Cidadeverde.com

UFPI tem duas reuniões que definem futuro da universidade

A Universidade Federal do Piauí realiza hoje e amanhã duas reuniões que definem muito do que acontecerá na instituição pelos próximos meses e até mesmo pelos próximos anos. No primeiro encontro (sempre de forma virtual), a UFPI decide como vai retomar as aulas ainda no período de restrições estabelecidas por conta da pandemia do novo coronavirus; e no segundo, vai ser definido o calendário para consulta à comunidade universitária para eleição do novo reitor da Federal do Piauí.

A primeira reunião acontece hoje pela manhã, quando o reitor Arimateia Lopes Dantas ouve a Administração Superior (pró-reitores e órgãos de assessoria da Reitoria), diretores de Centros, coordenadores de curso e chefes de departamentos. O objetivo é a retomada nos cursos de graduação das aulas (ainda de forma remota) do semestre interrompido em março. Também vai ser discutido o possível calendário do chamado período 2020-2 (segundo semestre derste ano), já em um cenário pós-pandemia. Essa retomada depende de diretrizes do MEC e das medidas adotadas pelo governo do Estado e pelos municípios onde a UFPI tem campus.

Amanhã a reunião será sobre o processo de escolha do novo reitor da UFPI, já que este segundo mandato de Arimateia se encerra em 18 de novembro. Conforme as regras do MEC, a universidade deve enviar a lista tríplice pelos menos 60 dias antes do fim do mandato do gestor, de onde o ministério escolhe o novo reitor. A ideia inicial é realizar a consulta à comunidade universitária em meados de agosto, para daí sair a lista tríplice. A reunião vai definir as regras, incluindo como será constituída a lista tríplice.

Há pressão para que a lista será composta pelos três mais votados na consulta. Em outros anos, a UFPI escolhia apenas o mais votado e acrescentava mais dois nomes segundo vontade particular do Conselho Universitário.
 

Aulas já retomadas na pós-graduação

Os cursos de pós-graduação da UFPI retomaram as aulas no dia primeiro de junho, na forma de ensino remoto. O reitor Arimateia Dantas explica que isso foi possível pela facilidade no treinamento do grupo de professores e pelo acompanhamento mais direto dos alunos, em menor número que na graduação. Esse mesmo tipo de raciocínio foi adotado para os cursos técnicos, que tiveram as aulas (remotas) retomadas dia 25 de maio.

No caso dos cursos de graduação, o treinamento de professores está sendo realizado atendendo a estratégias por Centro. Na primeira semana de junho foi realizado uma sequência de seminários distribuídos em quatro dias de atividades, voltados para a preparação docente. A UFPI também tem a preocupação com o nível de inclusão digital dos alunos, já que muitos têm acesso limitado à internet. Em muitos casos, são alunos que usam apenas o celular e acessam a internet somente em espaços onde há wi-fi disponível. Tais condições limitam o aproveitamento do aluno.