Cidadeverde.com

Salário alto não é garantia de sucesso profissional para os jovens da Geração Z

Foto: Pixabay / reprodução gratuita

Para 42% dos jovens entre 18 e 24 anos, trabalhar com o que gosta é o aspecto mais importante da vida adulta. Depois disso vem equilibrar trabalho e vida profissional (39%) e ser reconhecido no que faz (32%). A questão salarial vem apenas em quarto lugar (31%). Esse é o perfil de realização da chamada "Geração Z", que não vê o sucesso profissional medido apenas pelo salário.

Quando o assunto é trabalho, eles planejam investir na profissão certa, dedicando-se a aprender e aprimorar conhecimentos, encontrar prazer e realização sem perder a qualidade de vida, ao mesmo tempo em que buscam uma vida estável, segura e saudável. 

Atualmente, o país tem cerca de 24 milhões de jovens nessa faixa etária, o equivalente a 15% do público de maior idade. Ao refletirem sobre os valores e habilidades necessários a um bom profissional, esses jovens acreditam que os diferenciais para o sucesso são:

- dedicação (43%)
- capacidade de diálogo e trabalho em equipe (40%)
- foco no trabalho (36%)
- ser paciente (35%) 
- fazer sempre o melhor (31%) 

O estudo revela, ainda, que para os jovens da Geração Z a felicidade na vida adulta consiste em uma combinação de segurança, estabilidade emocional e realização profissional. E para isso, os três principais pontos são:

- adquirir a casa própria (20%)
- ter sucesso no trabalho (18%) 
- trabalhar com o que gosta (18%) 

Para eles, entretanto, encontrar um amor (9%), ter filhos (8%), falar vários idiomas (8%) e sair da casa dos pais (8%), são aspectos menos relevantes para a felicidade.

As informações foram levantadas em uma pesquisa conduzida pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).