Cidadeverde.com

Cristiane Brasil mostra a política como ela é


Deputada Cristiane Brasil: indicação da filha de Roberto Jeferson para o Ministério do Trabalho é recheado de lambanças que aprofundam desgaste político

 

Levantamento junto à bancada do PTB na Câmara dos Deputados mostra que a grande maioria dos integrantes do partido quer que o governo insista na nomeação de Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho. Dos 15 colegas de Cristiane na Casa, 10 defendem a insistência na nomeação. Dos outros cinco, dois não quiseram comentar o tema, dois não foram encontrados e apenas um acha que deve-se buscar uma nova alternativa.

A opinião da bancada, mapeada neste final de semana, é bem reveladora deste episódio que, por sua vez, é tradutor da própria política brasileira. Este caso vai mostrando que a opinião pública importa pouco para o mundo político, que sequer admite o erro que foi a indicação de Cristiane para o ministério com a única credencial de ser filha de Roberto Jeferson, o presidente-proprietário do PTB.

Desde que Cristiane Brasil foi anunciada como a escolhida do PTB para o Ministério do Trabalho, o caso só tem gerado desgaste. E um desgaste que alcança o governo, o presidente Michel temer, o PTB, o Congresso e a política em geral. Até porque não falta lambanças:

Lambança 1, Pedro Fernandes: a indicação (pelo PTB) e desindicação (por veto pessoal do ex-presidente José Sarney) do deputado Pedro Fernandes para o cargo de ministro.
Lambança 2, Cristiane Brasil: Pedro Fernandes descartado, o PTB indica  Cristiane Brasil com a credencial única de ser filha de Roberto Jeferson.
Lambança 3, condenação: a escolha começa a fazer água ao descobrir-se que a nova ministra era condenada pelas Justiça do Trabalho – o que levou a Justiça a suspender a posse.
Lambança 4, recursos na Justiça: a deputada recorre para reverter a decisão da Justiça e garantir a posse. Na verdade, são várias lambanças em uma só, já que a intenção foi derrotada 4 vezes.
Lambança 5, o vídeo no barco: de férias e posando em um barco recheado de amigos, a deputada grava vídeo. Era para se defender, mas pegou mal. Até o pai dela achou que não ficou bem.
Lambança 6, associação com o tráfico: descobre-se mais um “feito” de Cristiane, que faz parte de investigação por associação com o tráfico de drogas na campanha de 2010.
Lambança 7, voto para garantir emprego: e agora surge o áudio em que a deputada pede, na campanha de 2014, que servidores votem nela como garantia para a manutenção de seus empregos.

Apesar de tudo isso, Temer mantém a indicação e a bancada acha que deve insistir no nome da filha de Roberto Jeferson. É como se fosse uma afirmação de poder: eu quero, eu posso, eu faço. É um pouco a lógica da política segundo a qual não basta ter poder, é preciso demonstrar o quão poderoso é...

É precisamente a explicitação dessa lógica que tem gerado tantos desvios na conduta pública. E também o amplo desgaste da política e dos políticos.