Cidadeverde.com

Themístocles evita falar de candidatura a vice e festeja mercado


Deputado Themístocles Filho: fala sobre mercado de Esperantina e BR 222 parece metáforoa sobre sonho de ser Vice-governador

 

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (PMDB), não costuma entrar em divididas. Mas o mês de novembro passado mostrou um Themístocles que saiu para o ringue e postou-se pronto para o combate. O adversário foi o prefeito Firmino Filho (PSDB), que havia escolhido o PMDB e particularmente o deputado como saco de pancada na reação à derrota sofrida na Câmara Municipal.

Themístocles reagiu ao ataque: chamou Firmino de desleal, pediu perdão a Teresina por não ter votado em Dr. Pessoa na eleição municipal do ano passado e ainda desafiou o prefeito a ser candidato ao governo. O gesto de Themístocles tinha várias intenções. Primeiro, colocar Firmino fora do palanque governista. Depois, deixar um pequeno recado ao próprio Karnak – o que foi feito com a lembrança do nome do deputado Dr. Pessoa, sempre citado como uma alternativa da oposição.

Mas o espírito de Natal parece ter mudado o ânimo de Themístocles, de novo recolhido ao velho estilo de não comprar briga com ninguém. O presidente da Assembleia deixou de falar sobre a composição da chapa governista de 2018 – é coisa para 2018, diz ele, repetindo um bordão do próprio governador Wellington Dias (PT). Mas a mudança de fala pode ser lida como uma espécie de matáfora.

No espírito natalino alimentado pelo Papai Noel Wellington, Themístocles preferiu voltar para velhas bandeiras que abraça. A última, realizada, é o mercado de Esperantina. Segundo o deputado, era uma reivindicação de 50 anos que agora se faz realidade. Sonha em concretizar outro sonho em 2018: o asfaltamento da BR 222, no trecho entre Piripiri e o Rio Parnaíba.

As bandeiras antigas que Themístocles abraça anos a fio carregam uma metáfora: elas parecem sonhos alimentados ao longo de uma vida – para um dia, quem sabe, serem concretizados. Caberia a mesma leitura para o lugar de vice-governador, que é desejado pelo deputado há anos.

Themístocles chegou perto de ser escolhido o vice na chapa de Wilson Martins (PSB), na eleição de 2010. Foi vetado precisamente pelo PT de Wellington Dias, o mesmo Wellington que faz da vaga de vice uma moeda fundamental (e complicada) nas negociações com vistas a 2018.

Como o mercado de Esperantina e a BR 222, Themístocles abraça essa outra “bandeira”, ou esse outro projeto: o lugar de vice-governador. No espírito natalino, deixa de falar da chapa eleitoral de 2018. Mas segue falando de projetos antigos que não abandona.

É a metáfora para o maior de todos os projetos que alimenta: a vice.