Cidadeverde.com

Brasil ainda se pergunta quando deve alcançar o platô

Na quinta-feira, o prefeito Firmino Filho foi categórico: Teresina alcançou o platô e deve manter uma regularidade em julho para depois entrar em declínio em agosto. A fala do prefeito foi feita em função dos dados de pesquisa sorológica. Mas há também estudiosos que apontam para o temor de cidades que são referência no atendimento à saúde – no Piauí, é o caso de Teresina, Parnaíba, Picos etc – sofrerem o que chamam de "efeito bumerangue", com renovação da força da pandemia do novo coronavírus. No âmbito nacional, há regiões que mostram estabilidade e outras que explodem. E fica a pergunta: quando mesmo deveremos atingir o platô?

A pergunta esbarra em um fenômeno já apontado por especialistas de instituições como a Fiocruz e a USP: o Brasil tem de fato várias pandemias. Um exemplo é o que acontece na região Centro-Oeste e especialmente em estados como Mato Grosso do Sul. Há um mês, parecia que o Mato Grosso do Sul desconhecia a pandemia: os casos eram poucos e o nível de ocupação das UTIs era de menos de 20%. Hoje o estado viu os números de casos se multiplicarem por dez e o sistema de saúde se aproximar do colapso.

No geral, a região Centro-Oeste viu os números de casos crescerem 191% em apenas três semanas – contra 52% no Sudeste. A pandemia mostra força redobrada também na região Sul, que talvez já enfrente sua segunda onda, com aumento de mais de 100% dos casos em três semanas. E isso tudo mostra que o Brasil (ver gráfico abaixo), com um salto de 54% nos casos entre 8 ne 28 de junho, mantem uma curva que não dá sinais claros de estabilização. Nos últimos três dias os números de casos e óbitos foram especialmente elevados.

Pode até ser o platô, quando os casos se mantêm elevados, mas constantes. Porém, somente os próximos dias poderão nos levar a considerar esse fato como estabelecido.
 

Piauí teve semana de muitos casos diários

O sábado encerra a “Semana Epidemiológica”, recorte de tempo utilizado pelo setor de saúde para medir a ocorrência de determinados episódios sanitários. E a semana que termina hoje mostrou dados muito elevados para a pandemia do novo coronavírus no Piauí e em Teresina. No estado, foram vários dias de recorde tanto em número de casos de infecção como na contabilização dos óbitos. Também aqui permanece a dúvida: quando o Piauí alcançará o platô?
Em três semanas (entre 8 e 28 de junho) registramos aumento de quase 150% no total de infectados, um aumento que em Teresina foi de quase 120%. Os gráficos (ver abaixo) evidenciam que a situação ainda é preocupante e vai cobrar um empenho muito especial da população no que diz respeito ao esforço final para retomada das atividades não essenciais. Até amanhã segue o lockdown reforçado, com a expectativa de que na segunda-feira possamos ter retomadas as atividades de alguns setores, de forma parcial e gradual.
Evolução diária dos casos de coronavírus no Brasil.


Evolução diária dos casos de coronavírus no Piauí.