Cidadeverde.com

BC corta a Selic em 0,5% e surpreende o mercado financeiro

Para a surpresa do mercado financeiro, o Banco Central decidiu reduzir a taxa básica de juros da economia brasileira. A  Selic sofreu corte de 0,5%, passando de 6,5% para 6% ao ano.

Muitos analistas esperavam a manutenção da taxa em 6,5% ou, no máximo, um corte de 0,25%.

Antes do corte, a Selic já estava no menor patamar da série. 

Em comunicado, o Copom reiterou a necessidade de avanços nas reformas estruturais da economia brasileira para que os juros permaneçam em níveis baixos por longo tempo. 

O BC também sinalizou que poderá haver novas reduções da Selic nos próximos meses. A próxima reunião do Copom está marcada para 18 e 19 de setembro.

O mercado financeiro estima que a Selic feche o ano em 5,5%, segundo o último Boletim Focus.

O que é a Selic

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) Depois de vários meses de alta no início do ano, o índice desacelerou nos últimos meses. Em junho, o IPCA ficou em apenas 0,01%, o menor percentual para um mês desde novembro de 2018. A previsão é terminar o ano em menos de 4%.

A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica - a previsão é que o PIB deste ano cresça somente 0,82%.

A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia.

Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. 

Ao reduzir os juros básicos, como aconteceu agora, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação. Por isso, para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir.