Cidadeverde.com

Balança comercial do PI recua, mas conitinua com superavit em dezembro

O índice de exportações registrado em dezembro pela balança comercial piauiense revelou um crescimento de 9,97% em relação ao mesmo período de 2014. Mas também revelou uma retração de 52,23% se comparado a novembro de 2015. Veja informações detalhadas:

- Em dezembro, as exportações piauienses alcançaram US$ 7.319.589. As importações totalizaram US$ 2.635.426. Se comparado ao mesmo período de 2014, as importações registraram queda 77,99%, e redução de 63,99% sobre novembro de 2015. 

- O saldo comercial do mês apresentou superavit de US$ 4.643.953, revertendo o valor negativo alcançado em igual período de 2014: US$ 5.354.650.

- No acumulado janeiro-dezembro de 2015, as exportações apresentaram valor de US$ 402.206.581. Sobre igual período de 2014, as exportações registraram uma expansão de 57,13%. As importações somaram US$ 110.959.836, com queda de 54,96% sobre o mesmo período anterior.

- A corrente de comércio alcançou cifras de US$ 513.166.417, representando uma elevação de 2,16% sobre o mesmo período do ano anterior, quando totalizou US$ 502.320.804.  

- O saldo comercial acumulou superávit de US$ 291.246.745, revertendo o baixo saldo registrado em igual período de 2014, US$ 9.622.466.

Entre os produtos exportados pelo Piauí, o complexo soja, ceras vegetais, milho e algodão são os que mais se destacam. Juntos, totalizam quase 97% de toda pauta de exportação. No que diz respeito às importações, as áreas dos derivados de ferro, como laminas de ferro, fios de cobre e maquinário lideram a lista.

Nordeste tem maior aumento de consumidores com contas em atraso

A região Nordeste foi a que registrou o maior crescimento da inadimplência em 2015. O índice chegou a 7,62%, segundo o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), vinculado à Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A entidade divulgou hoje (14) pesquisa sobre o endividamento do brasileiro em todas as regiões, exceto o Sudeste, onde o acompanhamento dos registros está suspenso desde outubro do ano passado. Devido à ausência do Sudeste, não foi calculado o índice nacional de inadimplência em 2015. O motivo para o Sudeste ser excluído do levantamento é a entrada em vigor de uma lei estadual em São Paulo determinando que consumidores só tenham o nome negativado após assinarem um aviso de recebimento (AR) enviado pelos correios. De acordo com a CNDL, o Sudeste reúne 45% da população adulta inadimplente do país, o que equivale a 57 milhões de pessoas com idade entre 18 e 95 anos. Portanto, haveria distorção no cálculo da inadimplência nacional sem levar o Sudeste em conta.

A região com a segunda maior alta da inadimplência em 2015 foi o Centro-Oeste, que teve elevação de 6,24% em relação a 2014. Em terceiro lugar ficou o Sul, com alta de 5,1% e, em quarto, o Norte, com o menor crescimento da inadimplência, de 3,92%. Apesar da alta da inadimplência nas quatro regiões ante 2014 houve recuo na comparação mensal. Segundo o SPC, entre novembro e dezembro de 2015 a região Sul apresentou queda de 1,78% no número de consumidores endividados. No Norte, a redução foi 1,1%. No Centro-Oeste, o número de consumidores com dívidas em atraso caiu 0,89% no último mês do ano e, no Nordeste, recuou 0,88%.

Fazenda nega novos boatos de confisco da Poupança

Voltaram a circular no Piauí áudios que afirmam que as poupanças dos brasileiros serão confiscadas. Desta vez, a data seria no próximo dia 18 de janeiro (segunda-feira). Como esta já é a terceira vez que esses boatos surgem no Estado, a coluna Economia & Negócios, do Cidadeverde.com, entrou em contato diretamente com a Assessoria de Comunicação do Ministério da Fazenda, que reiterou a afirmação de que tudo não passa de trote e "terrorismo". Dessa vez, os áudios repassados via WhatsApp são ainda mais ousados e anunciam até mesmo uma guerra civil com a utilização de armas encontradas na Amazônia. O terrorismo é tanto, que é pedido aos brasileiros que estoquem comida e petróleo!

