Cidadeverde.com

Justiça determina e PM retira 28 famílias de terreno da Prefeitura de Esperantina

O juiz Ulysses Gonçalves da Silva Neto determinou na manhã desta quarta-feira (25) a retirada de 28 famílias de um terreno da Prefeitura de Esperantina, a 175 quilômetros de Teresina. A remoção foi coordenada pela Polícia Militar. A área será utilizada para a construção de uma creche.

A retirada das 28 famílias foi organizada pela coronel Júlia Beatriz, que relatou que não houve confrontos. "A saída das famílias foi pacífica, até porque já vinha sendo negociada há quatro meses", comentou a militar no meio da tarde desta quarta-feira.

Até o fim da tarde, a Polícia Militar pretende entregar o terreno à Prefeitura de Esperantina. Após a saída das famílias, a PM trabalha para derrubar as casas e limpar a área. 

Ao determinar a remoção das famílias do local, o juiz Ulysses Gonçalves da Silva Neto argumentou que o terreno será utilizado para a construção de uma creche para 324 crianças. Os recursos para a obra serão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal.

“Inicialmente, foi dado um prazo de dez dias para que todos fossem retirados. Mesmo assim, eles passaram quase quatro meses para sair”, informou a coronel Julia Beatriz.

Os moradores, porém, lamentaram a decisão da Justiça. Judite da Silva, de 35 anos, foi uma delas. Segundo ela, o pai, de 80 anos, tem sérios problemas de saúde e não tem onde morar. “Essa desocupação pegou a gente de surpresa e não temos onde morar agora”, declarou a dona de casa.

O desempregado Manoel Urdulino, de 34 anos, que também havia invadido o local, disse que no momento não tem como pagar aluguel porque está sem emprego. Ele morava com a atual esposa e cinco enteados. “É uma situação horrível essa que estamos passando aqui agora”, falou o desempregado.

Flávio Meireles
Com informações do jornalesp.com
flaviomeireles@cidadeverde.com