quais o brasileiro mais se queixa na pesquisa. Não saber como fazer ou por onde começar são justificativas citadas apenas por 8,9% dos entrevistados.