Cidadeverde.com

Pesquisa avalia Rodoviária após passar para administração privada


Rodoviária Lucídio Portela: avaliação dos serviços depois que passou à gestão privada

 

A Superintendência de Parcerias e Concessões do governo do Estado realizou pesquisa de avaliação dos serviços prestados na Rodoviária Lucídio Portella, que há pouco mais de um passou a ter administração privada. A administração está a cargo da empresa Sinart, constituindo a primeira Parceria Público-Privado (PPP) feita pelo Estado. O resultado da pesquisa aponta para elevação dos índices, mas ainda com pontos a melhorar.

A pesquisa visa precisamente estabelecer parâmetros, levando à cobrança de melhoria em indicadores que a Supertintendência considerar que carecem de mais qualidade. A consulta ouviu 400 pessoas, de 10 a 12 de março passado. Entre outras coisas, a pesquisa procurou saber as demandas apontadas pelos usuários. Do total, 19,62% afirmam que gostariam de mais segurança no terminal. Outros 16,99% pedem uma agência bancária no local e 11,02% defendem gratuidade para o acesso à internet (serviço wi-fi).

Quanto às condições atuais de funcionamento da Rodoviária, foram avaliados itens como comunicação visual (sinalização), sanitários, segurança, limpeza, estacionamento e sinalização específica das áreas de embarque e desembarque.

No aspecto geral, a limpeza teve uma avaliação de ótimo, bom e regular da ordem de 79% (o indicador agregado, com as três valorações, está no relatório da pesquisa, sem fragmentação de percentual para cada item). Ainda na avaliação geral, a segurança soma 57%, também incluindo regular, bom e ótimo. A comunicação visual chega a 56%, somando-se os três itens.

A respeito dos sanitários, a limpeza tem avaliação de 54%, na soma de regular, bom e ótimo. O aspecto geral dos sanitários alcança 50% na soma dos três itens. Quanto ao estacionamento, a limpeza soma 60% nos três indicadores e a segurança alcança 38%, também na soma de regular, bom e ótimo.

A pesquisa será disponibilizada na próxima segunda-feira, no site do governo do Estado. Avaliação semelhante foi realizada nos terminais rodoviários de Floriano e Picos, também administrados por empresa privada.