Cidadeverde.com

Firmino parte para o ataque e protege o próprio candidato

A oposição qualificou de “desespero” as manifestações mais recentes do prefeito Firmino Filho (PSDB), quando partiu para o ataque conta os candidatos oposicionistas. Sem citar nomes, disse que os pré-candidatos da oposição não passam de “laranjas” de Wellington Dias; e que esse time de adversários estaria empenhado em sabotar a gestão municipal. Nessa discussão toda, vai reafirmando o que considera o diferencial fundamental: a gestão municipal é muito superior à do Estado.

“O Firmino parece que ficou doido”, comentou um dos pré-candidatos oposicionistas, achando que ele se esquece da discussão propositiva. Pode não ser um gesto de doidice e sim de extrema sanidade e cálculo estratégico. Mesmo que não seja consciente, Firmino realiza um movimento clássico das campanhas: o titular do cargo “compra briga” com os candidatos adversários e, com isso, gera um processo de desgastes dos opositores sem desgastar o seu próprio candidato.

Nessa discussão – em que o candidato da situação sequer existe –, o prefeito vai definindo a agenda do debate. E traz para o campo das realizações, da comparação entre gestões e da capacidade de administração dos oponentes. Enfim: como não há candidato próprio que entre nesse embate, ele mesmo entra na briga e vai qualificando os adversários. Cria o cenário para leitura do nome que deve apresentar depois do carnaval.

Ao que tudo indica, a dúvida do prefeito está restrita a dois nomes: Kleber Montezuma (secretário de Educação) e Charles Silveira (Fundação Municipal de Saúde). Sondagens qualitativas vão dar suporte à decisão de Firmino.
 

A balança oscila entre Kleber e Charles

O termômetro dos vereadores oscila a cada semana, ou de um dia a outro. Ora a temperatura aumenta em favor de Charles Silveira. Ora mostra o aquecimento do nome de Kleber Montezuma. Na primeira quinzena de fevereiro subiu a cotação do presidente da Fundação Municipal de Saúde. Mas na última semana os vereadores viram a temperatura favorendo ao secretário de Educação. “Pelo que ouvi nesses últimos dias, acho que está mais para o Kleber”, disse um vereador.

O certo é que Firmino vai ele mesmo oscilando nos sinais. Em uma semana abraça uma série de eventos mais relacionados à Saúde, o que passa ser lido por muitos como uma tendência ao nome de Charles. Na semana seguinte ele concentra atos na área de educação, com elogios a Kleber que fazem a balança parecer pendendo para o secretário de Educação. No fim das contas, o que transparece mesmo é que Firmino ainda não sabe quem é seu escolhido.

Enquanto isso, vai fortalecendo a imagem da gestão e desqualificando os adversários.