Cidadeverde.com

Dono da Timon City nega falência da empresa: "é tudo fake news"

Foto: Reprodução / Whatsapp 

Circula nas redes sociais uma imagem de uma folha de papel, timbrado com a logomarca da Câmara de Vereadores Timon, colocando em pauta, na sessão do dia 15 de janeiro, o encerramento das atividades da empresa Timon City, que faz linha entre Timon e Teresina. 

Mas o proprietário da empresa, Ramon Alves Sousa, garantiu à Coluna Economia & Negócios do Cidadeverde.com que a informação de que a empresa vai fechar é falsa.

"Nossa concessão não tem nada a ver com a Câmara. É uma concessão dada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT. Isso tudo é falso. Não existe falência, não existe encerramento das atividades, não houve nenhuma audiência. Estamos é trabalhando muito", enfatizou o empresário.

Ramon disse que entrou em contato com a Câmara e lá também não sabiam informar de onde veio essa informação falsa.

"Quero saber de onde isso partiu. Eu estava na fábrica, trabalhando para renovar a frota de veículos e me ligaram falando que tem essa mensagem circulando, mas isso é mentira", reforçou.

A Timon City tem 14 ônibus que fazem linha entre Teresina e Timon e emprega 50 funcionários. 

Enquanto em Teresina a passagem é R$ 3,85 a inteira e R$ 1,28 para estudantes, a empresa Timon City opera cobrando R$ 3 a inteira e R$ 1,50 a meia. Ramon garante que esse valor é suficiente.

"Estamos indo bem. Todos são pagos em dia e temos lucro. Queremos, em breve, baixar ainda mais esse valor e vamos fazer um sistema para que um pai de família pague só R$ 90 por mês para ter direito a andar quantas vezes quiser de ônibus. Para isso, basta que a gente consiga implantar a bilhetagem eletrônica. Essa é nossa luta", completou Ramon.

Polo Têxtil de Piripiri será inaugurado nessa terça-feira (21)

Foto: Divulgação / Governo do Estado

Será inaugurada, nessa terça-feira (21), a reforma e ampliação do Polo Têxtil de Piripiri, município localizado na região norte do Estado. Executada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), do Governo do Estado, a obra, que tem um espaço de 1.300m², contou com um orçamento de aproximadamente R$ 1,5 milhão.

O local tem capacidade para 30 boxes que serão distribuídos da seguinte maneira: 26 unidades divididas entre os comerciantes daquela região e 4 unidades cedidas à cidade de Pedro II. Há também espaço para restaurante, banheiros e estacionamento. Todas as áreas terão wifi. 

Com o objetivo, alavancar a economia de Piripiri, cidade que se destaca no Piauí como sendo o segundo maior Polo Têxtil do estado, o projeto promete gerar empregos diretos e indiretos por meio da comercialização de mercadorias em geral, impulsionando o forte potencial criativo da região e proporcionando melhorias na qualidade de vida das pessoas. 

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Igor Néri, a intenção é dar ao município visibilidade e reconhecimento. “Piripiri já se destaca no nosso estado por ser o segundo maior polo têxtil. Nosso intuito com a reforma e ampliação é levar para os comerciantes, e para a população em geral, condições de vida que favoreçam a todos. Além disso, pretendemos ainda, incentivar o comércio na região, gerando emprego e renda que alavanquem a economia do Piauí e com isso, tornar o munícipio referência na produção têxtil do Nordeste”, destacou Igor. 

A inauguração está prevista para às 15h30 dessa terça-feira (21) e contará com a presença do Governador do Estado, Wellington Dias (PT), do secretário de Desenvolvimento Econômico, Igor Néri, de representantes do Governo, lideranças locais, comerciantes e população em geral.

Em seis anos, nº de brasileiros que compram pela internet dobrou

Foto: Izabela Pimentel / Cidadeverde.com

Entre 2013 e 2019, o número de brasileiros que fizeram compras pela internet quase dobrou, passando de 23% para 42%.

A informação é da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Segundo o órgão, o percentual sobe à medida em que aumentam a renda familiar e a frequência em que se costuma acessar a rede mundial. 

Além disso, a parcela de brasileiros que afirma nunca comprar produtos piratas subiu de 28% para 45%.

O estudo mostra que as principais vantagens percebidas nas compras pela internet são produtos mais baratos e acessíveis, além da praticidade e da comodidade. Conheça abaixo as principais conclusões da pesquisa:

Renda maior = compras mais frequentes

74% dos brasileiros com renda familiar superior a cinco salários mínimos já fizeram compras pela rede mundial. Essa parcela cai para 59% entre pessoas com renda entre dois e cinco salários mínimos e para 37% na faixa entre um e dois salários mínimos. Entre brasileiros com renda familiar de até um salário mínimo, apenas dois em cada 10 consumidores recorreram ao comércio eletrônico.

