Cidadeverde.com

"Cresceu junto com nossos filhos", diz viúva de vereador sobre suspeito do crime

A viúva do presidente da Câmara de Vereadores de Esperantina, assassinado a tiros na noite desse domingo (28), Maria das Graças Carvalho, falou hoje, em entrevista ao Jornal do Piauí, que o principal suspeito de matar seu marido era íntimo da família do vereador. O homem, identificado como Jailson Xavier, freqüentava a casa do parlamentar constantemente. 

“Ele [Jailson] era considerado da nossa família. Cresceu junto com nossos filhos”, conta a viúva do vereador Antonio Aristides de Carvalho (PMDB), conhecido como Tote. Muito abalada com a morte do marido, Maria das Graças disse que jamais imaginou que Jailson teria coragem de cometer o assassinato. 

“Nem sei dizer qual o meu sentimento agora. Nunca pensei numa coisa dessa. Meu marido não merecia”, lamenta Maria das Graças. O presidente da Câmara de Vereadores de Esperantina foi morto a tiros durante uma discussão enquanto visitava sua nora. Na casa vizinha, uma briga começou e o vereador tentou apartar a confusão. O desentendimento era na residência de Jailson, que tentava agredir a esposa e o pai.

“Meu marido tentou parar a confusão, pedido para o Jailson baixar a arma. Aí nessa hora ele disse que atirava até nele e atirou mesmo”, conta a viúva. 

A prefeita de Esperantina, distante 179 km de Teresina, Vilma Carvalho, decretou luto oficial na cidade. O velório do vereador segue até às 7 horas da manhã desta terça-feira (30), na Câmara Municipal. O corpo do parlamentar será sepultado no povoado Sítio Alegre, na zona Rural do município, no local onde ele nasceu. 

Ainda ontem (28), o delegado regional da Esperantina, Anchieta Nery, divulgou uma foto do suspeito, que continua foragido, pediu que qualquer informação seja repassada à polícia. Tote Aristides estava em seu segundo mandato de vereador e tentava a reeleição neste ano. 

Izabella Pimentel (com informações da TV Cidade Verde)
Especial para o cidadeverde.com
redação@cidadeverde.com