Cidadeverde.com

Seca vai aumentar demanda por carro pipa, diz Coronel Nixon


Tenenete-coronel Francisco Nixon: preocupação com o agravamento da seca no estado do Piauí

 

O Piauí vive uma perspectiva preocupante em relação à seca que já entra em seu sétimo ano. E um dos primeiros programas a sentir os efeitos desse problema é o que faz a distribuição de água através de carros pipa. Hoje, 65 municípios são atendidos por carro pipa, um número que seguramente vai aumentar e pode se aproximar dos 100 municípios.

Quem aponta essa perspectiva é o comandante do 25° Batalhão de Caçadores (25 BC), tenente-coronel Francisco Nixon. O Exército é o responsável pela operacionalização do programa de carros pipa no Piauí. E o coronel Nixon está certo que a demanda aumentará muito nos próximos meses.

Essa convicção tem razões objetivas. Primeiro, que o Piauí está chegando ao sétimo ano de baixa precipitação. Além disso, o ciclo chuvoso que acaba de ser concluído não garantiu o acúmulo de água nas principais barragens do semiárido piauiense. Para se ter uma ideia, barragens como Petrônio Portela, em São Raimundo Nonato, tem apenas acumulado 7% da capacidade. Em Piaus, a situação é ainda pior, com água correspondente a apenas 5% da capacidade.

A redução da água disponível vai gerar custos adicionais. Conforme explica o coronel Nixon, alguns mananciais vão se esgotar e os pipeiros terão que buscar abastecimento em lugares mais distantes. Ao invés de 20 ou 40 km, a água será buscada em distâncias de até 80 km – o que implica em mais tempo e mais combustível, por exemplo.

No link abaixo, ouça a íntegra da entrevista do tenente-coronel Francisco Nixon, concedida ao Acorda Piauí, da rádio Cidade Verde.