Cidadeverde.com

Campanha esquece debate sobre o Piauí, diz Freitas


Ex-governador Freitas Neto: crítica à falta de debate sobre um projeto que os candidatos podem oferecer ao Piauí

 

Na perspectiva das eleições, a oposição se remexe em busca de um candidato, sem sucesso. Essa situação preocupa o ex-governador Freitas Neto (PSDB), que se coloca como uma alternativa ao grupo contrário dos atuais ocupantes do Palácio de Karnak. Mas o que mais preocupa Freitas não é a falta de candidato. É a ausência de debate sobre os rumos do Piauí.

Em entrevista ao Acorda Piauí, hoje cedo, na Rádio Cidade Verde, Freitas Neto lembrou que Wellington Dias (PT) está no terceiro mandato e deseja um quarto. E que todo mundo já sabe como ele governa e o que fez. “Temos que ter alternativa”, ressaltou na Rádio Cidade Verde, observando que o debate e o confronto de propostas devem ser o norte de um processo democrático.

Mas admite: o debate está completamente ausente das discussões sobre as eleições de 2018. Para ele, Wellington – que vai para 12 anos de poder –  poderia ter feito muito mais, especialmente por coincidir quase 8 anos com o governo Lula. E conclui: o Piauí perdeu o bonde da História.

Para reforçar essa convicção, citas obras de infraestrutura consideras fundamentais mas não realizadas. E, como exemplo, aponta uma no sul, outra em Teresina e outra no norte do Estado. No sul, destaca a Transcerrados, necessária ao polo de agronegócios mas que o governador não consegue concretizar. No caso do litoral, fala do potencial turístico, comprometido pela falta de uma obra de saneamento. E assinala em Teresina a falta de um centro de convenções, comprometendo a posição da cidade como promotora de eventos.

Nesse sentido, diz que a campanha precisa ser a oportunidade para a discussão sobre o projeto de Piauí que cada candidato pode oferecer. Mas, segundo Freitas Neto, isso não tem ocorrido.

O ex-governador defende que a campanha seja o momento oportuno para redefinição de rumos. Mas acredita que a oposição não se esforça para oferecer uma alternativa. Isso amplia a possibilidade de Wellington se manter no governo.

Quanto à possibilidade dele próprio disputar o governo do Estado, diz que não gostaria de ser candidato. Mas deixa o nome à disposição para trazer o debate que pode levar o Piauí a ter uma alternativa real.

Para ouvir a íntegra da entrevista do ex-governador Freitas Neto, acesse o arquivo abaixo.