Cidadeverde.com

Nova diretoria da AJE-PI toma posse com foco na capacitação

  • fdba02b135ad3a35c897a7b7589525a9.jpg Diego Oliveira deixa o comando da AJE-PI
    Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • eee2fc39baaf491015d37537064d82a6.jpg Landerson Carvalho e Samuel Monte, novos nomes no comando da AJE-PI
    Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • d971ced1dc8cd8dec8762b4b621cc933.jpg Firmino Filho, prefeito de Teresina, prestigiou o evento na Fiepi
    Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • b8b42787ea9ebfca3ae0fecd482eb75d.jpg Foto: Wilson Filho/Cidade Verde
  • 7629f843c85ec74ca100201decc9a3bd.jpg Samuel Monte, Firmino Filho e Diego Oliveira
    Foto: Wilson Filho/Cidade Verde

A nova diretoria da Associação dos Jovens Empresários do Piauí (AJE-PI) tomou posse na noite desta quinta-feira (26) em solenidade na sede da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi). O atual presidente, Diego Oliveira, passou o cargo para Samuel Monte, que terá como vice Landerson Carvalho. 

O foco da nova gestão é dar continuidade aos projetos já implantados, com ênfase na capacitação de jovens que queiram abrir o primeiro negócio. 

"A gestão anterior inovou na construção de projetos, desde o agronegócio até a educação empreendedora. Nós queremos continuar com o foco nessas áreas e tirar do papel já neste ano o projeto Minha Primeira Empresa", declarou o novo presidente, Samuel Monte. 

Outro projeto que será encampado pela nova gestão é o Agro Jovem, que já está sendo elaborado e tem o objetivo de capacitar filhos de agroempresários para a sucessão nos negócios familiares. 

"Temos filhos de agricultores que estão há muito tempo no negócio da família, mas não têm perspectiva de crescimento. Nós estamos desenhando formas de capacitar quem atua nesse ramo", acrescentou Samuel Monte. 

A AJE-PI foi criada em 21 de maio de 1998 por um grupo que quis proporcionar uma nova visão do jovem empresário e contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Estado. 

O novo vice-presidente avalia que um dos grandes avanços da AJE-PI foi levar o empreendedorismo para o ensino nas escolas. "A gestão anterior iniciou esse projeto e nós vamos continuá-lo. Temos novas parcerias com prefeituras, com o Governo do Estado e empresas júniores, além de universidades e faculdades", informou Landerson Carvalho. 

Antes de passar o cargo, o agora ex-presidente Diego Oliveira avaliou os últimos anos de trabalho da AJE no Piauí. "Estamos deixando parcerias já construídas, uma gestão com nova roupagem e total condições para a continuação dos trabalhos. Temos também uma plataforma articulada nacionalmente. Acredito que todos os projetos serão ampliados". 

O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fábio Nery, estiveram presentes no evento e destacaram a importância de se ter um grupo de jovens articulados para dar suporte aos mais novos empresários. O prefeito ressaltou que apesar da economia estar "apertada", a prefeitura tem interesse em destinar parte do orçamento para projetos como o "Minha Primeira Empresa".

"Estamos passando por um aperto, mas a AJE tem sido um diferencial, um movimento que tem que ser renovado. Ainda estamos definindo o orçamento, mas vamos continuar essa parceria", concluiu Firmino Filho. 

Jordana Cury (flash da Fiepi)
Fábio Lima (da Redação)
redacao@cidadeverde.com

Sem local para descarregar mercadorias, caminhões são multados no Centro

O Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística do Piauí (Sindicapi), Humberto Lopes, lamentou o impasse entre os comerciários e a Superintendência de Transporte e Trânsito (Strans) o que diz respeito à circulação de caminhões no Centro da cidade. Segundo o sindicalista, os carros que fazem o serviço de descarga de mercadorias não têm onde serem estacionados e acabam sendo multados. 

"Por decreto, carros de até 7 metros podem transitar no Centro, entre as avenidas Miguel Rosa e Maranhão, em horário comercial, mas falta definir os pontos de carga e descarga porque não temos mais sinalização. Os mototaxistas retiraram as placas e ocuparam os locais. Em muitos casos, os veículos de carga são obrigados a estacionar no corredor exclusivo dos ônibus", explica Humberto. 

O Sindicato propõe uma reunião com a prefeitura para solucionar o impasse e determinar novos pontos de carga e descarga.

Alta do dólar faz aumentar preço dos alimentos no Brasil

O aumento de preço dos produtos importados (que são cotados em dólar, e com a subida da taxa de câmbio ficam mais caros em real) e a maior rentabilidade do mercado internacional encontrada pelos exportadores brasileiros incide diretamente no aumento dos preços dos alimentos, tanto produzidos no exterior como no país.

