Cidadeverde.com

Atila pode trocar o PSB de Wilson pelo PSDB de Firmino


Deputado Átila Lira: hoje no PSB, pode retornar ao ninho tucano em 2018

 

O deputado Átila Lira está sendo cortejado pelo PSDB, e pode trocar de partido em tempo hábil para disputar a reeleição em 2018 pela nova sigla. Os acenos para Átila estão sendo feitos a partir da direção nacional tucana, mas têm – claro!!! – o aval do PSDB piauiense e especificamente do prefeito Firmino Filho.

Os acenos ainda não passaram de flerte. Mas não quer dizer que Átila desdenhe de uma nova troca partidária. Muito pelo contrário: a mudança é levada muito em conta. O deputado, porém, não tem pressa. Se trocar de sigla, isto só ocorrerá no início de 2018. A questão é que não deseja dar um salto no escudo: quer antes ver o cenário pré-eleitoral para definir que rumo tomar.

Hoje, o PSB nacional atravessa um momento delicado. Dois estados dão as cartas no partido: Pernambuco, onde tem o governador e o símbolo (e a família) de Eduardo Campos; e São Paulo, onde tem o vice-governador Márcio França, com perspectivas de assumir o Palácio dos Bandeiras, se Geraldo Alckmin sair para disputar a presidência.

Átila tem relação mais próxima com o grupo de França, o que pode ajudar a mantê-lo no PSB, que tenderia a apoiar uma possível candidatura Alckmin ao Planalto.

No caso do PSDB, o partido vê a disputa interna entre três lideranças, todas com sonhos presidenciáveis: o próprio Alckmin, José Serra e Aécio Neves. Se a refrega doméstica levar à fragilização do partido, pode afastar Átila (e outras lideranças Brasil afora) do ninho tucano. Mas isso tudo só vai ficar claro mais adiante: lá para o carnaval de 2018.

 

Mudança seria um retorno ao ninho

A mudança não levaria Átila Lira para um lugar desconhecido. O deputado já foi filiado ao PSDB. Chegou ao ninho tucano no início de 1999, ainda quentes os resultados das urnas do ano anterior, quando conquistou mais um mandato na Câmara Federal pelo PFL. Foi pelo PSDB que conquistou novos mandatos, em 2002 e 2006.

Logo em seguida o deputado mudaria de partido, desembarcando no PSB, que estava sob o comando de Wilson Martins, também oriundo do tucanato. Com Wilson, Átila foi reeleito para a Câmara em 2010 e 2014, além de ocupar no governo socialista a principal pasta da máquina administrativa estadual, a Secretaria de Educação.