Cidadeverde.com

Receita paga hoje a restituição do 6º lote do Imposto de Renda

Foto: Valmir Macêdo / Cidadeverde.com

A Receita Federal paga nesta segunda-feira (18) as restituições do sexto lote do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2019. O lote contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018.

O crédito bancário atende a 1.365.366 contribuintes, totalizando o valor de R$ 2,1 bilhões. Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, no serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

O Fisco disponibiliza, ainda, um aplicativo para tablets e smartphones, que facilita consulta às declarações do IRPF e a situação cadastral no CPF. Com esse aplicativo será possível consultar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre liberação das restituições do IRPF e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF. Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Bancos ainda não reduziram os juros do cheque especial

Foto: Pixabay / reprodução gratuita

Na semana passada, a Caixa Econômica Federal anunciou um expressivo corte na taxa de juros do cheque especial, que sairá da média de 8,99% para 4,99% ao mês a partir do próximo dia 1 de dezembro. O impacto econômico da medida é inegável, já que a tendência é que outros bancos façam o mesmo. Até agora, entretanto, nenhuma das instituições financeiras seguiu por esse caminho.

E apesar de ser uma boa notícia para os consumidores, os juros do cheque especial, até mesmo na Caixa, são muito altos. Perceba que esse valor de 4,99% é por mês e não por ano. Os levantamentos mensais do banco central apontam que o cheque especial é a segunda modalidade de crédito mais cara do país, com uma média superior a 307% de juros ao ano, atrás apenas do rotativo do cartão de crédito.

Esse número tão alto se deve à facilidade do crédito. Geralmente, quem tem conta corrente tem um limite de cheque especial automático. Para usar esse valor, não é preciso nem mesmo solicitar ao banco, basta retirar da conta mais do que foi colocado. Por exemplo, se seu salário é de R$ 3 mil e você, ao pagar as contas, precisou de R$ 4 mil, essa diferença de R$ 1 mil saiu do cheque especial. No mês seguinte, quando seu salário cair, será descontado os R$ 1 mil e os juros.

No caso da Caixa, após a redução, seria retirado R$ 1050 do salário de R$ 3 mil. O maior problema aqui é que você já está acostumado com o padrão de vida dos R$ 3 mil, portanto, provavelmente, vai precisar entrar de novo no cheque especial para conseguir pagar as contas.

Quando isso acontece, pela norma do Banco Central, seu banco tem o dever de entrar em contato e oferecer uma linha de crédito mais barata, ou seja, com juros mais baixos, e o parcelamento da dívida, o que compromete o orçamento por vários meses.

A aceitação da proposta não é obrigatória e é por isso que muitos brasileiros, na esperança de conseguir pagar logo a dívida, acabam não aceitando e, como vão continuar precisando entrar no cheque especial, o risco de ter o salário completamente engolido pelo banco em poucos meses é muito alto.

Especialistas orientam que ao precisar de crédito extra para pagar as contas, os consumidores busquem outras formas, como empréstimo com familiares, consignados ou até mesmo um crédito pessoal.

Para evitar terminantemente o risco de cair na armadilha do cheque especial, você pode, e deve, solicitar ao seu banco que bloqueie essa função.

Após exames descartarem a doença do Mormo, Expoapi já tem data para ser lançada

Foto: Arquivo / Cidadeverde.com


Após uma série de polêmicas sobre a doença do Mormo, que levaram até ao fechamento do Parque de Exposição Dirceu Arcoverde, a 69ª edição da Expoapi será lançada no dia 25 de novembro. 

O evento está marcado para as 7h e a feira deverá acontecer entre os dias 30 de novembro e 8 de dezembro, no Parque de Exposição, localizado na BR-343.

Em meados de setembro, a Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi) determinou o fechamento do Parque porque um animal que havia sido sacrificado em junho tinha passado por lá. 

Todos os animais que estavam no local tiveram que passar por exames para evitar o contágio de outros animais e de pessoas.

