Cidadeverde.com

Átila confirma saída do PSB: ‘São uns atrasados’


Deputado Átila Lira, em rota de colisão com a direção nacional do PSB: "São uns atrasados"

 

O deputado Átila Lira está, sim, aprontando as malas para deixar o PSB. As divergências com a direção nacional do partido são profundas, conforme deixou evidente em entrevista, hoje, ao Acorda Piauí, na Rádio Cidade Verde. “São uns atrasados”, diz Átila, que trabalha com pelo menos três alternativas para futura filiação.

Segundo o parlamentar, a direção nacional do PSB tem um esquerdismo antigo. “A revolução Russa já fez 100 anos”, ironiza. E é taxativo: “Não há condição de ficar no PSB”. Ainda assim, revela que está mantendo diálogo com a direção nacional do PSB.

As divergências com o comando nacional do Partido Socialista ficaram mais explícitas na discussão de alguns temas importantes no Congresso, como a reforma trabalhista e a denúncia contra o presidente Michel Temer. A direção do PSB decidiu fechar questão e orientar a votação contra a reforma e também a favor da denúncia oferecida pela PGR contra o presidente da República. Átila votou em desacordo com a direção partidária.

As divergências geradas pela direção do PSB não param aí. O deputado Heráclito Fortes também discrepou da orientação, votando contra a denúncia. O deputado Rodrigo Martins votou pelo prosseguimento da denúncia, mas também mantém profundas divergências com a direção do PSB.

Essas divergências alcançam outras bancadas, como a de São Paulo e mesmo a de Pernambuco – onde estaria o suporte principal ao comando socialista. No caso de Pernambuco, o senador Fernando Bezerra e o deputado Fernando Bezerra Filho já decidiram trocar de siglas, passando para o PMDB.
 

Os possíveis destinos de Átila

Se a saída do PSB é certa, o destino partidário de Átila Lira ainda é uma possibilidade,. Ele trabalha com pelo menos três alternativas: PSDB, DEM e PP. No caso do PSDB, as conversações estão sendo mantidas desde o início do ano, especialmente depois que integrantes do grupo de Firmino Filho – entre eles a primeira-dama Lucy Silveira – se filiaram ao PP de Ciro Nogueira.

Quanto ao DEM, essa possibilidade cresce diante da articulação de um grupo no campo de centro-direita, orbitando em torno do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Essa opção deve implicar na reunião, outra vez, de Átila Lira e Heráclito Fortes no mesmo partido: também em rota de colisão com a direção do PSB, Heráclito deve mudar de sigla, e o destino deve ser mesmo o DEM.

No caso do PP, já há convite de Ciro Nogueira. Mas a mudança para a sigla presidida por Ciro traz um elemento estranho: Átila tem feito um discurso de forte crítica ao governo de Wellington Dias e ao PT. E Ciro é possivelmente o principal aliado de Wellington no Piauí. A mudança de Átila para o PP teria sentido somente se os progressistas fossem para a oposição ao governo estadual.