O preço da carne, por exemplo, tem subido a passos largos nos frigoríficos e supermercados. Em Teresina, a inflação de fevereiro registrou alta de 1,34% somente na alimentação. A carne bovina de segunda foi responsável por 1,33% do total. E o pior de tudo é que os especialistas alertam que os impactos da desvalorização cambial estão longe de chegar ao fim.

Por falar nisso...

O real é a moeda que mais perdeu valor frente ao dólar este ano entre as divisas de países emergentes, segundo levantamento da "Bloomberg". Desde o início de janeiro, o real perdeu 15,6% de seu valor frente à moeda norte-americana.

 

Sesc Piauí abre seleção para 12 cargos; Veja como se inscrever

O Sesc - Serviço Social do Comércio do Piauí - abriu processo seletivo para a contratação de funcionários para os seguintes cargos:

- Auxiliar Administrativo
- Auxiliar Dentista
- Analista Administrativo
- Analista Administrativo (Artes Plásticas e Cinema)
- Analista Administrativo (Biblioteconomia)
- Analista Administrativo (Administração de Empresas Professor I)
- Analista Administrativo (Música)
- Técnico Administrativo (Dança)
- Técnico Administrativo (Conhecimento em Biblioteca)
- Professor II
- Motorista
- Instrutor Esportivo

Os interessados devem entregar as fichas de inscrição e documentos necessários entre 6 e 9 de abril, das 9h às 11h e das 13h30 às 16h, nas seguintes sedes:

Mais informações, acesse: www.pi.sesc.com.br

Sebrae e Sefaz organizam 7ª Semana do MEI em 5 cidades do PI

FOTO: Assessoria de Comunicação

Acontece no próximo mês, de 13 a 18, a 7ª Semana do Microempreendedor Individual (MEI), nas cidades de Teresina, Parnaíba, Floriano, São Raimundo Nonato e Picos. Nesta quinta-feira (26), uma oficina de capacitação com os parceiros abordou aspectos teóricos e práticos do Microempreendedor Individual que serão úteis na edição 2015.

O evento tratará de noções de como realizar o registro da inscrição estadual, limite de compras e cancelamento da inscrição estadual, emissão de nota fiscal para o MEI e ICMS nas compras dentro e fora do Estado, dentre outros pontos. A Secretaria Estadual de Fazenda está disponibilizando servidores para a Semana do MEI, com o objetivo de sanar as dúvidas. O evento servirá ainda para auxiliar no preenchimento da Declaração Anual Simplificada, efetuar serviços de baixa, formalização e alteração de registros de empreendedores, imprimir os boletos referentes às obrigações fiscais e capacitar os MEI já registrados por meio de oficinas e palestras.

De 13 a 18 de abril, o Sebrae terá postos de atendimento em seis bairros da capital: Praça Rio Branco e Shopping da Cidade, no Centro; Praça Cultural do Dirceu Arcoverde I; Praça da Telemar, no Mocambinho; Praça da Integração, no Parque Piauí; Centro Integrado da Criança e do Adolescente Cordeiro do Reino, Cincacre, na Vila Irmã Dulce; e Praça do Conjunto Giovane Prado, no Vale Quem Tem. O horário de funcionamento será de 8h às 17h, nos dias de semana; e de 8h as 12h no sábado; com exceção do Cincacre, que funcionará somente até quinta-feira, 16 de abril, de 8h00 as 16h.Ja no interior, as atividades da semana ocorrerão também na Praça da Graça, em Parnaíba; e nos escritórios do Sebrae nas cidades de Piripiri, São Raimundo Nonato, Picos e Floriano.

Deteriorado, prédio do INPS causa prejuízo a lojistas do Centro de Teresina

  • inps_predio04.jpg Reprodução/TV Cidade Verde
  • inps_predio03.jpg Reprodução/TV Cidade Verde
  • inps_predio02.jpg Reprodução/TV Cidade Verde
  • inps_predio01.jpg Reprodução/TV Cidade Verde

O prédio do INPS (Instituto Nacional de Previdência Social), o mais antigo de Teresina, representa risco para lojistas e pessoas que passam pela praça João Luís Ferreira, no Centro da cidade. A construção está deteriorada e a última vistoria foi feita em 2006, quando o Corpo de Bombeiros colocou o aviso de interdição no local. 

O prédio era de propriedade do Governo do Estado, mas foi cedido para o Banco do Nordeste, para ser a sede de um Centro Cultural, mas a ideia foi descartada por conta dos altos custos e o BNB garante que o prédio foi devolvido para o governo. Enquanto não há um proprietário definido, os estabelecimentos próximos ficam à mercê dos danos. Uma ótica localizada ao lado divide com o antigo INPS várias infiltrações. "Não existe um dono para solucionar o problema", lamenta Delma da Silva, uma das funcionárias.

