Cidadeverde.com

Em Teresina, 53% dos turistas vieram motivados por negócios, revela pesquisa

Foto: Raoni Barbosa / arquivo Revista Cidade Verde

Mais da metade (53,4%) dos turistas que visitam Teresina vem motivada pelos negócios. A informação é da pesquisa "Teresina: Indicadores Turísticos", realizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), nos meses de janeiro a maio de 2019. 

Os outros motivos que atraem pessoas de fora para a capital piauiense são: 
- visitar amigos e parentes (27,1%); 
- participar de eventos e estudos (7,7%); 
- motivos de saúde (2,6%).

O turismo movimentou R$ 114,6 milhões em Teresina, nos cinco primeiros meses de 2019. A pesquisa constatou outros aspectos que reforçam essa característica de "viagem a negócios":

- 60% dos turistas que chegam vieram sozinhos. Apenas 22,7% vêm com a família e 11,3% com amigos.

- 60,6% são do sexo masculino. 

- O maior percentual de turistas tem entre 36 e 50 anos. Outros 27,1% têm entre 26 e 35 anos e 20,9% têm entre 51 e 65 anos.

- A maioria (56,2%) estão no setor privado e menos de 20% trabalham no setor público. 

- Como vêm a negócios, 57,2% utilizam hotéis, flats ou apart-hotel. Só 37,4% ficam na casa de conhecidos. 

A chegada de turistas em Teresina registrou alta de 55,6% nos primeiros cinco meses de 2019, quando comparado a 2018. 

Para continuar nesse ritmo, a prefeitura estuda ações para atrair mais pessoas à capital piauiense. "Estamos trazendo agentes de viagens para conhecer a cidade, nós somos um polo de educação, de saúde e de negócios, de vendas, de comércio. Queremos que esses agentes vendam melhor a cidade. Também estamos participando mais das feiras nacionais", destaca o secretário do Desenvolvimento e Turismo, Venâncio Cardoso. 

Outra ação que o gestor considera importante é elaborar atividades para os fins de semana, para que os turistas que vêm a negócio possam ficar mais tempo na cidade. A média hoje é de 7 dias e meio. 

"Vamos lançar, até o final do ano, um calendário definitivo de 12 eventos para 2020. Teremos pelo menos um evento expressivo em cada mês, como por exemplo: meia-maratonas, carnaval, corso e feiras", completou o secretário Venâncio Cardoso.

Renda

O gasto médio diário em Teresina é de R$ 201,05 por turista. A receita gerada na cidade nos cinco primeiros meses do ano foi de R$ 114,6 milhões, o que representa 38,9% de alta em relação ao ano passado, quando registrou R$ 82,5 milhões.

Mas essa média de gastos de quem vem é menor do que a média de gastos de quem sai de Teresina para outras localidades. A duração das viagens também é maior.

O gasto médio do teresinense lá fora é R$ 280,97 por dia. A viagem dura cerca de 7,7 dias e o gasto com hospedagem é de cerca de R$ 1.925,76. Aqui se gasta só 30% desse valor com hospedagem.

Teresinenses que viajam

Em maio de 2019 desembarcaram em Teresina 44.098 passageiros. Destes, 27,3% eram residentes da capital e 6,8% eram do interior. Outros 65,8% eram turistas que estavam chegando.

Quase 87% dos teresinenses viajou para destinos nacionais, sendo os principais deles:

- São Paulo (28,3%)
- Ceará (20,7%)
- Brasília (12,3%)
- Maranhão (7,6%)
- Rio (6,9%)

Dentre os destinos internacionais, os teresinenses viajam mais para os Estados Unidos (42,9%). Depois desse país, os destinos mais usados são: Argentina, México, Espanha, França, Itália, Portugal e Suíça, que juntos somam 38,2%.

"O teresinense viaja mais para lazer. O perfil de quem sai é bem diferente do perfil de quem vem. É por isso que o gasto do teresinense quando viaja é maior, porque quem vem, vem a negócios, passa pouco tempo", avalia Venâncio. 

