Cidadeverde.com

Sem arrumar a casa, Alckmin não consegue deslanchar


Geraldo Alckmin: problmas dentro do PSDB não ajudam o tucano a decolar na corrida pela Presidência  (FOTO: Governo de São Paulo)

 

Não chega a surpreender que o campo de centro e centro-direita demore a decidir-se com mais clareza por uma das alternativas à presidência da República. Mas surpreende o quando demora para o candidato Geraldo Alckmin (PSDB) engatar uma marcha de velocidade na corrida pelo Palácio do Planalto.

Vale lembrar, Alckmin não pode ser considerado um João-Ninguém, sem ressonância nacional. Não. Alckmin já foi candidato à Presidência em 2006 e está no quarto mandato de governador do principal reduto eleitoral do país. Como não consegue deslanchar, a explicação não deve recair sobre o desconhecimento do eleitor.

De fato, Alkmin enfrenta três problemas. O primeiro, diz respeito a todos os pré-candidatos, que apresentam ampla rejeição, maior que a aprovação de cada um. É a rejeição popular à política e aos políticos. Mas outros políticos – mesmo aqueles menos conhecidos, como Jair Bolsonaro (PSL) – conseguem melhor desempenho.

Um segundo problema é o desgaste do próprio PSDB, fruto de uma série de episódios acontecidos nos últimos anos, em especial os escândalos associados a diversas estrelas tucanas, sobretudo Aécio Neves. O partido paga caro pela ação (no impeachment) e pela inação (não fez nada em relação ao senador mineiro, após os escândalos da JBS).

Para completar, Alckmin paga caro a bagunça interna. O governador de São Paulo foi questionado por uma candidatura alternativa – a de Artur Virgílio. Artur perdeu o embate interno, mas deixou estragos: já anunciou que vai votar em Álvaro Dias (Podemos). Outras estrelas tucanas, como Fernando Henrique Cardoso, mostram pouca confiança no projeto de Alckmin.

Para piorar, o PSDB está completamente desarrumado em São Paulo, a principal base do tucanato e especialmente de Alckmin. Lá, o partido não sabe nem quem será o candidato a governador, o que deve levar ás prévias que muitas vezes deixam fraturas expostas.

Sem arrumar a própria casa, Alckmin não gera confiança. E, assim, não consegue agregar apoios que bem poderiam dar um gás extra à postulação do tucano.