Cidadeverde.com

Piauí não terá espaço no Orçamento da União, admite deputado


Deputado Mainha (PP), da Comissão do Orçamento: projetos do Piauí terão que ser feitos com emenda de bancada


O Piauí não deve depositar muitas esperanças na discussão do Orçamento da União para 2018, com vistas à inclusão de projetos estratégicos para o estado. Foi o que admitiu o deputado Maia Filho, o Mainha (PP), em entrevista hoje cedo ao Acorda Piauí, na Rádio Cidade Verde. Mainha é o único representante do Piauí na Comissão Mista de Orçamento, que até a segunda quinzena de dezembro aprovará o orçamento para o ano que vem.

Mainha ressaltou as dificuldades da União, com um déficit fiscal que deve se situar em torno de R$ 300 bilhões, e a consequência imediata de comprometer os investimentos. É aí onde aparecem as dificuldades para o Piauí, que tem projetos de infraestrutura fundamentais para o Estado, mas que sequer devem ser levados em conta pelo Governo Federal na hora de definir as prioridades: o foco do Planalto será a manutenção de serviços essenciais e os gastos carimbados, como em saúde e educação.

O Piauí tem projetos de infraestrutura fundamentais. Um deles é o alargamento da BR 135, que corta o sul do Piauí por cerca de 600 km. Mas o deputado Mainha acha praticamente nula a chance do projeto ser contemplado pelo Governo Federal. Daí, a saída será colocar o projeto dentro das emendas de bancada.

Conforme explica o parlamentar do PP, o Piauí tem direito a 15 emendas de bancada, duas delas de caráter impositivo. Uma dessas duas deve contemplar o projeto de alargamento da BR 135, rodovia já conhecida como “estrada da morte” por vitimar desde o início do ano mais de 40 pessoas.

O projeto de recuperação da 135 está orçado em R$ 350 milhões. O valor da emenda de bancada cobriria cerca de R$ 100 milhões que seriam aplicados na obra no próximo ano.

 

Piauí depende de ação política

Além da dependência de emenda parlamentar, o Piauí vai precisar de resultados através da ação política. É o que fica patente na fala do deputado Maia Filho, o Mainha (PP). Segundo avalia, sem a perspectiva de assegurar recursos através do orçamento da União, o Piauí deverá depender ainda mais da ação de lideranças como o senador Ciro Nogueira.

Mainha afirma que Ciro está empenhado em garantir o reforço financeiro necessário através de liberações especiais – através de ação política direta nos ministérios – para custeio da saúde e outras áreas. Também contabiliza a contratação de empréstimo, através de órgãos como a Caixa Econômica, cujo presidente é indicação do PP.

Para ouvir a entrevista completa do deputado Maia Filho ao Acorda Piauí, acesse o arquivo abaixo.