Produtos e serviços

O brasileiro adquire mais produtos do que serviços pela internet. Entre os que realizam compras online pelo menos uma vez, 98% mencionam ter comprado produtos e 75%, serviços. 

De acordo com o levantamento, os produtos mais comprados pela internet são eletrônicos (TV, celular, videogames etc), citados por 43% dos entrevistados. Essa categoria é seguida por calçados, bolsas e assessórios (31%); vestuário (23%); eletrodomésticos (18%) e livros (16%). 

Já os serviços mais consumidos são refeições (16%); música, jogos e filmes em serviços de streaming (16%); ingressos para shows e cinema (15%); transporte urbano (15%) e passagens aéreas (12%).

Bolsa Família 2020 começa a ser pago hoje; veja o calendário completo

Foto: Rafael Zart / Ministério da Cidadania

O pagamento do primeiro Bolsa Família de 2020 começa nesta segunda-feira (20). O Ministério da Cidadania vai repassar R$ 2,52 bilhões para mais 13,2 milhões de famílias em todo o país. O valor médio do benefício é de R$ 191.

No Piauí, 437.299 famílias recebem o Bolsa Família, nos 224 municípios do estado. Os pagamentos somam R$ 93,07 milhões. O benefício médio no estado é R$ 212,85.

O Bolsa Família é voltado a famílias extremamente pobres, com renda per capita mensal de até R$ 85; e pobres, com renda per capita mensal entre R$ 85 e R$ 170. 

Os beneficiários recebem o dinheiro mensalmente e, em contrapartida, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação, como a vacinação de crianças e a garantia da frequência escolar. Veja abaixo o calendário de pagamento do programa.

O ministro da Cidadania, Osmar Terra afirma que o governo continuará fazendo um pente-fino no programa para remover quem não preenche os pré-requisitos e evitar fraudes. "Assim, podemos garantir que famílias realmente necessitadas tenham acesso ao benefício”, esclarece. 

Ainda segundo o ministro, o governo estuda melhorias no Programa. “Estamos discutindo a possibilidade de mudar para melhor. Não queremos tirar o benefício de quem precisa, mas vamos estimular a geração de emprego e renda, além de garantir educação de qualidade para as crianças”.

 

Mercado financeiro sobe estimativa de alta do PIB para este ano

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com

 

O mercado financeiro reduziu levemente a estimativa para inflação deste ano e subiu a expectativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB). Veja mais detalhes do Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (20).


INFLAÇÃO (IPCA)
- 2020: previsão caiu de 3,58% para 3,56%.
- 2021: previsão continua em 3,75%
- 2022: previsão estável em 3,50%
- 2023: previsão de 3,50%

(Em 2020, a meta central é 4%, mas também fica oficialmente cumprida entre 2,5% e 5,5%).

PIB  

- 2020: estimativa subiu de 2,30% para 2,31%.
- 2021: estimativa estável em 2,50%
- 2022: estimativa estável em 2,50%
- 2023: estimativa em 2,50%

DÓLAR

- 2020: estimativa subiu de R$ 4,04 para R$ 4,05.
- 2021: estimativa estável em R$ 4,00.
- 2022: estimativa subiu de R$ 4,02 para R$ 4,05.
- 2023: estimativa em 4,10

JUROS
- 2020: previsão estável em 4,50% ao ano.
- 2021: previsão caiu de 6,50% ao ano para 6,25%.
- 2022: previsão estável em 6,50% ao ano.
- 2023: previsão em 6,50% ao ano

BALANÇA COMERCIAL
- 2020: estimativa de superávit subiu de US$ 37,31 bilhões para US$ 37,40 bilhões.
- 2021: estimativa de superávit estável em US$ 35,00 bilhões.
- 2022: estimativa de superávit subiu de US$ 32,70 bilhões para US$ 33,80 bilhões.
- 2023: estimativa de superávit estável em US$ 31,10 bilhões.

INVESTIMENTOS 
- 2020: estimativa estável em US$ 80,00 bilhões.
- 2021: estimativa caiu de US$ 84,75 bilhões para US$ 84,50 bilhões.
- 2022: estimativa caiu de US$ 85,00 bilhões para US$ 83,15 bilhões .
- 2023: estimativa estável em US$ 87,00 bilhões

O Boletim Focus é realizado semanalmente, ouvindo especialistas de mais de 100 instituições financeiras. O resultado é divulgado todas as segundas-feiras pelo Banco Central.

