Cidadeverde.com

OAB tem candidato demais na situação e na oposição


Direção da OAB Piaui: começam as articulações para a eleição da nova diretoria

 

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Piauí, vai renovar em novembro a atual diretoria. Por entanto, só há uma decisão em torno da disputa: o atual presidente da OAB-PI, Chico Lucas, não será candidato. E isso amplia o leque de opções no lado da situação. Também não é pouco o número de alternativas na oposição.

A decisão de Chico Lucas não disputar a reeleição é algo que está se tornando uma tradição na Ordem: o presidente não se candidata à reeleição. Foi assim com Norberto Campelo, com Sigifroi Moreno e William Guimarães. No caso de Chico Lucas, o acordo vai mais longe: ele não será candidato a nenhum cargo na eleição da OAB, este ano. Nem mesmo a Conselheiro Federal, um posto quase reservado aos ex-presidentes.

Na situação, há pelo menos quatro nomes. O mais destacado é o do vice, Lucas Vila. Mas Vila tem dividido seu tempo entre a advocacia e a academia, precisando dar demonstrações mais inequívocas e de que está no páreo. Se estiver disposto, pode ser o ponto de união dentro do grupo que hoje comanda a Ordem. Sem Vila, há as opções de Leonardo Carvalho, Rafael Orsano e Celso Barros Neto.

Na oposição, Norberto Campelo vem se movimentando com vistas às eleições de novembro. Uns acreditam que apenas tenta liderar um movimento no sentido de escolher um nome capaz de unir a oposição – ele, no entanto, não desejaria ser esse nome. Mas já há quem veja o projeto político partidário de Norberto arquivado – e aí ele poderia voltar à disputa na Advocacia.

A lista da oposição tem ainda o mesmo Sigifroi Moreno, algo fragilizado, e Fábio Veloso e Georgia Nunes. Georgia é vista como amparada por uma importante madrinha: a vice-governador Margarete Coelho. O problema é que Margarete vai ter que se empenhar mesmo é por sua própria eleição.

Já Fábio Veloso se articula em uma via própria, mas sem descuidar do diálogo com os demais grupos da oposição. Ainda não decidiu se será mesmo candidato. Mas é bastante estimulado a manter o nome em evidência. Pode ser o ponto de união dos oposicionistas.