Cidadeverde.com

Custa caro ser magro? Endocrinologista Wallace Miranda diz que não


Dr. Wallace Miranda: contra a obsidade, vontade e disciplina

 

Mais da metade dos brasileiros enfrenta problemas de sobrepeso, reforçando o entendimento de que a obesidade se tornou um problema de saúde pública não só aqui, mas em todo o mundo. E um dos grandes desafios conseguir controlar o peso, enfrentar a obesidade de forma efetiva. Para boa parte dos que enfrentam esse problema, ser magro é um desafio não apenas difícil mas também muito caro, exigindo alimentos especiais e academia.

O endocrinologista piauiense Wallace Miranda, que tem doutorado na USP, pensa diferente. Não, não custa caro ser magro – disse ele em entrevista hoje ao Acorda Piauí, na rádio Cidade Verde. Ser magro é muito mais uma questão de vontade e disciplina.

O médico adverte que a obesidade gera uma série de outros problemas, como menor longevidade e maior risco de diversas doenças, entre elas o diabetes. Reconhece que o problema está muito relacionado com o estilo de vida, que oferece facilidades que reduzem os exercícios físicos – ninguém se mexe nem para trocar de canal de TV, lembra – e alimentação nada saudável, como os refrigerantes tão presentes na vida das pessoas.

Wallace observa que no Japão há poucos obesos, por conta de uma vida regrada e alimentação saudável. Mas os japoneses que vivem nos Estados Unidos, por exemplo, enfrentem os mesmos problemas dos norte-americanos, já que se submetem ao estilo local, inclusive aderindo à dieta fast food comum no país.

O fast food, aliás, é um dos grandes responsáveis pela obesidade. E perder peso tem sido um suplício para milhões de pessoas.

Mas Wallace Miranda acredita que é possível perder peso sem grandes sofrimentos e sem gastar rios de dinheiro. “Não é caro ficar magro”, disse em resposta a uma pergunta do comunicador Joelson Giordani. Ele orienta os clientes a fazerem alguns esforços para conseguir manter o corpo em forma.

— Eu recomendo que as pessoas se movimentem. Por exemplo: se vai pegar água na hora do trabalho, pega água no andar de cima. Subir um lance de escada já ajuda – diz ele.

Acrescenta que o grande desafio para manter o corpo em ordem é vontade e disciplina. Em suma: cuidar do corpo, o que implica em mais cuidado também com a alimentação.