Teresina: professores da rede municipal devem ter reajuste de 12,84%

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com


A Prefeitura de Teresina deve conceder, integralmente, o reajuste de 12,84% no piso dos professores da rede pública, anunciado ontem (16), pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A Coluna Economia & Negócios do Cidadeverde.com apurou que o prefeito Firmino Filho (PSDB), já se reuniu com o secretário de Finanças, Francisco Canindé, e pediu um estudo sobre o impacto do reajuste nas contas municipais - mas a tendência é autorizar o pagamento.

Teresina já paga acima do mínimo necessário. Enquanto o piso estava em R$ 2.557,74, na capital do Piauí, o mínimo pago aos professores era R$ 3.700. Com o reajuste de 12,84%, o salário iria para mais de R$ 4.100.

Presidente da APPM: alta de 12,85% no piso dos professores 'vai ser muito difícil'

Foto: Arquivo / Cidadeverde.com

O piso salarial dos professores da educação básica terá aumento de 12,84% em todo o país. A informação foi confirmada na noite de quinta-feira (16) pelo próprio presidente, Jair Bolsonaro (sem partido) e pelo ministro da Educação Abraham Weintraub.

Com a revisão, o valor do salário base para os professores da rede pública da Educação Básica passou de R$ 2.557,74 para R$ 2.888,24. Este é, de acordo com o MEC, o maior aumento desde 2009, sem levar em consideração a inflação.

O reajuste pegou os prefeitos do interior do Piauí de surpresa. Segundo o presidente da Associação Piauiense de Municípios (APPM), Jonas Moura, será muito difícil conseguir cumprir o piso porque o aumento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) é de apenas 5,1% para o Nordeste.

"Os municípios terão que fazer uma complementação de quase 8% para chegar a esse reajuste. Vai ser muito difícil conseguir cumprir esse piso. Hoje, a grande maioria dos municípios já paga os professores com dificuldade. Ano passado o reajuste foi bem menor. Esse ano surpreendeu", declara Jonas Moura.

O presidente da APPM diz que até terça ou quarta-feira da próxima semana (dias 21 e 22) será apresentada uma proposta ao Ministério da Educação. "Queremos uma contrapartida para conseguir pagar esse reajuste", enfatiza.

Cálculo

O cálculo automático é atrelado à variação do Fundeb.  Na conta, é considerada a variação no investimento mínimo por aluno nos estados com menor arrecadação no exercício anterior. No ano passado, os alunos desses estados receberiam R$ 3.238,52 por ano. Com a melhora na arrecadação dos estados, no fim do ano, esse valor subiu para R$ 3.440,29 - alta de 12,84%.

Setor de Serviços do Piauí registra o 2º maior crescimento do país

Foto: Jordana Cury / Economia&Negócios / Cidadeverde.com

Em novembro de 2019, o setor de serviços no Piauí teve crescimento de 1,6% frente ao mês anterior. Com isso, registrou o segundo maior crescimento do país, atrás apenas de Roraima, que teve alta de 5,2%. 

Apenas 10 estados registraram alta no setor de serviços em novembro, segundo os dados divulgados nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em comparação com o mês de novembro do ano passado, entretanto, o volume de serviços apresentou retração de 2,5%. Apesar da queda, o número foi bem melhor que a comparação dos meses anteriores com o ano passado: outubro: -7% e setembro: - 6,1%.

Por causa dos meses de queda significativa, os acumulados do ano e dos últimos 12 meses estão negativos (-5,6% e -5,7%, respectivamente).

Receita 

A receita nominal do setor de Serviços do Piauí também teve crescimento (1,8%) em novembro, quando comparado a outubro, e também só ficou atrás de Roraima (3,4%). Comparado ao mesmo mês do ano passado, entretanto, o número é negativo (-1,9%).

No acumulado do ano (-5,1%) e dos últimos 12 meses (-4,9%) permanecem negativos.

Números nacionais

Em novembro de 2019, o setor de serviços no Brasil mostrou ligeira variação negativa (-0,1%) frente ao mês anterior, após crescimento acumulado de 2,2% entre setembro e outubro. Na série sem ajuste sazonal, contudo, o total do volume de serviços avançou 1,8% em novembro de 2019 frente a igual mês do ano anterior, alcançando a terceira taxa positiva consecutiva.

Só 1 em cada 10 brasileiros têm renda para pagar despesas do início do ano

Foto: Yasmim Cunha / Cidadeverde.com

Passada a euforia das compras de Natal e das comemorações de Réveillon, chega o momento de organizar o pagamento das tradicionais contas de início de ano.

Levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que apenas 11% dos consumidores brasileiros têm condições de pagar as despesas sazonais deste período, como IPTU, IPVA e material escolar, com os próprios rendimentos, sem que seja necessário fazer uma economia ou reserva financeira ao longo do ano.

A pesquisa ainda mostra que 22% dos entrevistados não fizeram qualquer planejamento para pagar esses compromissos em 2020.

Como se organizaram

- 26% tiveram de economizar nas festas e com as compras de Natal para conseguir pagar as despesas de início de ano

- 21% guardaram ao menos parte do 13º salário para honrar os compromissos

- 17% disseram ter montado uma reserva ao longo de 2019 para cobrir os gastos no futuro

- 14% passaram a fazer algum bico para acumular uma renda extra.

Quem já se organizou para este momento está em situação mais confortável do que aqueles que terão de parcelar as despesas.

De acordo com um levantamento do SPC Brasil, na média, o brasileiro que parcelou suas compras natalinas vai terminar de pagar essas prestações somente no mês de abril, o que sinaliza um orçamento comprometido para além do primeiro trimestre do ano.

Economia Fácil: os prós e os contras de abrir uma franquia

 

Por venderem negócios com modelos já estabelecidos, as franquias são consideradas uma opção menos arriscada para os empreendedores, mas essa facilidade tem um preço e, por isso, costumam ser mais caras que as empresas criadas do zero.

Isso acontece porque, para abrir uma franquia, você precisa pagar a taxa de franquia, que costuma ter um valor razoável, e seguir as regras de instalação impostas pelo contrato. Isso inclui, por exemplo, móveis, máquinas e materiais específicos, que muitas vezes são enviados pela própria marca e, portanto, você não tem a opção de pesquisar preços mais baixos.

O local de instalação do negócio é determinado ou tem que ser aprovado pela direção da franquia. Além disso, há também valores mensais a serem pagos, como os royalties, que é o que você paga por usar a marca, e a taxa de publicidade e propaganda. Esses valores, geralmente, são cobrados em percentuais sobre o faturamento, mas têm um valor mínimo, que no começo pode pesar bastante. 

Em outras palavras, você vai ser dono do seu próprio negócio, mas vai ter que obedecer regras de terceiros.

Para muitos especialistas, esse é um bom começo para quem está entrando no mundo dos empreendedores porque as franquias costumam fazer treinamentos de venda e de administração do negócio e você acaba tendo uma assistência maior em vários aspectos.

Mas, antes de fechar negócio com a franquia, avalie bem dois pontos:
1 – Veja se a franquia é filiada à Associação Brasileira de Franchising, porque pra fazer parte da ABF é preciso ter critérios de qualidade indispensáveis, que tornam sua escolha mais segura. 
2 – Peça a Circular de Oferta da Franquia, que é o COF. Esse documento traz detalhes do que a franquia vai exigir de você, qual o faturamento médio do negócio, o tíquete médio dos clientes, o valor mínimo para começar a operação, o balanço financeiro da empresa, a lista de franqueados ativos e também os que se desligaram da franquia nos últimos 12 meses.

Você deve tirar várias dúvidas com a direção da franquia, mas converse também com outros franqueados e com esses que se desligaram. Escolha aleatoriamente, não aceite a sugestão da franquia.

São essas pessoas que vão te falar os macetes do negócio, os pontos fortes e fracos, vão apontar os defeitos e, se você tiver sorte, talvez eles lhe mostrem como fugir de alguns problemas iniciais.

Pra fechar sua decisão, pese bem os prós e os contras. Veja se você realmente está disposto a seguir as regras e se a franquia não está prometendo resultados impossíveis. Para ter certeza, converse com um contador. 

Outra coisa, veja se você tem afinidade com a marca e com o tipo de negócio. Para abrir um bar, por exemplo, você terá que trabalhar nos finais de semana e às noites e isso desanima muita gente. 

O quadro Economia Fácil é exibido todas as quinta-feiras, no Notícia da Manhã. Veja abaixo os quadros das últimas semanas:

Economia fácil: veja como investir ajuda a controlar a inflação

Economia Fácil dá dicas de como economizar na compra de material escolar

Economia Fácil traz dicas para não se endividar na compra dos presentes

Economia Fácil explica por que não se deve deixar a dívida prescrever

Economia Fácil: como a mudança na Selic impacta no seu bolso

Economia Fácil traz dicas sobre como financiar o próprio negócio

Economia Fácil: os 5 erros mais comuns na hora de começar um negócio

Posts anteriores