Para o coordenador especial de Turismo, Eneas Barros, os Estados Unidos são um destino imbatível. "O dólar também é mais barato que o euro", observa.

Perfil dos teresinenses que viajam:

- 60% são mulheres;
- 39,3% são do setor privado e 30,5% do público;
- 41,2% têm entre 36 e 50 anos e 36,5% têm entre 26 e 35 anos;
- 48,7% dos teresinenses viajam sozinhos; 42,5% viajam com a família e 8,8% com amigos;
- 70,7% ficam em hotéis, flats ou apart-hotéis e 23% na casa de conhecidos
- 55,4% dos teresinenses viajam motivados a visitar parente e amigos e para curtir das férias; 30,2% viajam a negócios; 12% para estudo e 1,3% por motivo de saúde.

Despesas

Entre maio de 2018 e maio de 2019, as despesas dos teresinenses lá foram aumentaram em 37,2%, subindo de R$ 14,3 milhões para R$ 26 milhões.

A previsão é que, até o final do ano, os teresinenses gastem lá fora o montante de R$ 339,8 milhões. 

Apesar dos altos valores, o comparativo entre receita e despesa turística apresenta superávit. Em 2019, a receita deve superar as despesas em quase R$ 132 milhões. 

Governo confirma apoio à Campanha Liquida Teresina 2019

Foto: Ascom CDL Teresina

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Teresina recebeu na última terça-feira (9) a visita do secretário de Desenvolvimento Econômico Igor Nery e do coordenador de Comunicação Social do Governo do Estado, Allisson Barcelar, que confirmaram o apoio a Liquida Teresina 2019, maior campanha do varejo da capital.

A ação, que chega a sua 6ª edição, acontece neste segundo semestre e, além de fomentar a economia no Estado, premia consumidores, lojistas e vendedores.

O presidente da CDL de Teresina, Evandro Cosme, apresentou aos gestores os benefícios da campanha para a economia local e outras atividades desenvolvidas pela entidade lojista que visam o fortalecimento da classe empresarial. “Essa foi uma reunião muito boa, em que apresentamos algumas de nossas atividades. Essa parceria entre a CDL, o Governo do Estado e a Prefeitura de Teresina deve continuar após a Liquida Teresina para juntos também desenvolvermos uma grande campanha de Natal, que é a maior data do varejo”, contou Evandro Cosme.

Inflação de junho é a menor desde novembro do ano passado

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,01% em junho deste ano. Ela é inferior ao 0,13% de maio e ao 1,26% de junho do ano passado. É o menor percentual mensal desde novembro de 2018 (-0,21%). No ano, a inflação acumula alta de 2,23% e de 3,37% em 12 meses. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (10), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O que mais influenciou

As quedas de preços de 0,25% dos alimentos e de 0,31% dos transportes foram os principais responsáveis por frear o IPCA em julho. Entre os itens que mais influenciaram as quedas de preços dos alimentos estão as frutas (-6,14%) e o feijão-carioca (-14,8%).

No grupo de transportes, o principal impacto para a deflação veio dos combustíveis (-2,41%), com destaque para a queda de 2,04% no preço da gasolina.
Por outro lado, o aumento de 0,64% no custo de saúde e cuidados pessoais foi o que mais contribuiu para que o IPCA não fosse negativo em junho.

Calendário de pagamento do Abono Social 2019/2020 é divulgado

O calendário de pagamento do Abono Salarial 2019/2020 foi definido pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat). A resolução com a medida está publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (10). De acordo com o documento, o pagamento será realizado a partir de 25 de julho próximo até 30 de junho de 2020. 

Para o pagamento do Programa de Integração Social (PIS), será considerado o mês de nascimento do trabalhador. No caso do  Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), será observado o número de inscrição. Caberá à Caixa Econômica Federal efetuar o pagamento do PIS e o Banco do Brasil do Pasep. As duas instituições financeiras serão também responsáveis pela execução dos serviços de pesquisa, de identificação dos trabalhadores com direito ao Abono Salarial, de apuração e controle de valores, de processamento de dados e de atendimento às pessoas com direito ao abono.