Mormo ou lamparão é uma doença infecto-contagiosa que acomete os equídeos (cavalos, burros e mulas), e pode ser transmitida eventualmente a outros animais e ao homem. É causada pela bactéria Burkholderia mallei, e pode ser transmitida pelo contato com animais infectados.

A bactéria entra no organismo através da pele e das mucosas dos olhos e nariz. No homem, os sintomas são febre, dores musculares e no peito, rigidez muscular e cefaleia. Podem ainda ocorrer lacrimejamento excessivo, sensibilidade à luz e diarreia.

Apesar do susto, amparado pelos resultados dos exames feitos em mais de 50 animais, o Parque de Exposição foi liberado em outubro. 

Segundo a Associação Piauiense dos Criadores de Zebú (APCZ), 10 estados já confirmaram participação na feira. Pelas estimativas da entidade, a Expoapi 2019 deve superar a edição do ano passado, quando reuniu 580 expositores e 5.300 animais.

“De 10 anos pra cá, saltamos de R$ 3 milhões para R$ 20 milhões em dinheiro movimentado na feira. Este ano, com a expectativa de bom inverno e safras maiores, tenhamos um volume de negócios acima de R$ 20 milhões", afirmou o governador Wellington Dias (PT), quando o local foi liberado. 

O evento de lançamento terá a presença do governador e do presidente da APCZ, André Nogueira.

A programação inclui leilões, julgamento de raças leiteiras, cursos, praça de alimentação e shows musicais.

O evento é uma realização do Governo e da APCZ, com apoio do Senar, Sebrae , Fecomércio, Codevasf, Embrapa, Uespi e UFPI. 

Além da exposição agropecuária, a feira contará com praça de alimentação e grandes shows musicais.

 

Divulgado resultado do concurso para promotor no PI; salário de R$ 24,8 mil

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com

 

Foi divulgado na quinta-feira (14) o resultado do concurso para promotor do Ministério Público do Piauí. Os aprovados receberão, inicialmente, R$ 24.818,90.

O certame teve 2 mil inscritos. Os candidatos ainda podem entrar com recurso contra o resultado final. O procedimento deve ser realizado pelo site da Cespe/UNB entre as 9 horas do dia 19 de novembro (terça-feira) até as 18 horas do dia 20 de novembro (quarta-feira). 

As respostas aos recursos interpostos contra o resultado provisório na avaliação de títulos estarão à disposição dos candidatos a partir da data provável de 21 de novembro de 2019.

Clique aqui para ver a lista de aprovados.

Edição Black Week: Outlet Chic acontece de 22 a 24 de novembro

Foto: Divulgação / organização do evento

O Outlet Chic, maior bazar do Nordeste, já teve o lançamento da sua 16ª edição em Teresina.  O evento contou com a presença da influencer Aliana Aires, doutora em Comunicação e Práticas de Consumo pela ESPM- SP. Aires comandou um bate-papo sobre visual merchandising para varejo de moda para os lojistas participantes. 

O Outlet Chic acontece nos dias 22, 23 e 24 de novembro no Teresina Hall, das 10h às 22h. Com produtos com até 80% de desconto, são mais de 100 lojas abrangendo os segmentos de roupas masculinas, femininas, infantis, calçados, artesanato, presentes e decoração.

“A expectativa é que o Outlet Chic reúna mais de 20 mil pessoas por dia durante os três dias de evento. Nesta edição Black Week, além das lojas de vestuário, o Outlet Chic traz mais uma novidade com lojas no segmento de decoração. O evento terá uma vasta programação, com espaço climatizado, tudo para proporcionar conforto e segurança para os clientes que desejam antecipar as compras de Natal”, pontua Roberta Rocha, organizadora do evento. 

A estrutura climatizada conta ainda com praça de alimentação e espaço infantil. Além disso, o ex-BB Eliezer fará presença VIP.  

