Cidadeverde.com

Dez estados registram falta de medicamentos para pacientes em UTI

Pelo menos dez estados iniciam a semana contabilizando problemas com a falta de oito ou mais tipos de medicamentos específicos para o tratamento de pacientes internados em UTI por conta da Covid-19. As informações são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Piauí não aparece na lista – ao contrário, está entre os seis que são apontados como "completamente abastecidos". Apesar da informação do Conass, o diretor do Hospital Getúlio Vargas, Gilberto Albuquerque, manifesta preocupação com a reposição dos medicamentos.

O Ministério da Saúde relaciona 22 remédios diferentes para tratamento de pacientes com Covid-19 que estejam intubados. A expectativa do Ministério é que até quarta-feira o problema esteja resolvido. Mas a situação é especialmente preocupante nos dez estados em que faltam pelo menos oito medicamentos diferentes:
• Mato Grosso: faltam 13 diferentes medicamentos para tratamento em UTI.
• Ceará e Maranhão: registram a ausência de 12 tipos.
• Amapá e Tocantins: são 11 os remédios em falta.
• Rio Grande do Norte: contabiliza a falta de 10 medicamentos.
• Roraima, Amazonas e Bahia: os três estados apontam, cada um, a falta de 9 remédios.
• Pernambuco: contabiliza a falta de 8 medicamentos específicos para tratamento em UTI. 

Alguns estados registram a falta de menos que cinco medicamentos, sem o risco de colapso no fornecimento das unidades hospitalares. Um desses estados é São Paulo. O levantamento do Conass também aponta as unidades federativas que estão “completamente abastecidas”. Além do Piauí, estão nessa lista Alagoas, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Sergipe.
 

Reabastecimento preocupa diretor do HGV

Apesar do Piauí figurar na lista de estados “completamente abastecidos”, a necessidade de reposição preocupa o diretor do Hospital Getúlio Vargas, Gilberto Albuquerque. Ele não vê o risco imediato de falta de medicamento, mas adverte para a alta demanda desses remédios específicos para o atendimento de pacientes internados em UTI. Além da demanda própria dos hospitais do Piauí, há uma crescente procura por unidades hospitalares de outros estados, o que gera uma concorrência direta.

Segundo Dr. Gilberto disse à TV Cidade Verde, é importante uma preocupação preventiva sobretudo quando boa parte dos estados apresenta problemas de abastecimento. Quanto à reposição, o Ministério da Saúde informou ao Conass que um novo lote desses medicamentos deve chegar até a próxima quarta-feira. O lote deve cobrir as necessidades dos hospitais no atendimento aos casos mais graves de Covid-19.