O pagamento do PIS/Pasep para trabalhadores identificados Relação Anual de Informações Sociais (Rais) fora do prazo, entregues até 25 de setembro de 2019, serão disponibilizados a partir de 4 de novembro deste ano, conforme calendário de pagamento anual constante na resolução.

Concurso do IBGE tem 9 vagas para o PI e salário de R$ 4,2 mil

Estão abertas até o dia 23 de julho as inscrições para 400 vagas temporárias de analista de nível superior do Censo 2020. A remuneração mensal é de R$ 4.200 para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais, sendo 8 horas diárias. 

As oportunidades estão distribuídas em 20 áreas de conhecimento e em todas as unidades da federação. Veja abaixo as informações sobre as vagas para o Piauí:


Os contratados terão direito aos auxílios alimentação, transporte e pré-escolar, assim como a férias e 13º salário proporcionais, de acordo com a legislação vigente. 

A aplicação da prova está prevista para o dia 1º de setembro. Serão 60 questões objetivas em três disciplinas: língua portuguesa, conhecimentos específicos e raciocínio lógico, com exceção das áreas de conhecimento de Métodos Quantitativos e Letras, que terão duas disciplinas cada (língua portuguesa e conhecimentos específicos e raciocínio lógico e conhecimentos específicos, respectivamente). Veja o cronograma das principais etapas do processo seletivo na tabela a seguir:

 

Clique aqui para fazer as inscrições. A taxa é de R$ 64 e as inscrições somente serão validadas após a confirmação do respectivo pagamento. As pessoas pretas ou pardas terão direito a 20% das vagas, de acordo com a legislação em vigor. 

Clique no link a seguir para ver o edital: Edital IBGE.pdf

Permissionários da Ceasa terão acesso a crédito de até R$ 50 mil

Foto: Ceasa / Ascom

A Agência de Fomento e Desenvolvimento do Estado do Piauí (Piauí Fomento) vai oferecer uma linha de crédito diferenciada aos permissionários da Nova Ceasa, formatada para atender as necessidades de recursos para capital de giro de micro e pequenos negócios. 

Equipes da Piauí Fomento irão ao mercado, a partir de quinta-feira (11), para fazer os atendimentos. 

A agência de fomento atende pequenos e médios empresários, que necessitam de empréstimo rápido, sem burocracia. Os valores vão de R$ 1 mil a R$ 50 mil, com taxas de 1,6% ao mês.

De acordo com James Andrade, diretor presidente da Nova Ceasa, quem tiver interesse em ter o crédito, facilitará a ampliação do seu negócio e consequentemente o aumento das vendas. “Eles poderão estruturar seus negócios, padronizando as bancas de comercialização de produtos, informatizando as vendas, ou seja, modernizando suas instalações”, disse James.

O diretor presidente da Piauí Fomento, Luís Carlos Éverton de Farias, explica que não será exigido seguros. “Não exigimos seguros, apenas financiamos. Vamos conceder crédito a quem precisa de capital de giro. Temos um foco principal: inovação. Inovar os processos dentro das empresas", finaliza.

Sejus prorroga concurso de 2017 e deve chamar mais 166 agentes penitenciários

Foto: Site oficial da Sejus/ divulgação


O concurso para agentes penitenciários do Piauí, realizado em 2017, será prorrogado. A informação foi dada na noite de segunda-feira (8), pelo secretário da Justiça, Carlos Edilson.

A prorrogação será de mais dois anos. Para o secretário, esse novo prazo garantirá a convocação de novos servidores para o sistema prisional. 

“Quando o Estado tiver uma condição financeira melhor, 166 agentes poderão ser chamados”, comentou o secretário de Justiça.

O concurso de 2017 teve 316 aprovados. Destes, 150 fizeram o curso de formação e 105 foram convocados.