Foto: Divulgação / organização do evento

Com expansão de 130% na agricultura, PIB do Piauí teve a 2ª maior alta do país

  • pib5.jpg Roberta Aline
  • pib11.jpg Roberta Aline
  • pib10.jpg Roberta Aline
  • pib9.jpg Roberta Aline
  • pib8.jpg Roberta Aline
  • pib7.jpg Roberta Aline
  • pib6.jpg Roberta Aline
  • pib4.jpg Roberta Aline
  • pib3.jpg Roberta Aline
  • pib2.jpg Roberta Aline
  • pib1.jpg Roberta Aline

O Piauí cresceu 7,7% em 2017, de acordo com os dados do Produto Interno Bruto (PIB), divulgado nesta quinta-feira (14), no Palácio de Karnak. Com o resultado, o Piauí teve o segundo maior crescimento do país, atrás apenas do estado do Mato Grosso, cujo crescimento foi de 12,1%, e lidera o crescimento no Nordeste.

O crescimento nacional foi de 1,3%, e o do Nordeste foi de 1,6%. Portanto, o Piauí permanece com expansão superior à registrada no país e na região. Para o gerente de Estudos e Pesquisas Econômicas da Cepro, Fernando Galvão, o resultado mostra uma tendência natural de expansão das atividades produtivas no estado e revela o primeiro ano de recuperação pós crise.

"No ciclo de 2016 estávamos no ápice da crise e esses reflexos derrubaram nosso PIB. Já 2017 é o primeiro ano de início da recuperação econômica do Brasil, que, ainda hoje, está fragilizado. No Piauí, o crescimento foi expressivo (7,7%) e mostra a nossa tendência natural de crescimento econômico, acima da média nacional, e ao mesmo tempo, demonstra que, se nos prepararmos mais ainda, poderemos alçar voos ainda maiores. Já temos mapeado algumas áreas estratégicas de investimento, como turismo, infraestrutura, mineração e energias renováveis, e se potencializarmos essas atividades poderemos dar saltos maiores", declara Galvão.

Em 2017, o estado apresentou um PIB de R$ 45,36 bilhões. O maior destaque foi o setor da Agricultura, que aumentou em torno de 130% por causa da regularização das chuvas.  A indústria de geração de energia eólica também ajudou bastante no resultado.

O secretário do Planejamento, Antônio Neto, foi quem apresentou os dados. Ele citou que o setor de Serviços tem o maior peso na geração de riquezas do estado e teve alta de 2% em 2017 em relação ao ano anterior. Em termos de valor, foram mais significativas as atividades de: administração, educação, saúde pública e comércio. "O Piauí se consagra no radar de uma economia mais dinâmica e competitiva", comemora o secretário.

Agropecuária

A agropecuária é o setor que mais elevou sua participação no PIB do estado. Era 5,1% em 2016 e ficou em 9,4% em 2017, uma alta de 4,3 pontos percentuais.

A produção dos cerrados apresentou expansão nas principais culturas: arroz, feijão, milho e algodão. A cultura da soja continua com o maior destaque, mais que dobrando a produção de um ano para o outro, com alta de 211,9%.

"Em 2017, tivemos uma safra recorde, depois de um período muito difícil, porque em 2016 tivemos uma perda expressiva da safra por questões climáticas, daí o destaque do setor no PIB", explica o chefe da unidade do IBGE no Piauí, Leonardo Passos.

Indústria

Já a indústria teve redução em valor, saiu de 12,7% para 12,1%. A retração foi causada pela queda na indústria da transformação e na construção civil, cujas variações foram de -1% e -9,8%, respectivamente.

"Na indústria tivemos ainda um decréscimo, motivado pela queda na construção civil, que em 2017, decresceu mais de 9%. A gente avalia que isso é o impacto da crise financeira, que culmina na perda de participação deste setor na economia piauiense", esclarece Passos.

Serviços

Segundo os dados, o setor de serviços, que é responsável por 78% da economia do estado, perdeu um pouco de participação devido ao aumento na agropecuária.

