Cidadeverde.com

João Henrique vai fazer 13 Caravanas até maio

João Henrique: planejamento aponta para atividades no interior três dias por semana, visando conversar com lideranças de todo o Estado

 

O ex-ministro João Henrique Sousa não baixa a guarda, no propósito de viabilizar sua candidatura ao governo do Estado pelo MDB. E uma das armas fundamentais que usa é a Caravana Piauí em Movimento, em andamento desde o ano passado. Mas o ritmo que pretende empreender este ano é quase alucinante: até maio, pretende realizar 13 encontros regionais, permitindo dialogar com lideranças de todos os 224 municípios.

A Caravana se desenvolveu ao longo do ano passado e especialmente após setembro de 2017. No balanço que faz das andanças pelo interior, João Henrique contabiliza números que impressionam. Está tudo em cartelas (como a da foto acima). Segundo relatório feito por sua assessoria, fez 15 reuniões setoriais e mais 15 palestras, com foco mais específico nos delegados do partido.

Mas o que impressiona mesmo é a meta para 2018, que começa a ser perseguida na próxima quarta-feira, quando o ex-ministro desembarca em Água Branca. Até maio, João Henrique pretende realizar 13 encontros. A dinâmica é simples: em um primeiro dia, faz o encontro na cidade polo e nos dois seguintes visita lideranças nas cidades do entorno. Por isso o encontro de Água Branca é identificado em sua agenda como ocupando os dias 24, 25 e 26. Nessa primeira etapa do ano, pretende passar por 21 cidades.

A dinâmica se repete nos demais encontros. O segundo será em Barras e Esperantina, o terceiro em Campo Maior e assim por diante. Quer até o início de maio completar o estado, com passagem pelos 224 municípios. E espera, acima de tudo, viabilizar a candidatura por um MDB que resiste em ser oposição.
 

Ex-ministro está convicto que vence convenção

No Congresso, os dois representante do MDB (deputado Marcelo Castro e senador Elmano Ferrer) dão demonstrações de que não acompanham João Henrique. Na Assembleia Legislativa, apenas Juliana Moraes Souza pretende seguir na oposição. Mas o ex-ministro está certo que vencerá a convenção de julho.

Segundo diz, dois terços dos delegados do partido – portanto, votos na convenção – têm partido dos encontros que realiza. E, avalia, é um indicativo claro do descontentamento da base do partido com a realidade atual. “Eles [os convencionais] estão sendo massacrados por esse governo”, diz.

João Henrique não dá bolas para as projeções dos governistas, que acreditam ter 80% dos votos da convenção. “Pode ser que esse 80 a 20 seja ao contrário”, diz ele, cheio de confiança.