Cadastro Positivo compulsório entra em vigor nesta terça-feira (9)

Foto: Arquivo / Revista Cidade Verde

A partir desta terça-feira (9), as fontes de informação de crédito – como bancos, financeiras, empresas de telefonia e de varejo, e as que prestam serviços continuados, como as de água, gás e energia elétrica, entre outras, começam a enviar para os Gestores de Bancos de Dados - GBD, as informações de pagamento dos consumidores (pessoas físicas e pessoas jurídicas) que irão compor o Cadastro Positivo.

O objetivo é que, com base em uma análise mais precisa, o mercado possa oferecer propostas de crédito personalizada, com taxas de juros e prazos melhores do que os atualmente praticados. As fontes que não entregarem as informações dos consumidores estarão descumprindo a legislação. É importante ressaltar que serão informados apenas os dados relativos aos pagamentos, como os valores da fatura do cartão de crédito, a parcela do financiamento de um veículo ou de um imóvel, ou o total da conta de água. 

Continuam confidenciais informações detalhadas, como:

- os item que foi comprado e que resultou na dívida; 
- o saldo da conta corrente;
- os valores investidos em poupança ou outro tipo de aplicação bancária. 

Segundo Dirceu Gardel, presidente da Boa Vista, que é um órgão gestor de banco de dados, o Cadastro Positivo pode ajudar até mesmo quando o consumidor estiver com o nome sujo. “Com ele, todas as contas pagas em dia contam a favor e podem ajudar na obtenção de crédito, mesmo que eventualmente, ou seja, em um dado momento do ano, o consumidor tenha tido uma dificuldade com uma determinada conta e tenha ficado com o nome sujo”, analisa o executivo.

O consumidor precisa ter ciência também que, como titular do crédito, terá todo o direito de ter acesso aos próprios dados, e poderá fazer essa consulta sempre que desejar, uma vez que é direito do consumidor consultar o seu histórico de pagamento. Como a inclusão no Cadastro Positivo passa a ser automática, o consumidor terá que solicitar a exclusão, caso prefira.

Como sair do Cadastro Positivo

Caso o titular do CPF ou CNPJ não queira ser incluído na base de dados dos birôs de crédito, ou, depois de incluído, queira sair, é necessário solicitar o cancelamento. Para cancelar o cadastro basta contatar um dos birôs (SPC, Serasa, Quod e Boa Vista) por telefone, meio eletrônico ou físico, informar dados pessoais e aguardar a confirmação de cancelamento, que, segundo a Lei do Cadastro Positivo, deve ser feito em, no máximo, dois dias úteis.

A solicitação em uma das entidades já garante a saída de todo o sistema do cadastro positivo. Ou seja, não é necessário cancelar o cadastro em cada um dos birôs.

É possível ser incluído no cadastro positivo posteriormente, com os mesmos passos. Caso haja dificuldade em sair do cadastro positivo, devem ser acionados órgãos de defesa do consumidor, como o Procon. Mas, segundo especialistas, a retirada não é aconselhável, pois para a concessão de crédito, ter um escore ruim pode ser melhor do que não ter escore.

Veja como sair do cadastro positivo:

Boa Vista
Via Site: o titular deve acessar www.consumidorpositivo.com.br, se cadastrar, passar pelo processo de autenticação e fazer sua auto consulta no cadastro positivo. Ao final do relatório positivo haverá um botão com opção de cancelamento. 

Via telefone: entrar em contato por meio do telefone (11) 3003-0101 e passar por um processo de confirmação de identidade. 

Nos postos de atendimento: o consumidor deverá comparecer a um dos postos de atendimento da Boa Vista munido de documentos originais: CPF e RG (ambos obrigatórios) ou somente CNH e solicitar o cancelamento de sua participação no Cadastro Positivo, após preencher o termo correspondente que lhe será fornecido no local. 

