Cidadeverde.com

Agentes descobrem túnel de seis metros em cela de presídio de Esperantina

  • Esperantina4.jpg Divulgação/Sinpoljuspi
  • Esperantina_5.jpg Divulgação/Sinpoljuspi
  • Esperantina_3.jpg Divulgação/Sinpoljuspi
  • Esperantina_2.jpg Divulgação/Sinpoljuspi
  • Esperantina_1.jpg Divulgação/Sinpoljuspi

Agentes penitenciários e policiais militares descobriram na noite de terça-feira (21) um túnel de seis metros em uma cela da Penitenciária Regional Luiz Gonzaga Rabelo, em Esperantina, a 175 quilômetros de Teresina.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciáris do Piauí (Sinpoljuspi), Kleiton Holanda, a descoberta aconteceu após agentes escutarem sons de pancadas vindos de dentro de um dos pavilhões.

"Os quatro agentes de plantão e os dois militares que cuidam da vigilância externa ouviram várias batidas no interior da parte onde ficam as celas. O vice-diretor da unidade reuniu os agentes e os militares, pediu o apoio da Guarda Militar e da Força Tática e fez uma vistoria. Tudo isso aconteceu por volta das 23h. Na cela 1 do Pavilhão B, foi encontrado um túnel de seis metros de comprimento", detalhou o sindicalista.

Segundo Kleiton Holanda, a cela onde o túnel foi cavado abrigava 11 presos. Para quebrar a laje, os detentos usaram pedaços de ferro arrancados da parede da próprio cela. Para cavar, marmitas. "O chão é úmido e fácil de ser escavado. A estrutura é muito frágil. Havia responsáveis por roubos, assaltos e tráfico de drogas. Eles passarão por um processo disciplinar e podem pegar até 30 dias de isolamento sem direito a visita e banho de sol", explicou o vice-presidente do Sinpoljuspi.

A Penitenciária Luiz Gonzaga Rabelo tem capacidade para atender 157 presos, mas abriga atualmente um total de 275. "Está acima do dobro da capacidade e temos um número insuficiente de agentes penitenciários. Tivemos êxito nesse momento, mas é preciso ter sorte para ouvir essas batidas", lamentou Kleiton Holanda.

Flávio Meireles
flaviomeireles@cidadeverde.com