"O setor de serviços teve um leve crescimento, no entanto, como a agropecuária teve um avanço mais expressivo, acabou que os serviços perderam participação no PIB, relativamente falando. Mas ainda é muito importante, representa pouco mais de 78% da economia do Piauí", afirma o chefe do IBGE.

De acordo com Passos, nos serviços, o comércio teve leve crescimento, sinalizando o início da retomada econômica, especialmente quanto à venda de automóveis. "Isso contribuiu muito para o resultado do setor de serviços", reafirma.

PIB per capita

O PIB per capita do Piauí subiu R$ 1.199 de um ano para o outro, chegando agora a R$ 14.089. Para o governador Wellington Dias (PT), esse é um importante aspecto para a atração de novos investimentos.

"Aumentar a renda per capita é aumentar o poder de compra. Significa mais gente entrando na classe média, maior consumo, mercado interno aquecido e isso atrai mais investidores", pontua. Ele também ressaltou que a renda e a educação são dois pontos desafiadores que estão interligados.

"Quanto mais avançamos em educação, mais avançamos em outras áreas, inclusive na renda. E agora estamos tendo um crescimento diversificado que vai ficar ainda mais acelerado daqui para frente, nos próximos anos", finaliza.

Apesar da alta, o Piauí está em penúltimo lugar no ranking nesse quesito, à frente apenas do Maranhão (R$ 12.788,75).

 

Economia Fácil dá dicas de como economizar na compra de material escolar

 

Quem deixa a compra do material escolar para janeiro paga mais caro. Entre o final de novembro e o meio do mês de dezembro, os livros e o material escolar sofrem reajuste. Então, para quem gosta de economizar, a dica é antecipar a compra. 

Pode ser que a escola dos seus filhos ainda não tenha liberado a lista, mas se você pedir diretamente na direção, provavelmente você consegue. 

Comprando antes do finalzinho do ano, além de garantir que vai comprar sem reajuste, você vai ter tempo de pesquisar melhor os preços e ainda vai encontrar livrarias e papelarias vazias, bem diferente da realidade de janeiro.

Para não perder tempo, comece comprando os livros, que no geral são os itens mais caros. Pesquise por telefone mesmo, para não precisar gastar combustível indo de loja em loja. 

Muitas livrarias oferecem parcelamento em até 10 ou 12 vezes sem juros, mas se você tem condições, sempre dê preferência pelo pagamento à vista porque o desconto é de cerca de 10%. 

Existem também livrarias que oferecem o encapamento dos livros. Verifique essa disponibilidade, porque vai lhe poupar tempo e dinheiro. 

Quando os filhos já são adolescentes, vale a pena também procurar livros seminovos porque nessa fase o estudante não precisa rabiscar o material. Esses livros seminovos costumam ser a metade do preço dos novos. Você pode também propor uma troca de material em grupos de mães e pais. 

Livros comprados, é hora de verificar as demais exigências. Primeiro, dê uma olhada em casa e nos itens usados no ano passado que serão devolvidos pela escola. Sempre dá para aproveitar alguma coisa. Depois vale dar uma espiadinha na na lista de itens considerados abusivos pelo Procon.

Você sabia que as escolas não podem obrigar os pais a comprarem coisas como massa de modelar, sacos plásticos, palitos de picolé e material de limpeza? São, ao todo, 66 itens vetados. 

Riscados todos esses materiais, é preciso cuidado com os "preços iscas". Às vezes, um objeto está muito mais barato em um local do que no outro para atrair o consumidor, mas esse valor é compensado em outros itens.

Outra coisa importante: não confie nas contas de cabeça. Aqueles preços terminados em 99 centavos confundem muito porque é comum a gente somar apenas o que vem antes da vírgula. 

Também é bom fugir dos materiais com temas, principalmente de personagens da moda. Eles costumam ser o dobro do preço.  É por isso que aqui também vale aquela dica de não levar crianças para esse momento.  