Quod
Via site: https://consumidor.quod.com.br/sair-cadastro-positivo
Via telefone: 3003-7863

Serasa 
Para pessoas físicas
Via site: https://www.serasaconsumidor.com.br/
Via telefone:  0800 776 6606
Nos postos de atendimento:  https://www.serasaconsumidor.com.br/atendimento/

Para pessoas jurídicas
Via site:  https://www.serasaexperian.com.br/
Nos postos de atendimento:   https://www.serasaexperian.com.br/atendimento/postos-atendimento

SPC Brasil
Via site: https://www.spcbrasil.org.br/cadastropositivo/consumidor/
Via telefone: 0800 887 9105
Nos postos de atendimento: em uma Câmara de Dirigente Lojista ou Associação Comercial, unidades locais do SPC, com documento de identificação (RG, CNH ou carteira de trabalho) e CPF originais. Em caso de pessoa jurídica, o cancelamento só pode ser realizado pelo representante legal da empresa.

Mesmo com concorrência digital, bancos sobem tarifas acima da inflação

Foto: Arquivo / Agência Brasil

Na contramão da onda de acessibilidade e baixo custo, os bancos tradicionais continuam mantendo os preços dos serviços bancários em crescimento e promovendo altos reajustes de pacotes e tarifas avulsas. 

A constatação é de uma pesquisa realizada pelo IDEC, que compara os preços dos cinco maiores bancos do país (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú e Santander), entre abril de 2017 a março de 2019.

O reajuste médio praticado foi de 14%, quase o dobro da inflação no período (7,45%). O maior reajuste foi aplicado pelo Bradesco, que teve variação de até 50% em um de seus pacotes.

Tarifas avulsas

Quando analisadas as tarifas avulsas, entre os 20 principais serviços mais utilizados pelos consumidores, também foram encontrados aumentos acima do esperado. 

Com exceção do Itaú, que reajustou sete tarifas (35% do total) acima da inflação, todos os bancos tiveram mais da metade dos seus serviços reajustados acima do índice. Foram encontrados 50 serviços com reajustes entre 10% e 89%, este último 12 vezes a mais que a inflação do período.

Bancos Digitais

A pesquisa analisou ainda a atuação dos bancos digitais, que atraem clientes por oferecerem menos burocracia e em muitos casos anunciando “tarifa zero”. Os resultados mostraram que, entre os maiores bancos virtuais do País, todos possuem algum tipo de tarifa por algum serviço.

Para a economista do Idec Ione Amorim, “os bancos digitais repetem a falta de transparência na comunicação dos preços de seus serviços como as instituições tradicionais. Em geral, as tarifas existentes não são informadas na página inicial do site e, por muitas vezes, são difíceis de encontrar, assim como acontece com os 5 maiores bancos tradicionais do País”.

Clique aqui para ver todas as tarifas cobradas.

Com maior cobertura do país, PIS/Pasep injetou R$ 221 milhões no PI

Foto: José Cruz / Agência Brasil

O Ministério da Economia informou que 10.599 piauienses não sacaram o abono Pis/Pasep ano-base 2017, que é disponibilizado a quem trabalhou com carteira assinada em 2017, ganhando até dois salários mínimos em média.

No Piauí, 287.018 pessoas tinham direito ao benefício e 276.419 foram pagos, o que representa uma cobertura de 96,31% - a maior do país. O abono injetou no Piauí R$ 220,9 milhões e R$ 7 milhões deixaram de ser pagos porque os beneficiários não sacaram.

O Estado com menor cobertura foi o Amapá (83,85%). Foram pagos R$ 45,8 milhões e restam R$ 8,3 milhões a serem pagos.

O prazo para saque terminou no último dia 28 de junho. Levando em conta todo o Brasil, mais de R$ 1,3 bilhão retornarão ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), fonte usada para pagamento de benefícios como o abono e o Seguro-Desemprego.

O trabalhador que perdeu o prazo para sacar o benefício deverá buscar orientações em uma das unidades de atendimento da Secretaria de Trabalho ou entrar em contato com Central de Atendimento 158 para se informar acerca das medidas que deverá tomar. 

 

Posts anteriores