Cidadeverde.com

Quase 2 mil novas empresas são abertas no Piauí em 2019

Foto: Junta Comercial do Piauí/Divulgação

A crise econômica tem aberto a mente do piauiense para o empreendedorismo. Essa é a conclusão da presidente da Junta Comercial do Piauí, Alzenir Porto. Somente de janeiro a abril deste ano, foram abertas 1.992 novas empresas no Estado, sem contar com os Microempreendedores Individuais (MEI). 

Em comparação com o mesmo período do ano passado, houve um crescimento de 19% na quantidade de empresas abertas, desconsiderando os MEIs, que são registradas pela Receita Federal.

"O empreendedorismo é a resposta à crise. As pessoas desempregadas procuram alternativas para sustentar a família e encontram essa alternativa de empreender. Ninguém empreende quando tem a segurança do emprego fixo, mas quando perde esse emprego, passa a tentar outras coisas, explorar algum talento que tenha", avalia Alzenir Porto.

Ainda nesse período de janeiro a abril de 2019, foram extintas 881 empresas, mas segundo a presidente da Junta Comercial, boa parte delas já estavam inativas há anos. 

"Antes, para conseguir fechar uma empresa tinha que ter tudo quitado. Hoje, você pode fechar, mudando o CNPJ pelo CPF, para evitar as obrigações acessórias. Quando as pessoas percebem isso, fecham as empresas que estavam há anos inativas, mas que têm algum débito", explica a gestora.

Atualmente o Piauí tem o total de 200.178 empresas ativas. O maior número de negócios é do tipo microempreendedor. São 93.756 MEs ativas no Estado. Em segundo lugar, estão os negócios do tipo MEI, que somam 70.055. O Piauí tem ainda 4.951 empresas de pequeno porte e 31.416 de outros tipos.

Foto: Pixabay / reprodução gratuita

Agilidade

Alzenir também atribui o avanço do empreendedorismo no Piauí às medidas tomadas para agilizar a abertura de empresas, sem burocracia.

"Agora todo o processo é feito virtualmente. Em algumas horas, no máximo duas, você consegue abrir um ME, se tiver tudo certo com a documentação. Até agosto, deixaremos de usar canetas. Hoje, levar os processos para o virtual é uma necessidade. Não podemos mais retroagir", diz a presidente.

Jordana Cury
jordanacury@cidadeverde.com