Cidadeverde.com

Amar e ser livre

O cerne de todas as questões da sociedade mora nas relações afetivas sexuais. Repetimos padrões de sofrimento em nossas relações e reverberamos posturas e dores vida a fora. É preciso reconhecer esses pontos e experienciar relacionamentos com base na liberdade e na lealdade. Vamos evoluir?

Fazendo as pazes com o passado

A vida não tem cortes, a vida não tem a luz perfeita, o momento ideal, a vida não tem a trilha sonora que melhor embala. A vida se apresenta como ela se apresenta e vamos dentro de nossas possibilidades nos construindo. Não sabemos exatamente o que precisamos, e nos culpamos pelos erros, pelos caminhos e fugas de rota. Mas o serviço só se apresenta quando o homem está
 pronto pra servir. Vamos fazer as pazes com esse caminho?  

Quem não erra já morreu

Definitivamente somos falíveis, somos passiveis de erros, e nada, mas nada mesmo nos ensina mais que o erro. Se formos pensar bem, é de um absurdo total nossa relação com o erro, nossa exigência sobre-humana, nossa expectativa com os filhos, com os amigos, com nossos amores, colegas e até conosco. Não perdoamos quem erra, somos duros, cruéis, críticos severos. Nem mesmo nos perdoamos quando erramos. Não levamos em consideração as circunstancias os sentimentos, as dificuldades.

O ideal e o Real

Passamos a vida protelando nossos projetos em busca de um momento ideal, de condições financeiras ideais, sempre deixando  pra depois, pois não nos sentimos aptos, munidos, perfeitos. É impressionante como boicotamos nossa realização todo dia. E o que é isso? Eu respondo: MEDO!  

A Vida

"Depois de muitas quedas, eu descobri que, às vezes, quando tudo dá errado, acontecem coisas tão maravilhosas que jamais teriam acontecido se tudo tivesse dado certo. "  (Mário Quintana)

  

 

 

Vem dizer tudo de novo

"Tanta gente se esqueceu que a verdade não mudou, quando a paz foi ensinada, pouca gente escutou. Oh, meu Amigo, volte logo, venha ensinar meu povo, o amor é importante, vem dizer tudo de novo."

 

 

Isso é muito cafona

Temos uma preocupação enorme em parecermos chiques, temos verdadeiro horror de sermos brega, cafona ou coisa parecida. Corremos atrás da moda, dos objetos, dos cursos de etiqueta social, queremos nos vestir da maneira mais atual, queremos nos diferenciar a qualquer custo. Mas o que é mesmo ser cafona? Pra mim hoje ser chique é ser antenado, é ser engajado, é ser humano, é ser social, é ser gente que respeita, cuida, que não ostenta.  Não estar nesse caminho é a maior cafonice.

Conteúdo nocivo

Estamos entrando em colapso diante de tanto conteúdo nocivo. E o que é um conteúdo nocivo? Conteúdo nocivo são as fake news, a pornografia, jogos de azar, a violência, tudo aquilo que nos faz mal, que nos violenta, que nos alimenta maus sentimentos e más posturas e atitudes. Estamos recebendo altas doses de conteúdo nocivo todos os dias, e onde isso vai dar? É preciso escolher, dosar, bloquear tamanha influência,  pois nenhum ser humano é capaz de receber doses cavalares, ser exposto e submetido a tal conteúdo com tamanha violência e não acabar adoecendo.  Salvem nossas mentes  do micróbio virtual do conteúdo nocivo. Vacinem-se o quando antes.

Saia da Timeline

As conversas estão monotemáticas, as pessoas não trazem novidades de suas pesquisas, apenas passam e repassam os mesmos conhecimentos uns aos outros, todos provenientes da mesma fonte: A timeline da rede social. Os mesmos memes, as mesmas matérias jornalisticas, os mesmos sucessos, as mesmas notícias bombásticas, as mesmas fake news. De um tempo para cá a única fonte de conhecimento e informação é a rede social, fazendo de todos nós um pouco mais vazios, preguiçosos, repetitivos e levianos. Até onde nossa busca, nossa personalidade e nosso conhecimento está embotado pelos limites dessas plataformas? 

 

Certeza na dúvida e dúvida na certeza

A dúvida nos possibilita encontrar novos caminhos, novas perspectivas, mas é na certeza que somos mais seguros e felizes. Por que temos tantas certezas? E por que temos tantas dúvidas? Será que é bom ter tantas certezas nesta vida? Por que não escutamos o ponto de vista dos outros com tranquilidade nos beneficiando com a dúvida? Será que a opinião do outro abala nossas certezas? O certo é que a certeza nos oferece o chão, a segurança, mas é a dúvida que nos faz voar. Vamos equilibrar?

 

Posts anteriores