Cidadeverde.com

Ibama aciona PF para investigar doações de madeira no Piauí


San Martins Linhares, do Ibama: PF vai investigar atos a pedido do novo superintendente


A polícia Federal vai investigar as doações de madeiras apreendidas pelo Ibama no Piauí, nos últimos anos. Ontem no final da tarde, o novo superintendente do órgão, San Martin Linhares, foi à PF e denunciou a existência de indícios de irregularidades nessas doações. Ao mesmo tempo, pediu a ação da Polícia Federal para averiguar a situação e particularmente o modo de atuação do servidor Francisco de Assis da Silva Araújo, que presidia a Comissão de Avaliação e Destinação de Bens Apreendidos.

Na denúncia, San Martin diz que Francisco de Assis sempre demonstrou animosidade contra o novo superintendente, que está no cargo há pouco mais de duas semanas. O novo gestor do Ibama disse ainda que chegou a pedir diversas vezes um relatório sobre as doações feitas a partir das avaliações da Comissão, mas que o servidor se negou a prestar esclarecimentos.

O desgaste chegou ao ápice nesta semana, quando o diretor do Centro de Artesanato de Teresina, chamado Jordão, foi pedir que parte da madeira apreendida fosse destinado aos artesãos, para a produção de peças artesanais. Segundo a denúncia, Francisco de Assis disse que a madeira não servia e chegou a gritar. Ao ser cobrado novamente os relatórios, o presidente da Comissão teria se exaltado ainda mais e anunciou que pedia demissão.

Na denúncia formalizada na PF, San Martin pede que os agentes federais possam investigar as doações. A suspeita é que essas doações eram feitas de forma ilícita.
 

‘Eu só quero transparência’, diz San Martin

Ao tomar conhecimento da denúncia, a coluna entrou em contato com o novo superintendente do Ibama. “Eu só quero transparência. É meu dever como servidor público, meu e de qualquer outro servidor”, disse ele. “Não entendo a recusa em oferecer o elementar, que são as informações sobre os atos da Comissão”, afirmou. San Martins acrescentou que espera que a PF evidencie as práticas a partir da investigação solicitada.

O superintendente do Ibama afirmou que está fazendo um detalhado levantamento sobre a realidade do órgão, para daí adotar ações mais objetivas. Ele diz ainda estar contente com a receptividade que teve no órgão, que considera muito boa. “Temos servidores capacitados e comprometidos. Mas esse comportamento eu não encontrei no presidente da Comissão”, ressaltou.