Cidadeverde.com

Themístocles cresce como alternativa para vice


Themístocles e Wellington: cresce possibilidade de formarem cabeça de chapa 

 

Depois de um cenário de dúvidas, vai se consolidando no bloco da situação a opção pelo deputado Themístocles Filho (MDB) como o nome para o lugar de vice na chapa encabeçada por Wellington Dias (PT). Esse encaminhamento vai reduzindo a força de uma discussão que envolve praticamente todos os grandes partidos da base governista, mas de modo especial o PP do senador Ciro Nogueira.

Ciro sempre reivindicou dois lugares na chapa majoritária. Mas teve como contraponto o próprio PT, que também não deixou de pedir um segundo posto, no caso a segunda senatoria, para que Regina Sousa pudesse disputar a reeleição. As duas teses perdem força, apesar de Regina manter o pique de candidata, com seguidas andanças pelas cidades do interior. Foi o próprio Wellington quem anunciou aos aliados: nenhum partido deve ter duas vagas na chapa majoritária,

O próprio surgimento da candidatura do deputado Luciano Nunes (PSDB) no lado oposicionista parece reduzir um pouco o poder de reivindicação de Ciro, já que um dos trunfos do presidente do PP é a possibilidade da candidatura de Firmino Filho (PSDB). Na prática funcionava como uma espécie de ameaça, que poderia levar Ciro à oposição com um candidato forte.

Obviamente, o aparecimento de Luciano no cenário não descarta a opção Firmino – continua sendo um nome competitivo e referência na oposição. Também não significa que Luciano esteja descartado como uma alternativa para o próprio Ciro. De qualquer forma, o novo nome oposicionista não estava no script e ajudou a mudar o cenário nos dois lados da disputa.

Estava no script, sim, a alternativa Themístocles. O deputado do MDB alimenta o projeto de ser vice desde que assumiu o anterior mandato de presidente da Assembleia, em fevereiro de 2015. Chegou lá enfrentando o próprio governo de Wellington Dias. Mas, fazendo inteligente uso da estratégica posição, tornou-se peça-chave na governabilidade: sem ele, Wellington teria muitas dificuldades na tramitação de matérias no Legislativo e no funcionamento do governo.

Themístocles não está garantido na chapa, mas nas últimas semanas deu um enorme passo para concretizar esse projeto.

 

Bombardeio começa a diminuir

Desde que deixou claro seu projeto de integrar a chapa majoritária encabeçada por Wellington, o deputado Themístocles Filho enfrentou um bombardeio nem sempre sutil de integrantes do governo. Apanhou especialmente dentro do PT. Mas resistiu.

Themístocles começou a mudar quando levou oficialmente o MDB para dentro do governo, em março do ano passado. Reforçou esse jogo em novembro, quando partiu para o ataque contra Firmino Filho, na sequencia da eleição na Câmara Municipal. Ali, quis deixar claro quem era governo e quem era oposição, no cenário estadual. O confronto criou uma saia justa para o prefeito, que tem como vice um emedebista ligado precisamente ao presidente da Assembleia.

O bombardeio de aliados governistas diminuiu. Não garante o lugar. Mas já cria um clima mais favorável.