Cidadeverde.com

Piauienses disputam festival de música em Brasília

Zé Roraima: cantando em ritmo de fado os laços que unem Piauí e Portugal

 

Uma canção da dupla piauiense Zé Roraima e Paulo José Cunha está na disputa em festival de música em Brasília. E a novidade é mesmo a canção selecionada: um fado. No mais tradicional ritmo português, os dois resgatam a relação entre Piauí e Portugal na composição Amarantes.

O Festival está agora em uma etapa onde a participação popular via internet é quem decide os finalistas da disputa. Não por acaso, a comunidade piauiense em Brasília está em campanha para conseguir votos para a música de Zé Roraima e Paulo José – que na lista aparece lá no final, pela ordem alfabética dos intérpretes: o Z de Zé Roraima empurra a canção para o penúltimo lugar.

A composição faz um gostoso jogo de palavras, entrelaçando coisas de cá e de lá. Esse jogo está presente já no título: Amarantes. A cidade? Ou simplesmente amar antes? Ambos.

A costura poética que entrelaça Piauí e Portugal une nossos rios, nossas cidades, nossa crença comum. E falam festejam “duas terras distantes/ de amantes e amarantes/ de Oeiras e Portugais”.

 

Amarantes

Pra onde vão essas lágrimas,
filhas da Pedra do Sal,
que brotam lá do sertão
e correm pro mar imenso,
herança de Portugal?

Debaixo do mesmo Deus,
sob a espada e a cruz, 
o Parnaíba e o Tejo
entre Amarantes e Oeiras, 
refletem a mesma luz. 

E do suor dos mafrenses,
navegantes, piauienses,
e da saudade das noivas
que ficaram por casar 
nasceu o sal deste mar 
que separa e aproxima
duas terras distantes
de amantes e amarantes
de Oeiras e Portugais. 

(Pra onde vão essas lágrimas...)
Eu sei de onde elas vêm
e aonde vão nos levar 
do Atlântico Oceano, 
do sertão que já foi mar
do mar que vai ser sertão...
Piauí, Portugal
Piauí, Portugal...