Cidadeverde.com

Petrobras eleva em 1,01% preço médio da gasolina nas refinarias

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

A Petrobras anunciou alta de 1,01% no preço médio do litro da gasolina nas refinarias, válido a partir desta terça-feira (12). Com isso, o litro sobe para R$ 1,5232. Além disso, a estatal manteve o preço do diesel, em R$ 2,0005, conforme tabela disponível no site da empresa. 

Na sexta-feira, a Petrobras havia anunciado redução de 0,95% no preço médio do diesel, válido a partir de sábado (9), e tinha mantido inalterado o valor da gasolina.

Apesar das últimas quedas de preço, desde o início da nova metodologia, implementada em 3 de julho de 2017, o preço da gasolina comercializada nas refinarias acumula alta de 16,38% e o do diesel já valorizou 47,52%. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente. Em março de 2018, a empresa mudou sua forma de reajustes, e passou a divulgar preços do litro da gasolina e do diesel vendidos pela companhia nas refinarias — e não mais os percentuais de reajuste.

 

IBGE prevê novo recorde de safra para o Piauí, com alta de 7% na produção

Foto: Pixabay / download gratuito

Em janeiro, a produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2019 foi estimada em 230,7 milhões de toneladas, 1,9% acima da safra de 2018. A nova previsão foi divulgadas nesta terça-feira (12), pelo IBGE. Segundo os dados, o Piauí terá uma redução de 3% na área plantada, passando de 1.473.751 hectares em 2018 para 1.428.844 em 2019. Já a produção deve crescer 7% no Estado, passando de 4.232.124 toneladas no ano passado para 4.523.712 toneladas em 2019 - a maior já registrada na história do Piauí.

Veja as estimativas detalhadas: 

Mandioca
- safra do Piauí: 384.644 toneladas; alta de 15,9% em relação a 2018

Algodão herbáceo (em caroço)
- safra do Piauí: 51.419 toneladas; alta de 106% em relação a 2018

Arroz (casca)
- safra do Piauí: 78.917 toneladas; redução de 27,8% em relação a 2018.

Banana
- safra do Piauí: 46.210 toneladas, alta de 10,6% em relação a 2018.

Cana-de-açúcar
- safra do Piauí: 982.643 toneladas, alta de 17% em relação ao ano passado.

Castanha-de-caju
- safra do Piauí: 24.323 toneladas, queda de 3,4% em relação ao ano passado.

Feijão
- safra do Piauí: 111.370 toneladas, alta de 18,6% em relação ao ano passado.

Laranja
- safra do Piauí: 1.492 toneladas, queda de 25,1% em relação ao ano passado.

Milho
- safra do Piauí: 1.735.050 toneladas, alta de 14,1% em relação ao ano passado.

Soja
- safra do Piauí: 2.566.297 toneladas, alta de 3,9% em relação ao ano passado.

Sorgo
- safra do Piauí: 636 toneladas, queda de 97,3% em relação ao ano passado.

Tomate
- safra do Piauí: 4.209 toneladas, queda de 47% em relação ao ano passado.

Uva
- safra do Piauí:192 toneladas, alta de 276,5% em relação ao ano passado.

Veja o prognóstico da safra 2019 listando os 10 municípios piauienses com a maior produção, segundo o tipo de cultura:

Dentre os principais produtos agrícolas no Piauí, o destaque negativo fica por conta da colheita de arroz, cujo prognóstico para 2019 aponta uma safra de 78,9 mil toneladas, o que representa uma queda de 27,85% na colheita ante o ano de 2018. Esse resultado tem como causa a redução expressiva na área plantada do arroz, que diminuiu cerca de 30% em 2019. Segue, abaixo, a relação de 10 municípios do Piauí com o prognóstico de maior produção de arroz em 2019:

 A cultura do arroz tem grande dependência do fornecimento adequado de água para o seu desenvolvimento e, em razão da irregularidade no regime de chuvas no Piauí, os produtores têm reduzido ano após ano a sua produção, optando por plantar outras culturas menos dependentes daquele insumo. Entre 2008 a 2017 a produção de arroz apresentou uma redução de sua área plantada da ordem de 52,32%, passando de 142.629 ha para 68.044 ha. Quanto à quantidade produzida, no período de 2008 a 2017 a queda foi de  52,69%, passando de 224,2 mil toneladas para 106 mil toneladas.

No que diz respeito às culturas permanentes no Piauí, merece destaque o prognóstico da produção de castanha de caju, que em 2019 deverá apresentar uma produção de 24,3 mil toneladas, com uma queda de 3,40% em relação a 2018. Na área colhida haverá uma redução da ordem de 9,36%. 

 

Vistoria anual das permissões de táxi inicia nesta 2ª feira

Foto: Arquivo / Cidadeverde.com

A Prefeitura Municipal de Teresina alterou o prazo de validade da permissão dos motoristas de táxi. Agora, ela terá validade de dois anos, devendo ser revalidada a cada 24 meses. A partir desta segunda-feira (11), a Strans realizará a revalidação da permissão e também a vistoria que acontece anualmente.

