Cidadeverde.com

Estado não sabe o que é gestão e gasta mal, diz André Baía


André Baía: Estado precisa ter noções de gestão e planejamento para aplicar melhor recursos públicos


O setor empresarial anda alarmado com as condições do setor público no Brasil, cuja crise particular implica em problemas muitos sérios para os demais setores, como o empresariado. Quem assim avalia é o presidente do Sindicato das Empresas de Construção Civil do Piauí (Sinduscon), André Baía.

Para ele, o diagnóstico é claro: “O grande problema do setor público é o problema de gestão”, diz o empresário que hoje cedo concedeu entrevista ao Acorda Piauí, na Rádio Cidade Verde. No entendimento de Baía, o setor estatal no Brasil não faz planejamento nem se preocupa em manter as contas em ordem.

O presidente do Sinduscon faz essas críticas a propósito da tramitação, na Assembleia Legislativa, de projeto do Governo do Estado do Piauí que propôs aumento de impostos nas áreas de combustíveis, comunicação (telefonia) e energia.  Para ele, não tem sentido esse tipo de aumento na medida em que o poder público não se organiza gerencialmente.

Diante do debate em torno da proposta do governo de aumentar impostos, André Baía diz que foi pesquisar para saber quais os estados têm a melhor situação fiscal. “É o Ceará”, diz ele, lembrando que isso se tornou possível quando Tasso Jereissati se tornou governador em 1987 e levou para o setor público uma noção de gestão.

Na outra ponta da lista está o Rio der Janeiro, o estado menos eficiente em termos fiscais – isto é, de equilíbrio das contas. “E não é um problema de receita”, adverte o empresário, lembrando que o Rio arrecadou muito dinheiro com a exploração do petróleo, mas não foi capaz de administrar adequadamente as receitas.

Trazendo essa discussão para a realidade do Piauí, André Baía rejeita a idéia de aumento de imposto por entende que sacrifica as empresas em particular e os consumidores em geral. Lembra que o Estado vem conseguindo crescimento na arrecadação própria, o que torna menos lógico o aumento proposto.

Para se posicionar contra a proposta, o empresariado tem se mobilizado para pressionar os deputados. Entende que nunca houve uma mobilização tão ampla no setor empresarial como neste caso. Mas acha que é preciso que toda a sociedade se envolva. Sem isso, diz ele, a proposta será aprovada como o governo deseja.

Para ouvir a entrevista completa do empresário André Baía, acesse o arquivo abaixo.