Veja alguns trechos dos áudios:

"A coisa não tá boa e vai ficar pior, começou dia 1°. Vai faltar combustível e comida. As refinarias estão paradas desde o dia 1°. Dilma falou que não precisa 'dos caminhão', agora vamos ver como ela vai fazer. Ela mexeu com a maior potência do Brasil que é o transporte rodoviário. Vai faltar combustível e comida e é rápido".

"Uma pessoa dos Estados Unidos me avisou que é para tirar todo o dinheiro dos bancos porque dia 18 vai ter o saqueamento dos bancos, até poupança salário. Mandou tirar tudo. Foi a chefe do Banco do Brasil dos Estados Unidos que avisou. O governo vai trancar tudo, petróleo e comida. Ninguém vai comprar nem vender. Na mata Amazônia descobriram muito armamento e vai ter uma guerra".

"Dia 15, a Dilma vai pegar todo o dinheiro do Banco, igual Collor fez. Descobriram 30 mil armas na Amazônia. Está para estourar uma guerra civil. Caminhoneiros estão parados desde o dia 1º. É bom guardarem bastante comida. Estará tudo paralisado para tirar Dilma, mas a mídia não está mostrando para não assustar a população".

Por telefone, o Ministério da Fazenda explicou que esses boatos são comuns no início do ano e que confirma o comunicado enviado em 17 de fevereiro do ano passado, de que as informações não têm fundamento.

Veja aqui a nota oficial do Ministério da Fazenda.

Desde o primeiro boato, que inclusive foi investigado pela Polícia Federal, especialistas foram ouvidos sobre o assunto descartam totalmente a possibilidade. Eles afirmam que a situação é diferente da época de Collor, e a Constituição agora proíbe qualquer confisco. A Constituição é de 1988, a mesma do governo Collor, mas foi feita uma Emenda em 2001 que proibiu essa prática. Emenda é a forma pela qual a Constituição pode ser alterada legalmente. Veja os motivos citados pelos especialistas para desmintir o fato: 

- A Constituição proíbe confiscos
- Se a lei fosse mudada, demoraria e ninguém seria pego de surpresa
- A Justiça julgaria qualquer confisco inconstitucional
- Um confisco poderia acontecer só numa ditadura

PI tem parque eólico capaz de fornecer energia para 1 milhão de casas

  • chapada-eolico-13.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-12.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-11.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-10.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-9.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-8.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-7.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-6.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-5.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-4.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-3.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-2.jpg Foto: Marcelo Cardoso
  • chapada-eolico-1.jpg Foto: Marcelo Cardoso

Foi inaugurado nesta quinta-feira (14) o Complexo Eólico Chapada do Piauí I, localizado no município de Marcolândia (410 km de Teresina). Este é um dos maiores investimentos do setor no Brasil, somando cerca de R$ 1,08 bilhão. O número de empregos gerados, segundo o governo, passou de 3 mil.

Durante a inauguração, o governador Wellington Dias (PT),  enfatizou que o potencial energético do Piauí tem se destacado no Brasil e atraído investidores internacionais e que o complexo trouxe desenvolvimento para a economia local, por meio da regularização fundiária das terras dos pequenos proprietários e da geração de renda via arrendamentos de terras. 

O Parque Eólico tem capacidade para gerar 436MW, o que representa um potencial para fornecer energia para mais de um milhão de residências. O empreendimento é comandado pela empresa Contour Global e Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). Este complexo é o maior do grupo. O presidente da Chesf, José Carlos Miranda Farias, afirmou que espera que este empreendimento seja um paradigma para os diversos outros que virão para o Piauí e para o Nordeste.