Praga é encontrada e Brasil suspende importação de frutas da Argentina

O Brasil suspendeu a importação de maçã, pera e marmelo da Argentina. A restrição à compra das frutas foi adotada após ter sido identificada a presença da praga Cydia pomonella, conhecida como praga da maçã, em carregamentos procedentes do país. A medida vale a partir desta quarta-feira (25). Segundo a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, a decisão de suspender a importação foi tomada após o país vizinho se negar a autorizar a entrada de técnicos brasileiros para avaliar a situação. No Brasil, a praga foi erradicada em 2014. A suspensão das importações dá segurança aos produtores brasileiros, porque evita a contaminação das frutas e prejuízos à agricultura nacional.

“Foi com muito pesar que fizemos isso, porque somos parceiros no Mercosul. Demos tratamento técnico, da mesma forma que todos países nos dão: rigor absoluto quando o Brasil tem algum foco ou denúncia de praga ou doença. Detectamos o carregamento e não deixamos passar [pela fronteira], ficando a indicação de que temos problemas [com a praga da maçã] na Argentina”, explicou a ministra.

Famílias ficaram mais endividadas em janeiro, aponta Banco Central

O Banco Central divulgou nesta quarta-feira (25) que o endividamento das famílias brasileiras subiu em janeiro, após três meses seguidos em queda. No primeiro mês deste ano, as famílias comprometeram 46,35% da renda acumulada em 12 meses com dívidas, contra 46,21% registradas em dezembro. O serviço da dívida, a parcela do salário que as famílias destina ao pagamento de juros e de amortizações, também subiu. O indicador passou de 21,97% em dezembro para 22,09% em janeiro. O pagamento de juros passou de 9,3% para 9,4% do salário, refletindo a alta das taxas das linhas de crédito. A despesa com amortizações ficou praticamente estável, mas também aumentou, de 12,67% para 12,69%.

Sema fará palestra gratuita para tirar dúvidas sobre aposentadoria

A Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema) promoverá palestra sobre a concessão de benefícios providenciários no próximo dia 16 de abril, a partir das 9h. O foco do evento é tirar dúvidas sobre, por exemplo, a partir de quando a aposentadoria é possível, por tempo e por idade, e a possibilidade de manter o mesmo valor do salário. O evento é aberto a todos os servidores públicos de Teresina e é gratuito. A palestra será realizada no auditório da Sema, na Rua Firmino Pires, 121, Edifício Deolindo Couto, Centro da capital.

Aumento na gasolina eleva inflação em Teresina; maior aumento desde 1990

O setor de Transportes em Teresina inflacionou 7,89% em fevereiro, segundo a Fundação Cepro, elevando a inflação mensal da capital para 1,26%, comparado ao mês anterior. Outro segmento em alta foi a Alimentação, que individualmente cresceu 1,34%. Os resultados, segundo especialistas da Cepro, eram previsíveis, mas desde a mudança do Plano Real, na década de 1990, não se via uma elevação inflacionária em um único segmento como houve com o Transporte.

“Temos aí um conjunto de aumentos de tarifas ocasionados pelo reajuste feito em fevereiro nos combustíveis”, explica o diretor de Estatísticas, Elias Alves Barbosa. Além do transporte, ele afirma que um outro aumento de destaque foram nas verduras, hortaliças e frutas que elevaram o valor da cesta básica em 2,50%. “São dois produtos analisados (frutas e verduras) que tem um peso significativo na cesta básica do trabalhador brasileiro, por isso seus aumentos mexem tanto no bolso do consumidor”, descreve o servidor da Cepro.

 
O acumulado nos últimos 12 meses (mar/2014 a fev/2015) registrou alta de 8,29%

No caso especifico do grupo Transportes, o crescimento de 7,89%, esteve ligado diretamente ao reajuste de 19,05% das passagens de ônibus urbano que entrou em vigor a partir de fevereiro, ocorrido devido aumento de preço dos combustíveis (gasolina, 11,82%; óleo diesel, 9,02%; e álcool 2,11%).

Já no grupo Alimentação, que individualmente cresceu 1,34%, os elementos motivadores do aumento dos preços foram os seguintes produtos:

- Tomate (11,14%);

- carne caprina/ovina (4,45%);

- banana (4,15%);

- carne suína (3,17%);

- arroz (2,61%);

- feijão (2,02%);

- carne bovina de 2ª (1,33%)

Posts anteriores