Cidadeverde.com

Fim da unidade da Chesf em Teresina será discutida na Alepi

Foto Divulgação / Chesf

Mozart Bandeira: discussão na Assembleia sobre o fim do Centro de Distribuição da Chesf no Pìauí


Uma audiência pública discute nesta quinta-feira pela manhã (às 9h), no Plenarinho da Assembleia Legislativa, a extinção do Centro de Distribuição da Chesf no Piauí. A iniciativa é da deputada Flora Izabel (PT) e terá como principal destaque a presença de Mozart Bandeira, ex-Diretor de Operações da companhia de distribuição de energia. Mozart é um duro crítico da decisão da direção da Chesf de tirar a autonomia operacional da unidade de Teresina.

A audiência deve contar ainda com a presença de representantes dos servidores da companhia, mobilizados contra o fim do Centro de Teresina, que está marcado para o dia 31 deste mês: se a decisão for mantida, a partir de 1º de setembro o sistema da Chesf no Piauí passa a ser operado a partir da unidade de Fortaleza.

Os servidores da Chesf apontam para o que chamam de descaso absoluto com a unidade até agora responsável pela operacionalização do sistema no Estado. Segundo apurou a coluna, esse descaso se mostrou especialmente forte a partir de 2015, quando aconteceram importantes mudanças na direção da empresa. Desde então, a unidade de Teresina foi a única que não recebeu obras de melhoria e até um prédio de apoio teve suas obras paralisadas: a construção deveria custar R$ 4,5 milhões, mas estão paralisadas há cerca de 4 anos, depois do investimento de R$ 1,5 milhão.
 

Equipamentos levados para outros estados

Os servidores da Chesf em Teresina vão levar dados impactantes para a audiência pública desta quinta-feira, no Plenarinho da Assembleia. Entre as informações a serem levadas a público está a de que equipamentos comprados para a unidade do Piauí foram transferidas para outros estados, o que estaria contrário às normas internas da própria companhia.

Segundo a informação obtida pela coluna, as ODCs (ordens de compra) vinculam a aquisição dos equipamentos a cada unidade. Mas até mesmo veículos da unidade piauiense foram transferidos para o Centro de Distribuição de Pernambuco. O procedimento de esvaziamento estaria vinculada ao desmonte do Centro de Distribuição do Piauí, com o objetivo de desativá-lo. Se mantida a decisão, a unidade do Piauí só teria mais dez dias de autonomia.