IBGE selecionará mais de 82 mil pessoas para cargos temporários

Além das 600 vagas já confirmadas para concurso do IBGE neste ano, outras 82 mil vagas temporárias devem ser abertas para a realização do Censo Agropecuário 2016. Em dezembro, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou o órgão a contratar por tempo determinado até 82.023 pessoas. A novidade é que foi escolhida a organizadora do certame: será a Cesgranrio, mas ainda não há data para publicação do edital. As vagas serão assim distribuídas: 

- 223 para analista censitário;
- 486 para agente censitário regional;
- 700 para agente censitário administrativo;
- 5.500 para agente censitário municipal; 
- 12.540 para agente censitário supervisor;
- 174 para agente censitário informativo;
- 62.400 para recenseador.

Seleção

As contratações deverão ser efetuadas por meio de processo seletivo simplificado, observados a ordem de classificação e os critérios e condições estabelecidas pelo Poder Executivo. O edital de abertura das inscrições deverá prever o número de vagas, a área de atuação, a descrição das atribuições, a remuneração e o prazo de duração do contrato.

Duração dos contratos

O prazo de duração dos contratos deverá ser de até 1 ano, com possibilidade de prorrogação até o limite máximo de 3 anos. Decorrido o período de 3 anos, a contar da homologação do resultado final do primeiro processo seletivo, não mais poderão viger os contratos firmados com base na autorização da portaria nº 571.

Salários

O IBGE deverá definir a remuneração dos profissionais a serem contratados em valor não superior ao da remuneração constante dos planos de retribuição ou nos quadros de cargos e salários do serviço público, para servidores que desempenham função semelhante.

 

Antônio José Medeiros é nomeado presidente da Cepro

Ex-secretário de Educação do Piauí, Antônio José Medeiros, foi nomeado presidente da Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí-Cepro. A gestão terá início no dia 18 de janeiro. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (12). O documento traz ainda a exoneração de Antônio José Medeiros do cargo de assessor especial do governador. 

Antônio José Medeiros era técnico da Fundação Cepro, já foi vereador, deputado estadual, federal e secretário de educação do Estado nos dois mandatos anteriores de Wellington Dias. É mestre em Ciências Sociais e atualmente está encerrando doutorado em sociologia pela Universidade de São Paulo. Ele assume o cargo em substituição ao economista e doutor Antônio Cezar Cruz Fortes, ex-secretário de planejamento do Estado, que assumiu em dezembro de 2015 a direção da Agência de Fomento do Piauí.

Loteria americana sorteará prêmio de US$ 1,5 bilhão

Uma loteria americana, a Powerball, sorteará nesta quarta-feira (13) um prêmio jamais visto no Brasil: US$ 1,5 bilhão! É também o maior da históra dessa loteria. Desde o último sorteio da Powerball, em 4 de novembro, as vendas dos bilhetes somaram US$ 1,75 bilhão. O prêmios será entregue com desconto de impostos, mas mesmo assim, o futuro ganhador se tornará, imediatamente, mais rico que Lionel Messi e Beyoncé.

A probabilidade de ganhar é uma em 292 milhões. O Jornal The New York afirmou até que é 246 vezes mais fácil ser atingido por um raio do que conseguir a façanha. O recorde para um ganhador único do Powerball foi registrado em 18 de maio de 2013, quando uma aposentada de 84 anos, que vivia em um bairro residencial de Tampa, na Flórida, ganhou US$ 590,5 milhões.

Não haverá mais valor mínimo para transferências entre bancos diferentes

A partir de sexta-feira (15), não haverá mais limite mínimo para a emissão de Transferência Eletrônica Disponível (TED). A informação foi divulgada pela Federação Brasileira Bancos (Febraban). Até amanhã, o valor mínimo é R$ 250,00. O objetivo da mudança é facilitar a vida do consumidor na hora de fazer transferências de dinheiro entre bancos diferentes. 

