Cidadeverde.com

Washington chega amanhã para dizer a Firmino que é candidato

O ex-secretário de Educação do Município, o professor Washington Bonfim, estará amanhã em Teresina quando terá um encontro com o prefeito Firmino Filho (PSDB). A conversa será o canal para Washington dizer que está com o nome posto como alternativa para disputar a prefeitura da capital pelo grupo que hoje ocupa o Palácio da Cidade. A conversa acontece exatamente quando Firmino finaliza as sondagens para definir qual o perfil ideal de candidato e, portanto, a escolha do nome que representará o grupo.

Washington Bonfim sempre foi considerado pelos observadores mais próximos ao Palácio da Cidade como o candidato da preferência tanto de Firmino quando do senador Ciro Nogueira (Progressistas), que divide com o prefeito a liderança do processo de escolha do candidato do grupo. Mas o próprio Washington se afastou do processo. No final de novembro, o ex-secretário chegou a dizer para Ciro e Firmino que não contassem com ele, o que contrariou os dois líderes.

Mas a passagem do ano no Piauí reacendeu em Washington a vontade de entrar na disputa. Na oportunidade, chegou a conversar com diversas lideranças do grupo, incluindo Firmino (por telefone) e Júlio Arcoverde. Também conversou com profissionais de marketing. O ex-secretário retornou a São Paulo, onde trabalha. Mas agora vem a Teresina para deixar evidente que está na disputa.

Chega para fazer parte de uma lista que tem mais cinco nomes.
 

Uma lista com seis nomes

A lista que Firmino Filho baralha para chegar ao candidato do grupo já teve Washington Bonfim no alto, com larga vantagem. Mas o professor perdeu esse lugar diferenciado por conta de suas próprias decisões. Mas pode retomar o alto do pódio, em uma disputa interna que inclui mais cinco potenciais candidatos: Sílvio Mendes, Luciano Nunes, Kleber Montezuma, Marco Antônio Aires e Charles Silveira. Da lista, Sílvio está sem partido e Washington é filiado ao Progressistas. Os demais são do PSDB.

A agenda definida por Firmino prevê para o início de março o anúncio do candidato que vai representar o grupo. Caso Washington seja a escolha final, o ex-secretário deve mudar de sigla, se filiando outra vez ao PSDB. O prazo final para que essa mudança ocorra é o dia 3 de abril. Mas ele pode mudar até mesmo agora, já que não tem mandato e, assim, não seria afetado pela legislação.