Cidadeverde.com

PTC e PCdoB apostam em dois deputados federais em 2018


Encontro das direções do PTC e PCdoB: início de uma aliança que olha para 2018 sonhando muito alto

 

Na semana passada, as direções do PTC e PCdoB no Piauí se reuniram para anunciar uma pré-aliança com vistas às eleições de 2018. Aos poucos, os dois partidos vão revelando o tamanho do sonho que embalam. E não é pequeno: numa aliança que ainda pode ser ampliada pelo PR, PRB, Podemos e PRTB, a meta é fazer dois deputados federais e uns cinco deputados estaduais.

Um dos principais responsáveis por essa costura política é o presidente do PTC, deputado Evaldo Gomes, candidato a permanecer com uma cadeira na Assembleia estadual. Evaldo coloca na ponta do lápis a expectativa de votação e projeta cerca de 300 mil votos na chapa federal.

Vale lembrar, o cociente eleitoral – votação mínima necessária para que partido ou coligação assegure pelo menos um deputado eleito – é projetado em cerca de 170 mil votos. Os 300 mil votos sonhados por Evaldo deixaria um extra de 130 mil votos, sobra vista como suficiente para uma segunda vaga de deputado federal.

Para perseguir essa meta ousada, a aliança pretende estar recheada de nomes fortes.

O PR deve agregar à chapa o deputado Fábio Abreu, que tende a deixar o PTB. O Podemos terá Silas Freire, assim como o PCdoB colocaria na chapa Osmar Júnior e o PTC o ex-prefeito Marcos Vinícius. O PRB pode ter o deputado Gessivaldo Isaías ou o vereador Levino de Jesus. Por sua vez, o PRTB também deve oferecer nomes à chapa – o líder do partido, deputado Fernando Monteiro, deve seguir disputando vaga na Assembleia, assim como Fábio Xavier, do PR, e o próprio Evaldo.

A reunião de sexta-feira passada foi o pontapé inicial de uma articulação que sonha alto. O próximo passo será a consolidação das articulações com as demais siglas, além de PTC e PCdoB. Em comum, essas siglas têm o guarda-chuva do governo estadual: todos apoiam a reeleição de Wellington Dias ao Karnak.