Ao utilizar a TED, o valor da transferência de um banco para o outro é creditado na conta do favorecido no mesmo dia, se a transferência for realizada dentro do horário do atendimento bancário. Não existe limite máximo para a emissão de uma TED. Para a Febraban, desde a sua criação, a TED ofereceu vantagem em relação aos cheques e ao Documento de Crédito (DOC) que só ficam disponíveis após a compensação tradicional, que demora, no mínimo, um dia útil. Estas transferências transitam pela Compe - Serviço de Compensação de Cheques e Outros Papéis. O valor máximo de um DOC é de R$ 4.999,99.

As tarifas cobradas para a realização de TED variam de banco para banco, conforme a política comercial de cada um. Para saber os preços das tarifas, os consumidores podem consultar o Sistema de Divulgação de Tarifas de Serviços Financeiros ( STAR) da Federação Brasileira de Bancos  (www.febraban-star.org.br).

36% das pessoas compram para "aliviar estresse"

O SPC e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) realizaram pesquisa em todas as capitais brasileiras sobre o perfil do consumo do país e revelou que 36,3% dos entrevistados admitiram que comprar é um ato para aliviar o estresse do dia a dia. Além disso, 47,7% afirmaram que fazem compras para "se sentir bem". O estudo mostrou ainda que o hábito de comprar para aliviar o estresse vem principalmente das mulheres (43,7%) e 40,2% dos consumidores pertencem às classes A e B. Veja mais detalhes do levantamento:

- 3 em cada 10 (29,5%) consumidores concordam que fazer compras melhora o humor;
- 24,5% confessam realizar compras quando se sentem deprimidos;
- As mulheres são mais suscetíveis às emoções quando compram por impulso - elas admitem a sensação de prazer ao comprar algo sem planejar (37,7% contra 26,5% dos homens), além de serem as que mais citam o ato de fazer compras como o tipo de lazer preferido (35,9% contra 23,3% do total de entrevistados).
- As mulheres também são o maior percentual que compram por impulso quando estão deprimidas (30,5% contra 18,3% dos homens). 
- Os mais jovens são os que ficam mais entusiasmados e se divertem ao comprar produtos não planejados (41,8% contra 19,6% das pessoas acima de 55 anos);
- 40,3% dos entrevistados estão ou já estiveram com o nome sujo por extrapolar nas compras sem pensar.
- A maior parte dos entrevistados (44,5%) não consegue resistir aos próprios desejos porque acredita que se não realizar aquela compra, mesmo que o produto seja desnecessário, vai desperdiçar uma “boa oportunidade”;
- 36,9% admitem que quando surge o desejo de comprar algo, eles não sossegam enquanto não concretizarem a compra, sobretudo as mulheres (41,6%). 
- 30,1% dos entrevistados gastam mais do que o previsto em promoções com medo de acabar se arrependendo depois;
- quase um terço (32,9%) admite que, geralmente, compra produtos que nem tinha a intenção de adquirir antes de entrar numa loja;
- 30,7% admitem que ao ver um produto atrativo não pensam nas consequências da compra antes de efetivá-la;
- mais de um quarto (25,8%) dos entrevistados reconhecem não ter o costume de avaliar todos os aspectos envolvidos numa compra;
- 30,8% dos consumidores reconhecem que estão com as finanças pessoais descontroladas por causa de compras impulsivas.

IBGE registra péssimo desempenho do comércio em novembro

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou o resultado das vendas do varejo brasileiro do mês de novembro e constatou: foi o pior resultado dos últimos 12 anos. Comparando com o mesmo mês de 2014, a queda foi de 7,8% - a maior desde março de 2003, ano em que a retração passou de 11%. Veja o percentual de recuo:

- móveis e eletrodomésticos (-14,7%);
- tecidos, vestuário e calçados (-15,6%);
- combustíveis e lubrificantes (12%).

Ontem (12), a Serasa também havia divulgado levantamento que aponta queda nas vendas de 2015. No estudo, o recuo foi de 1,3% e representou o pior desempenho desde 2002.

Posts anteriores