Cidadeverde.com

‘Reforma tributária será a do Congresso’, diz Ciro Nogueira

Foto Divulgação / Senado Federal

Senador Ciro Nogueira: confiante na aprovação da reforma tributária a partir de uma proposta comum do Congresso


O presidente nacional do Progressista, o senador piauiense Ciro Nogueira, vê com muito otimismo a tramitação da proposta de reforma tributária. Acha que há um ambiente propício para a aprovação (ainda neste semestre) de mudanças no sistema tributária. E, diante de diversas ofertas de reformas, tem uma ideia bem sedimentada: a proposta que será aprovada será a gerada pelo Congresso.

A afirmação tem um endereço certo: o Palácio do Planalto – ou melhor, o Ministério da Economia, onde uma proposta de reforma está sendo gestada há meses sem que dê à luz. Além do projeto que o governo promete, há ainda três outras alternativas: uma da Câmara, que já é discutida em Comissão Especial; outra do Senado, que toma como ponto de partida uma PEC com parte do caminho já percorrido; e ainda uma outra dos governadores estaduais, que vem sendo muito badalada mas que ainda não tomou corpo final.

A avaliação de Ciro é que não há uma disputa entre Câmara e Senado. Qual então será a proposta viável? “A que for votada primeiro”, diz. Mas a crença do senador é que as duas casas legislativas terminarão chegando a um texto comum. Nesse sentido, coincide com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para quem não há por que uma casa buscar o protagonismo ante a outra, já que a reforma será necessariamente das duas, pois uma PEC precisa ser aprovada por ambas.
 

Senador segue como ‘maestro da banda’

O senador Ciro Nogueira está, no governo Bolsonaro, longe de dar as cartas como nas duas gestões anteriores no Palácio do Planalto, quando era considerado um dos “cinco grandes” da República. Mas engana-se quem acha que Ciro virou vaca morta. O presidente do PP era e continua sendo um dos líderes do Centrão, ao lado de nomes como o próprio Rodrigo Maia e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

E o Centrão segue decisivo nos rumos de qualquer matéria no Congresso. Foi assim na aprovação da reforma da Previdência na Câmara e vai repetir a dose – até com mais facilidade – no Senado. Também foi crucial na votação do projeto “anticorrupção”, que coloca a Lava Jato contra as cordas. As lideranças do Centrão foram decisivas ainda para que o governo liberasse as emendas parlamentares, assim como começa a ser na ocupação de cargos estratégicos no governo federal.

Ciro segue como um dos maestros da banda.