Cidadeverde.com

PPP do estacionamento é suspensa a pedido da PGM

Fotos: Google Maps

A licitação para a Parceria Público-Privada (PPP) que administrará as vagas de estacionamento no Centro de Teresina está suspensa por tempo indeterminado. A abertura dos envelopes estava marcada para a última terça-feira (23), mas não ocorreu.

A secretária municipal de Parcerias e Concessões, Monique Meneses, informou à Coluna Economia & Negócios, do Cidadeverde.com, que o pedido de suspensão foi feito pela Procuradoria do Município.

"A Procuradoria pediu um prazo para analisar documentos. É a parte legal, mas não há suspeitas de irregularidade por parte do projeto. Esse projeto já havia, inclusive, passado pela Procuradoria e estava tudo certo, mas aconteceram outros fatos depois disso. Acredito que essa nova análise será para verificar a área incluída. Houve um pedido do governo sobre uma área já reservada e de outros associados na área do Verdão", explica Monique.

A secretária argumenta que, por ser a primeira PPP do município, é natural que haja uma maior preocupação por parte da Procuradoria. Monique diz ainda que não há um prazo certo para a retomada da licitação. "Os procuradores têm o tempo deles. Não temos como saber", afirmou.

O procurador do município Ari Ferreira confirmou as informações. Ele disse que a recomendação pela suspensão foi um "excesso de zelo" e que não há prazo para que o processo de licitação seja retomado. "Tomamos conhecimento de alguns fatos relevantes e vamos analisar com calma, verificar se todos os imóveis que estão no projeto são do município ou não. Com isso estamos querendo evitar a judicialização e questionamentos que poderiam prejudicar a PPP. Queremos confirmar, reinterar, o que já foi dito e dar mais essa chancela de credibilidade. Não estamos trabalhando com prazos", declarou. 

 

Como será a PPP

De acordo com o projeto da PPP, as vagas de estacionamento do Centro deixarão de ser gratuitas e passarão a custar entre R$ 2 e R$ 2,50 para carros e entre R$ 0,50 e R$ 0,75 para motos, pelo período máximo de duas horas.

O projeto inclui a contratação prioritária de flanelinhas que já trabalham no Centro e a cobrança aos motoristas poderá ser feita por vários meios, inclusive por aplicativos.