O quadro Economia Fácil é exibido todas as quinta-feiras, no Notícia da Manhã. Veja abaixo os quadros anteriores:

Economia Fácil mostra o quanto cada eletrodoméstico gasta de energia

Economia Fácil mostra situações em que você deve parcelar as compras

Economia Fácil explica rendimentos e demais regras da poupança

Economia Fácil: entenda como funcionam os investimentos nos títulos do Tesouro Direto

Economia Fácil: saiba como calcular seus rendimentos em LCI e LCA

Saque do FGTS pode ajudar a quitar ou negociar dívidas

Economia Fácil: atenção para não cair no cheque especial sem perceber

Economia Fácil explica como vai funcionar a criptomoeda do Facebook

Economia Fácil: como fazer e onde investir a reserva de emergência

Economia Fácil: o passo a passo para fazer sua planilha de orçamento

Economia Fácil: como planejar metas para alcançar objetivos financeiros

Economia Fácil: entenda como será o saque anual do FGTS

Economia Fácil traz 7 dicas para economizar no supermercado

Economia Fácil explica quais as vantagens da conta-corrente gratuita

Economia Fácil explica as regras do crédito rotativo do cartão

Economia fácil: veja como investir ajuda a controlar a inflação

Confira o funcionamento das lojas e supermercados neste feriado

Foto: Arquivo Cidadeverde.com/2013

Diferente dos anos anteriores, as lojas do Centro de Teresina funcionarão em horário normal nesta sexta-feira (15), dia da Proclamação da República. 

As lojas abrem das 8h às 18h, mas dependendo da movimentação pode ser que algumas fechem mais cedo. De acordo com o Sindicato dos Lojistas, as grandes lojas já confirmaram abertura normalmente. Já as livrarias decidiram não abrir as portas.

Shoppings

Nos shoppings, as lojas irão funcionar. O Rio Poty segue horário normal, das 10h às 22h, mas os demais terão horário reduzido. No Riverside as lojas abrem das 15h às 22h e no Teresina Shopping das 14h às 20h.

É importante essa abertura do comércio, nesse momento, por causa da grande movimentação de pessoas em buscas das promoções da Black Friday, já que algumas lojas estão antecipando esses descontos.

Supermercados

Quanto aos supermercados, o funcionamento acontece em horário regular, não vai ser reduzido. 

Foto: Arquivo Cidadeverde.com 2013

 

FGTS: Senado aprova aumento do saque somente para quem tinha até R$ 998 na conta

Foto: Arquivo/Cidadeverde.com

O Senado Federal aprovou o aumento do saque-imediato do FGTS de R$ 500 para R$ 998, que é o valor do salário mínimo nacional. Como o texto já passou pela Câmara dos Deputados, o próximo passo é a sanção do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Então, somente se essa medida for sancionada, é que os trabalhadores que retiraram apenas R$ 500 poderão sacar o restante, que equivale a R$ 498.

Mas existe um detalhe importante no texto aprovado pela Casa. Essa alteração de valor só vale para quem tinha saldo de até um salário mínimo na conta vinculada ao FGTS até o dia 24 de julho deste ano, data em que o presidente assinou a Medida Provisória.

Quem tinha mais que isso não tem direito ao saque do restante do valor.

O cronograma do saque-imediato continua seguindo normalmente, no valor de R$ 500, até que o texto seja, de fato, sancionado e aí, sim, a Caixa deverá dar as coordenadas de como será sacado o restante dos valores.

Neste momento, está aberto o saque imediato de R$ 500 para quem nasceu até maio. A partir do dia 22 de novembro, será aberto para quem nasceu entre junho e julho. E assim segue até dezembro. A data-limite para sacar os R$ 500 permanece o dia 31 de março. Depois disso, essa modalidade de saque será encerrada e terá início o saque-aniversário, que substitui o saque-rescisão e é opcional. O saque-aniversário também foi aprovado neste texto do Senado, sem alterações à MP enviada pelo presidente.