Os proprietários dos veículos devem comparecer no órgão apresentando os seguintes documentos: permissão original de táxi, cópia do documento do veículo; cópia da CNH; cópia do INMETRO; cópia do certificado do curso de taxista. Além disso, serão analisados na GLC, a Certidão Negativa do Município e Extrato de Multa.

De acordo com a gerente de Licenciamento e Concessão da Strans, Cíntia Machado, a decisão foi tomada com intuito de desburocratizar o serviço de regulamentação. Os taxistas terão 60 dias para realizar a vistoria e revalidar a permissão. Ao fim do prazo, os condutores estarão sujeitos à multa de acordo com o regulamento. 

Sebrae abre inscrição para projeto de aceleração de startups em Teresina

Estão abertas as inscrições para o Sebrae Like a Boss Teresina, um projeto voltado para a pré-aceleração de negócios e para o fortalecimento do ecossistema de startups. As inscrições seguem até o dia 20 deste mês. Podem participar startups em fase de ideação, ou seja, protótipos iniciais de negócios inovadores. Serão selecionadas 60 startups para serem beneficiadas com as ações do projeto.

“Esse é um programa para quem quer desenvolver uma ideia de negócio. Todos os participantes recebem acompanhamento de mentores especialistas, que compartilham metodologias usadas por startups de destaque mundial. É uma oportunidade de colocar a mão na massa, validar a ideia e criar um negócio inovador e escalável”, afirma o gestor do Projeto Sebrae Like a Boss em Teresina, Samuel Moraes.

As mentorias serão realizadas de março a junho, podendo ser individuais ou coletivas. Os encontros coletivos acontecem com todas as startups e tratam de um único tema. Já os encontros individuais acontecem durante a semana, de segunda a quinta-feira. Cada startup agenda um dia para encontro presencial. Toda a equipe da startup pode participar das mentorias.

Os critérios de avaliação para participar do projeto são: potencial de mercado da startup, grau de inovação do modelo de negócio e qualidade da equipe. As regras do programa podem ser acessadas aqui. Já as inscrições devem ser feitas no formulário que está disponível aqui.  Maiores informações, ligue (86) 3216-1337 ou envie e-mail para samuel.melo@pi.sebrae.com.br.

 

Mercado reduz, mais uma vez, a estimativa para a inflação 2019

Foto: Pixabay / download gratuito

Mais uma vez, o mercado financeiro baixou a estimativa de inflação para este ano. Por outro lado, manteve estáveis as expectativas para os juros básicos e para o PIB. Veja mais detalhes do Boletim Focus desta segunda-feira (11). 

PIB  
- 2019: estimativa mantida em 2,50%.
- 2020: estimativa mantida em 2,50%.
- 2021: economia deve crescer 2,5%
- 2022: economia deve crescer 2,5%

INFLAÇÃO (IPCA)
- 2019: estimativa caiu de 3,94% para 3,87%.
- 2020: a inflação deve ficar em 4%.

(Lembrando que o sistema de metas para a inflação em 2019 é entre 2,75% e 5,75%, com centro em 4,25%. Em 2020, a meta ficará entre 2,5% e 5,5%. Para 2020, a meta central é 4%, mas também fica oficialmente cumprida entre 2,5% e 5,5%).

JUROS
- 2019: estimativa é terminar o ano em 6,5% ao ano, como está agora, o que é a mínima histórica.
- 2020: a Selic deve ficar em 8%a.a, até o final do ano. 

DÓLAR
- 2019: a estimativa inalterada em R$ 3,70.
- 2020: a estimativa inalterada em R$ 3,75.

BALANÇA COMERCIAL
- 2019: estimativa de superávit permaneceu em US$ 51 bilhões.
- 2020: estimativa de superávit subiu de US$ 46,65 bilhões para US$ 48 bilhões.

INVESTIMENTOS
- 2019: estimativa subiu de US$ 79,5 bilhões para US$ 80 bilhões.
- 2020: estimativa subiu de US$ 80 bilhões para US$ 82,44 bilhões.

O Boletim Focus é realizado semanalmente, ouvindo especialistas de mais de 100 instituições financeiras. O resultado é divulgado todas as segundas-feiras pelo Banco Central.

 

Puxada por alimentos e bebidas, inflação sobe 0,32% em janeiro

Foto: Tânia Rego / Agência Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, ficou em 0,32% em janeiro, acima dos 0,15% registrados em dezembro. Em janeiro de 2018, o índice foi de 0,29%. As informações foram divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação oficial do país ficou em 3,78%, pouco acima dos 3,75% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

O que mais pesou

O grupo de alimentação e bebidas foi o que mais pressionou a inflação em janeiro. O feijão carioca foi o que teve a maior alta no mês (19,76%). As frutas tiveram alta de 5,45%. Outros destaques de alta foram: cebola (10,21%), cereais e leguminosas (4,39%), hortaliças (2,38%), leite longa vida (2,10%) e carnes (0,78%). Por outro lado, o tomate teve queda de 19,46% em janeiro.

