Cidadeverde.com

Esquerda enfrenta desafio para disputa presidencial de 2018


Heloísa Helena defende Marina Silva como candidata à presidência da República em 2018

 

Com candidatos de referência em todas as 7 eleições presidenciais desde a redemocratização – cinco vezes Lula e duas vezes Dilma –, a esquerda  e a centro-esquerda brasileiras  enfrentam grandes desafios com vistas à disputa de 2018. Não há um nome que seja alçado à condição de referência, nem um esboço de aliança de forças à esquerda, tampouco um discurso que, pelo menos por enquanto, encante as massas.

A declaração da ex-senadora Heloísa Helena, negando qualquer articulação prévia com o PT e outras siglas da ala esquerda, é reveladora do quadro. E acrescentou: Marina Silva, a líder da Rede, deve ser mesmo candidata a presidente. Nas andanças que faz pelo Brasil, Heloísa badala e defende a candidatura de Marina e empunha o receptivo discurso anti-Temer.

As esquerdas contam, de início, com alguns nomes colocados na estrada que leva a 2018. Lula é o que desponta em qualquer cenário, principalmente pelo apelo popular e pela capacidade de agregar boa parte do espectro à esquerda. Mas apostar todas as fichas em Lula implica em riscos, tanto pela questão da idade quanto (e principalmente) pela insegurança jurídica.

Lideranças do próprio PT não deixam de dar corda em Ciro Gomes (PDT), que já disputou a presidência duas vezes. Ciro poderia ser uma alternativa, ainda que seu esquerdismo seja séria e justificadamente questionado. Ele tem algum recall. Uma imagem de “sou diferente”. E tem telegenia (é bom de TV). Mas também um pavio curto que assusta até os aliados mais próximos.

Marina também aparece bem nas pesquisas, talvez mais pelo recall das duas últimas disputas – em ambas ficou em terceiro – do que pelo suporte político-partidário que inspire.  Além disso, o discurso pouco maleável limita a possibilidade da ex-senadora atrair segmentos até mesmo de centro, fundamental para qualquer um que deseje ser presidente deste país.

Por enquanto, a corrida presidencial está na etapa de resistência, aquela que define quem vai para o sprint final. Nesta fase, Lula fez até vídeo mostrando que está cuidando do físico para ter melhores condições. Se Lula será candidato ou não, só o tempo vai dizer, já que diversos fatores interferem nessa decisão. Mas a ação do líder petista, no mínimo, vai cumprindo a tarefa de manter acesos os sonhos da centro-esquerda.