Cidadeverde.com

Diretor da FIEPI elogia medidas de isolamento, mas pede ajustes

Com o setor industrial paralisado “quase 100%”, a Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI) defende uma avaliação do alcance dos decretos de limitação das atividades sociais em Teresina e no Piauí. O diretor de Assuntos Econômicos da FIEPI, ex-senador Freitas Neto, elogia a ação tanto do governo do Estado como da Prefeitura da capital. “São medidas necessárias. As evidências mostram que o isolamento social é fundamental para o controle da pandemia. Mas é importante uma avaliação que permita ajustes a cada realidade”, diz ele.

Os decretos editados pelo governador Wellington Dias e o prefeito Firmino Filho restringiram amplamente as atividades econômicas, excluindo poucos setores, como o de alimentação e de bebidas não alcoólicas. Freitas Neto ressalta que o impacto sobre a área de serviços, por exemplo, é quase total. “No caso dos informais, aí o impacto é terrível”, acentua. Ele chama também atenção para a construção civil, também paralisada. Observa ainda que a construção é um dos setores mais importantes pela capacidade de empregar.

No entendimento de Freitas Neto, os decretos foram um importante ponto de partida no esforço de conter o coronavírus. Mas lembra que estados como São Paulo não adotaram limitações tão abrangentes: lá a indústria segue funcionando em grande parte, incluindo a construção civil. Essa preocupação do diretor da FIEPI se apóia em providências tomadas pela agência de habitação de São Paulo, onde as empresas de construção seguiram funcionando com a adoção de medidas de controle mais severo. Lá, os maiores de 60 anos foram liberados, assim como trabalhadores com doenças que geram alguma vulnerabilidade. Mas seguem trabalhando.

Freitas Neto considera que as medidas foram adotadas como uma necessária reação do Estado no enfrentamento da pandemia. “Repito: eram necessárias”, destaca. Mas acredita que o alcance das medidas pode ser avaliado sistematicamente, ajustando o alcance em função do avanço da situação do coronavírus e das especificidades próprias do Piauí.