Cidadeverde.com

Semana Santa: veja quanto custa o quilo dos peixes mais procurados

  • mercado-peixe-14.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-13.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-12.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-11.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-10.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-9.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-8.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-7.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe7.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-6.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-5.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-4.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-3-roberta.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-2-roberta.jpg Roberta Aline
  • mercado-peixe-1-roberta.jpg Roberta Aline

 

A Semana Santa já começou, mas o movimento no Mercado do Peixe ainda está pequeno, de acordo com os permissionários do local. Eles esperam uma maior procura a partir de quarta-feira (17), mas o movimento deve crescer com mais intensidade na quinta-feira (18), véspera da Sexta-Feira da Paixão, quando os católicos evitam comer carne vermelha.

Os peixes mais procurados continuam os mesmos de todos os anos: Tambaqui e Tilápia, que têm preços mais populares. Mas a demanda por peixes mais caros também tem aumentado. 

Alguns preços, mesmo já tendo aumentado pela demanda, permanecem semelhantes a igual período do ano passado, como o Tambaqui, cujo quilo está, em média, R$ 10, e a Tilápia R$ 13.

Os permissionários afirmam que já estão comprando mais caro dos fornecedores, por isso não tem como segurar os preços. "Sempre há o mesmo aumento. Até o mês passado eu comprava a Tilápia de R$ 7 a R$ 8 o quilo, agora está R$ 10", afirma Antônio Torres.

 

Veja abaixo a média de preços do Mercado do Peixe nesta segunda-feira (15)
(por quilo)
- Tilápia: R$ 13
- Tambaqui: R$ 10
- Piratinga: R$ 20
- Pescada: R$ 32
- Salmão: R$ 50
- Branquinho: R$ 12
- Matrinxã: R$ 12
- Robalo: R$ 30
- Camarão: entre R$ 40 (pequeno) e R$ 65 (grande)

 

Antônio também ressalta que, neste ano, a preferência se inverteu. "Ano passado, as pessoas queriam mais o Tambaqui, agora pedem mais a Tilápia. Acho que é porque tem menos espinhas, então é mais fácil de tratar", destaca.

Segundo ele, os preços devem aumentar mais daqui a dois dias. 

Já na barraca em frente, a conversa é outra. "Não tem previsão de alta dos preços mais, não. A variação de preços que temos dos fornecedores está pequena", garante Eraldo de Aquino. 

Bastante otimista, ele reconhece que o movimento está um pouco menor que o do ano passado, mas deve melhorar em breve. Eraldo acrescenta que a procura maior tem sido por postas e afirma que alguns preços estão bem melhores que no ano passado.

"O Branquinho era R$ 16 ano passado, agora está R$ 12. O Matrinxã não tinha muito, agora tem", pondera.