Cidadeverde.com

Fábio Abreu quer ir logo para o PR


Deputado Fábio Abreu: ainda oficialmente no PTB, mas já envolvido com sua futura sigla, o PR

 

O deputado federal Fábio Abreu, ainda está oficialmente vinculado ao PTB. Mas é uma ligação apenas formal. De fato, o espírito e o ânimo do parlamentar que ocupa a Secretaria de Segurança já estão no PR. E o PTB sabe disso.

O entendimento de Fábio Abreu com a nova sigla inclui as articulações com outros partidos, de olho da composição para as eleições de 2018. O PR, liderado no Piauí deputado estadual Fábio Xavier, faz parte, no estado, da articulação para a formação da chamada “chapinha”, que tem a intenção de eleger dois deputados federais e pelo menos três estaduais.

A “chapinha” tem como um dos principais articuladores o deputado Evaldo Gomes, presidente do PTC. Além de PTC e PR, deve incluir ainda siglas como o Podemos de Silas Freire, o PCdoB de Osmar Júnior, o PSH de Cuida Santiago e o PRB do Pastor Gessivaldo. Todos aliados de Wellington Dias (PT), mas que não desejam formar parte da aliança geral – como PT, PP e PMDB – na disputa por cargos proporcionais, convitos que seriam engolidos pelos partidos mais poderosos.

A saída de Fábio Abreu do PTB está vinculada à busca desse caminho mais viável para a renovação do mandato nas eleições de 2018. Fazer parte da “chapainha” amplia as possibilidades de nomes como Fábio e Silas. E com a decisão tomada, o secretário de Segurança gostaria de deixar a sigla desde já.

Publicamente, o presidente regional do PTB, deputado federal Paes Landim, chegou a dizer que não haveria nenhum problema para liberar Fábio Abreu: o partido não criaria embaraços jurídicos – como o pedido de cassação do mandato pela troca de sigla. Mas a orientação de advogados é que Fábio permaneça onde está.

A possibilidade de problemas políticos pode vir de outros lugares. Por exemplo, o próprio Ministério Público Eleitoral, que poderia pedir o cumprimento da lei. O argumento dos advogados é que falta muito pouco tempo (três meses) para a abertura da janela de mudança partidária sem que haja a perda de mandato. O melhor é esperar. E assim Fábio fará.

Independente da espera, o secretário de Segurança está em campo. Ele se articula com lideranças na capital e no interior visando assegurar apoios necessários à sua reeleição em 2018.