Cidadeverde.com

'Flexibilização inteligente' em SP é acompanhada por todo o Brasil

O estado de São Paulo inicia na próxima segunda-feira um processo gradual de flexibilização com critérios diversos que adotam ritmos diferentes por região e por atividade econômica. O modelo, que está sendo batizado de “flexibilização inteligente”, chama atenção dos demais estados no momento em que a ideia de retomada das atividades não essenciais ganha corpo em praticamente todo o país. Dependendo dos resultados, pode servir de modelo para as demais unidades federativas.

Um dos pontos de destaque é a criação de “cinco fases” que estão relacionadas diretamente à realidade sanitária. O plano de flexibilização anunciado pelo governador João Dória veio junto com uma ampliação da quarentena – que vai até dia 15. Mas a flexibilização matiza essa quarentena, sobretudo em algumas áreas do estado em que a pandemia é considerada já razoavelmente controlada e com perspectiva de declínio. Conforme o quadro sanitário, cada região do estado é classificada em uma das fases definidas pelo plano, o que leva a um determinado nível de retomada das atividades econômicas.
 

Confira as 'fases' da flexibilização

Todos esses critérios adotados estão sendo observados pelos demais estados com muita atenção. Confira cada fase do plano paulista.

• Fase 1, ALERTA MÁXIMO: é a fase atual de quarentena, com contaminação em nível elevado e funcionamento apenas dos serviços essenciais. Permanecem nessa situação as cidades da Grande São Paulo (excluída a capital), da Baixada Santista e da região de Registro.
• Fase 2, CONTROLE: é quando a pandemia está em fase de atenção e é possível a liberação pontual de atividades econômicas (incluindo concessionárias, imobiliárias e setores do comércio). Entram nessa fase, por exemplo, a cidade de São Paulo e as regiões de Campinas e Marília.
• Fase 3, FLEXIBILIZAÇÃO: é a etapa em que uma determinada área apresenta maior controle da pandemia e há maior liberação de atividades. Regiões como a de Barretos já passam para esta fase na segunda.
• Fase 4, ABERTURA PARCIAL: é quando a pandemia está em claro declínio e ficam bem reduzidas as limitações às atividades econômicas. Nenhuma região chegou a esta etapa ainda.
• Fase 5, NORMAL CONTROLADO: a doença está sob controle e todas as atividades são liberadas, ainda que mediante protocolos. Obviamente, no momento também não inclui nenhuma região.