Cidadeverde.com

Pandemia também atrasa eleição de reitor da UFPI

Foto Arquivo / Glenda Uchoa

Reitor Arimateia Dantas: mandato termina em novembro e UFPI terá que eleger novo gestor

A pandemia do coronavírus, que já levou ao adiamento de eleições em 9 países da América Latina, está prestes a provocar a mudança de data das eleições municipais brasileiras deste ano. Mas no Piauí uma outra eleição, que deveria ter acontecido em maio, está em compasso de espera: a que vai definir a lista tríplice para escolha do novo reitor da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

O segundo mandato do reitor Arimateia Dantas termina em novembro. Até lá a UFPI precisa ter uma lista tríplice encaminhada ao Ministério da Educação para que seja escolhido o novo gestor da universidade do Piauí. Normalmente a eleição acontece em maio do ano de troca de mandato. Os movimentos de pré-candidatos começaram ainda no segundo semestre do ano passado, mas foram interrompidos logo nas primeiras semanas de retorno das aulas em março, em razão da interrupção das atividades nos campi da Federal por conta da pandemia do novo coronavírus.

A UFPI ainda discute a retomadas das atividades, mas o movimento de professores já ressurge na discussão do processo sucessório. Um deles está ligado à própria liderança do atual reitor, que em outubro anunciou quem era seu candidato de preferência: o Pró-Reitor de Planejamento André Macedo, que desbancou a vice-reitora Nadir Nogueira como opção dentro do grupo à frente da Reitoria. Chapas de oposição se articulam. Uma delas tem como referência o nome do professor Gildásio Guedes. Outras duas chapas devem surgir, uma representando a esquerda e outra aglutinando os setores mais à direita com identificação bolsonarista.

Logo que retorne às atividades normais, a UFPI deve definir o cronograma para a eleição direta que vai nortear a composição da lista tríplice a ser encaminhada ao MEC.
 

Reunião dia 15 discute retomada das atividades

O reitor Arimateia Dantas marcou para o dia 15 uma reunião que deve definir os protocolos e um cronograma para retomada das atividades normais na UFPI. A reunião, que deveria ter acontecido hoje, de forma virtual, foi adiada em função das próprias indefinições no Estado sobre o ritmo de retomada de atividades que geram aglomeração. A discussão vai contar com representantes da Administração Superior (Reitoria, Pró-Reitorias), diretores de centros, coordenadores de cursos e chefes de departamento.

O encontro vai definir procedimentos prévios para que a UFPI esteja preparada para o reinício das atividades tão logo as medidas de flexibilização sejam adotadas pelo governo do Estado e prefeituras municipais onde a universidade mantém campi. Além disso, a UFPI segue diretrizes do MEC, que encaminhou orientações às universidades ainda em março, tendo em conta as determinações do Ministério da Saúde.