Cidadeverde.com

Rejane Dias assume mandato para definir emendas


Deputada Rejane Dias: rápido retorno Câmara Federal, com o foco específico nas emendas parlamentares

 

A deputada federal Rejane Dias (PT) deve voltar na quarta-feira à Câmara Federal, reassumindo o mandato que conquistou em 2014. Mas será um retorno breve, apenas para cuidar das emendas parlamentares que deseja ver contempladas no Orçamento de União para 2018.

Com a ida para Brasília, dona Rejane deixa momentaneamente a Secretaria de Educação, que comanda desde janeiro de 2015. Mas como está mesmo focada é na educação do Estado, o afastamento não chegará a uma semana: a previsão é que a deputada esteja de volta à secretaria já na próxima segunda-feira.

O afastamento é só para que, como deputada titular e em pleno exercício do mandato, ela possa exercer o direito de definir a aplicação dos recursos das emendas parlamentares. O foco será o setor de saúde (por lei, metade dos recursos das emendas deve ser para políticas públicas nessa área) e a educação, setor que no Piauí está hoje sob a responsabilidade da deputada.

Rejane Dias tem algumas preocupações específicas. No orçamento deste ano, por exemplo, ela destinou recursos de suas emendas parlamentares para a construção do Centro de Reabilitação de Parnaíba.

 

Sem votar na denúncia contra Temer

O rápido afastamento de Rejane Dias da Secretaria de Educação não será suficiente para que vote a denúncia contra o presidente Michel Temer. Mesmo que a denúncia seja votada na CCJ ainda nesta quarta-feira, não terá o voto da deputada piauiense: como estava licenciada do mandato na Câmara, ela não integra a comissão.

Há ainda a possibilidade da denúncia ser apreciada em plenário na próxima semana. Mas aí a deputada já terá retornado às suas atividades na Secretaria de Educação.

O secretário de Segurança, deputado Fábio Abreu (PTB) anunciou hoje na Rádio Cidade Verde que retorna ao mandato para cuidar das emendas parlamentares e também para participar da votação da denúncia contra o presidente Temer. Nesse caso, Fábio Abreu anunciou que vai votar em plenário pela admissibilidade da denúncia.