Cidadeverde.com

Risco do MDB proibir aliança com PT preocupa Karnak


Senador Romero Jucá, presidente do MDB: intenção de proibir aliança com o PT esbarra nos interesses regionais


O risco de MDB fechar questão a respeito das alianças regionais preocupa o palácio de Karnak, que conta com o MDB piauiense como apoio importante para a campanha de reeleição do governador Wellington Dias (PT). O temor tem nome e sobrenome: o senador Romero Jucá, presidente nacional da sigla.

Na avaliação dos governistas piauienses, Jucá está fazendo política “com o fígado” e gostaria de ver o MDB distante do PT não apenas na disputa pela Presidência da República, mas também nas refregas estaduais. Daí, poderia patrocinar uma medida proibindo a aliança entre as duas siglas e verticalizando tal decisão – isto é, a proibição teria que ser observada nos estados.

O núcleo duro da campanha de Wellington Dias conta com o apoio do MDB, a partir de lideranças como Marcelo Castro, Themístocles Filho e Severo Eulálio. E quer o apoio formal, porque isso tem impacto no tempo de TV, onde o MDB assegura a maior fatia entre os partidos.

A possibilidade de uma decisão verticalizada criaria embaraços sérios.
 

Interesse regional deve prevalecer

O blog entrou em contato com dois piauienses com bom trânsito junto à direção nacional do MDB. O questionamento sobre a possibilidade de proibição de aliança com o PT tem uma resposta clara e direta: chances quase nulas. E só não são dadas como nulas porque em política evita-se esse tipo de afirmação tão categórica.

A proibição não sai por dois motivos em especial. Primeiro, que o MDB sempre deixa em aberto a possibilidade de estar no governo que vai começar, seja ele qual for. E se for um governo petista, sem problemas. Segundo, as alianças já em construção nos estados juntam os dois partidos em diversos lugares.

Em muitos estados, as duas siglas andam bem juntas. Só no Nordeste a aliança pode acontecer em seis estados. No Ceará, no Piauí e em Sergipe, o MDB deve dar apoio a candidatos do PT. Na Paraíba, as duas siglas podem estar juntas no palanque do candidato do PSB. Em Alagoas, é o PT que tende a apoiar o MDB de Renan Calheiros. E mesmo em Pernambuco, onde essa aliança seria inimaginável há um ano, hoje está para se consumar, o MDB de Jarbas Vasconcelos apoiando o PT de Humberto Costa.

Tantos interesses regionais Brasil afora devem vetar qualquer intenção de Romero Jucá de proibir não apenas a aliança com o PT, mas qualquer outra.