Motoristas fazem fila em posto que oferece gasolina a R$ 3,84

Foto: Cristiano Leal

Os consumidores estão fazendo fila para abastecer em um posto de combustível de Teresina. O motivo é que o preço do litro da gasolina caiu para R$ 3,849 na manhã desta sexta-feira (8).

O preço, no entanto, é um "desconto" para clientes cadastrados no aplicativo da rede. Para os demais consumidores, o litro está custando R$ 4,049.

Segundo o empresário José Couto, do Sindicato dos Donos de Postos de Combustível do Piauí, o preço na casa dos R$ 3 é uma promoção que nem todos os estabelecimentos têm condições de manter. 

"Ainda não tivemos uma nova baixa de preços nas distribuidoras, então os preços em Teresina estão, em média, entre R$ 4,09 e R$ 4,29. Muitos fazem algum tipo de promoção, diferenciam o valor dependendo da forma de pagamento e assim conseguem atrair mais clientes", explica Couto.

O empresário lembra que a lei já permite diferenciar os preços dependendo da forma de pagamento, por isso, o preço para pagamento no cartão de débito pode ser menor do que no cartão de crédito.

"E faz sentido porque no débito o posto recebe esse dinheiro na conta no dia seguinte. No crédito, apenas em 30 dias", ressalta Couto, acrescentando que a margem de lucro dos postos é de R$ 0,40 por litro. 

A expectativa do Sindicato é a de que os preços da gasolina continuem caindo nos próximos dias, como vêm acontecendo desde o início do ano. 

 

Estados apelam ao Supremo por redução de salários de servidores

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Em carta enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), secretários da Fazenda de sete Estados pediram a aprovação de proposta que permite a redução de salário e carga horária de servidores públicos. O julgamento da ação que trata do assunto está marcado para 27 de fevereiro, segundo informação divulgada pela Agência Estadão Conteúdo. 

A carta foi entregue na última segunda-feira ao ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo, pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). Além da Secretaria da Fazenda de Goiás, assinaram o documento representantes dos governos de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Pará, Alagoas e Mato Grosso do Sul. Caiado citou ainda Rio e Ceará, que não confirmaram a adesão.

A questão será discutida por meio de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) apresentada por PCdoB, PT e PSB que questiona artigos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Os Estados pedem que a Corte restabeleça a possibilidade de reduzir salários de servidores quando os gastos com a folha de pagamento superam o limite máximo na lei. O relator atual do caso no STF é o ministro Alexandre de Moraes.

Segundo o Estadão Conteúdo, além de discutir a possibilidade de redução salarial, os ministros ainda vão avaliar um segundo dispositivo da lei suspenso que permitiria aos governantes promover cortes lineares no orçamento quando a arrecadação prevista não se concretizasse. Se liberado, o governo poderá dividir a conta com os poderes Legislativo e Judiciário - o custo de ambos também recai sobre o Executivo. 

 

Receita abre consulta a lote da malha fina do IR

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

A Receita Federal abre nesta sexta-feira (8) a consulta ao lote residual de restituição do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física de fevereiro. Ao todo, serão desembolsados R$ 401 milhões para 142,6 mil contribuintes que estavam na malha fina das declarações de 2008 a 2018, mas regularizaram as pendências com o Fisco.

A lista com os nomes estará disponível no site da Receita na internet. A consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições.

As restituições terão correção de 5,68%, para o lote de 2018, a 107,8% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a entrega da declaração até este mês. O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração no próximo dia 15. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

Saques na poupança superam depósitos em janeiro

Foto: Pixabay / download gratuita

Em janeiro, a população brasileira sacou mais dinheiro do que depositou na poupança. O saldo de saques menos depósitos para o mês ficou negativo em R$ 11,232 bilhões, informou o Banco Central (BC). Ao todo, foram depositados na caderneta de poupança R$ 194,672 bilhões. As retiradas durante o primeiro mês do ano somaram R$ 205,905 bilhões.

Esse resultado representa a maior retirada de recursos da poupança para o mês de janeiro desde 2016, quando a diferença entre saques e depósitos foi de R$ 12,032 bilhões. O saldo atualmente depositado na poupança está em R$ 788,988 bilhões, segundo o BC.

Rendimento

Em janeiro, os rendimentos da aplicação mais popular do país resultaram em crédito de R$ 2,939 bilhões. 

Pela legislação em vigor, o rendimento da poupança é calculado pela soma da Taxa Referencial (TR), definida pelo BC, mais 0,5% ao mês, sempre que a taxa básica de juros (Selic) estiver acima de 8,5% ao ano. Quando a Selic é igual ou inferior a 8,5% ao ano, como ocorre atualmente, a remuneração da poupança passa a ser a soma da TR com 70% da Selic. Hoje, a taxa Selic está em 6,5% ao ano.

Posts anteriores