Cidadeverde.com

Após ‘DR’ do sábado, Ciro e Wellington já riem juntos em público


Ciro, Themístocles e Wellington, risonhos na festa do PP: o riso de hoje vale para amanhã?

 

Ainda não dá para dizer que a relação voltou ao normal, tampouco se algum dia voltará. Mas a tensão dos últimos dez dias, entre Palácio de Karnak e PP, virou distensão após o encontro do sábado entre o governador Wellington Dias e o senador Ciro Nogueira. Ao que tudo indica, a “DR” do sábado ajudou a desanuviar o clima e, pelo menos por enquanto, evitar o pior. Tanto que Wellington esteve na festa do PP, nesta segunda-feira, na maior descontração.

Em pleno palco do Cine Teatro da Assembleia Legislativa, Ciro e Wellington – junto com o terceiro vértice do triângulo da reforma do secretariado, o peemedebista Themístocles Filho – riram fartamente. Quase reconciliação. E em trio.

O que uma “DR” bem conversada não faz!!

Ainda existe resquícios dos desencontros, naquele clima em que uma das partes faz jogo duro, qual mulher traída que aceita a reconciliação mas, para manter a estima, espalha para as amigas: “Agora é do meu jeito”. Ou, como diria Ciro Nogueira: “A gente quer ser respeitado”.

Se depender dos sorrisos largos desta segunda-feira, pode ser que logo, logo tudo esteja como antes, num romance sem ressalvas nem senões. Mas também é sempre bom ficar com as barbas de molho, porque – ainda recorrendo as ditados que cabem inclusive para as relações amorosas –, porcelana trincada nunca mais é a mesma.

Sim, eu sei: esses ditados não se ajustam bem à política, onde porcelanas quebradas se recompõem depois e são utilizadas em repetidos encontros festivos. No maior romantismo.

O que tirou um tanto da força dos sorrisos de Wellington e Ciro, no evento do PP, foi o tom tucano da festa. Todo o tucanato estava presente, inclusive técnicos de segundo e terceiro escalão da Prefeitura de Teresina. Riam em risos largos, indiferentes à DR do sábado. Isso é suficiente para indicar um toque que, se não chega a ser oposicionista, pelo menos não é automaticamente governista.

Convém ficar atento aos próximos passos, os que serão pisados pelo caminho que avança pelo próximo um ano e meio, até as convenções que vão definir os times que realmente entrarão na disputa da eleição de 2018. Aí vamos ver quem estará ao lado de quem, e com que sorriso.

Nesse caso, vale o ditado: quem ri por último, ri melhor.