 

 

Economia Fácil explica as regras do crédito rotativo do cartão

 

Em dezembro tem os presentes de Natal e as festas, em janeiro tem material escolar, matrícula, anuidade... Os próximos meses são complicados quando o assunto é dinheiro.

Se você não conseguiu fazer uma reserva para esses gastos, o mais comum é que use o cartão de crédito com mais frequência. Porém, nem sempre a gente consegue controlar a fatura e aí, quando ela chega, cadê o dinheiro?!

O cartão de crédito tem uma "vantagem". Você não precisa, obrigatoriamente, pagar toda a fatura - pode pagar qualquer valor a partir do mínimo e esse mínimo, geralmente, é 20% do valor total.

Por exemplo: se sua fatura veio R$ 5 mil, o pagamento mínimo deve ficar em torno de R$ 1000.

Até aí tudo bem, só notícia boa! Mas, quando você paga menos que valor o total, todo o restante entra no chamado crédito rotativo - é aí onde está a pegadinha!

Nesse caso que citamos, com o pagamento de apenas R$ 1 mil, os outros R$ 4 mil irão direto para o rotativo. E sabe quanto custam os juros disso? Em média 307% ao ano. Voltou a superar até o cheque especial.

Tem tudo isso na sua fatura - é mostrado o valor para pagamento mínimo e como você pode pagar a dívida. Abaixo disso, você vê um asterisco com letras miúdas, explicando os juros. Se você ler isso, vai perceber que nunca vale a pena parcelar.

Nesse nosso exemplo, você teria a opção de pagar só R$ 1 mil e dividir o restante em 12 vezes de R$ 416,50. Isso dá um total de R$ 5 mil. No final das contas, você pagou R$ 1 mil só de juros.

E tem mais um detalhe. Esse parcelamento vai ser somado ao total da fatura dos meses seguintes. Então, vamos supor que você parcelou a fatura de janeiro e em fevereiro chegou outra fatura, no valor de R$ 1 mil.

Você vai pagar esses R$ 1 mil mais os R$ 416 da fatura anterior. Se não conseguir pagar tudo, o banco terá que lhe oferecer uma linha de crédito mais barata, porque você só pode ficar no rotativo por 30 dias.

O problema é que, geralmente, esse parcelamento oferecido pelo banco também não tem juros baixos, e você ainda vai comprometer boa parte da sua renda por mais tempo.

Para evitar todas essas armadilhas, se você não tem o valor necessário para pagar a fatura toda, faça um empréstimo pessoal ou consignado, peça emprestado ou negocie direto com a operadora do cartão, para pagar em menos parcelas. Qualquer coisa é melhor do que encarar o rotativo.

Agora, se você já está no rotativo, meu conselho é: não use o cartão de crédito até terminar de pagar tudo. Vai sair de casa? Deixa ele guardadinho na gaveta. A não ser que você queira aumentar o problema.

O quadro Economia Fácil é exibido todas as quinta-feiras, no Notícia da Manhã. Veja abaixo os quadros anteriores:

Economia Fácil mostra o quanto cada eletrodoméstico gasta de energia

Economia Fácil mostra situações em que você deve parcelar as compras

Economia Fácil explica rendimentos e demais regras da poupança

Economia Fácil: entenda como funcionam os investimentos nos títulos do Tesouro Direto

Economia Fácil: saiba como calcular seus rendimentos em LCI e LCA

Saque do FGTS pode ajudar a quitar ou negociar dívidas

Economia Fácil: atenção para não cair no cheque especial sem perceber

Economia Fácil explica como vai funcionar a criptomoeda do Facebook

Economia Fácil: como fazer e onde investir a reserva de emergência

Economia Fácil: o passo a passo para fazer sua planilha de orçamento

Economia Fácil: como planejar metas para alcançar objetivos financeiros

Economia Fácil: entenda como será o saque anual do FGTS

Economia Fácil traz 7 dicas para economizar no supermercado

Economia Fácil explica quais as vantagens da conta-corrente gratuita

Posts anteriores