Cidadeverde.com

Wilson Martins contesta comentário sobre divisão no PSB


Wilsopn Martins, presidente do PSB no Piauí, contesta a coluna: diz que partido não está dividido e que vai se cortalecer em 2018

 

A coluna recebeu do ex-governador Wilson Martins, presidente estadual do PSB, um comentário em que discorta do texto publicado mais cedo, com o título PSB fica com Rodrigo e Átila, mas permanece sem rumo (ver aqui). É o seguinte o comentário de Wilson:

“Vi seu artigo de hoje e, com todo respeito, gostaria de discordar de você em alguns pontos:

Como a política é muito dinâmica, certeza e incerteza guardam uma proximidade muito grande. O que se articula em pré-campanhas, nem sempre temos certeza que acontecerá efetivamente no futuro, fechamento de chapas, coligações. Isso vale para todos os partidos, não só para os socialistas.  

O PSB não é um partido sem rumo. Tem conflitos internos inerentes aos grandes partidos e aos que se utilizam da democracia como sólida ferramenta. Isso faz parte.

A morte do Eduardo nos deixou órfão de uma grande liderança de porte nacional. A partir de 6 de Abril/18 o PSB passa a ser o Partido que mais governa os brasileiros. O nosso companheiro e amigo Márcio França assume o Governo de SP. É zero a possibilidade dele mudar de partido. Está maduro para se reeleger Governador. E assim acontecendo aí sim teremos um nome substancialmente forte até mesmo para concorrer, quem sabe, à Presidência da República em 2022. Isso é certeza? Coisa nenhuma. Mas é uma boa expectativa de poder e de ressurgimento de um nome nacional que possa dar um sólido rumo ao nosso partido. Esta é a minha esperança!

Agora mesmo estou em SP. Estive com o Márcio ontem. Sem qualquer problema com o Alkmin, que poderá ter dois palanques. O Dória quer sair para ser candidato pelo PSDB, é um direito dele e do Partido dele. Vai perder. Depois do Instituto da reeleição, nunca um Governador de SP deixou de se reeleger. Não será diferente com o Governador Márcio França. Anote aí para me confirmar depois!

Não poderíamos deixar de ter problemas. Isso todos os tem. Daí a dizer que o PSB está dividido, há uma certa distância. Acabamos de realizar agora, nos dias 1, 2 e 3 de março, o XIV Congresso Nacional do PSB. Um grande Encontro, o Congresso da Unidade. Apesar de algumas notas plantadas na imprensa nacional, como na revista Piauí/UOL, o único encaminhamento em definitivo é que não teremos candidato próprio à Presidência (nem Beto, muito menos Joaquim Barbosa ou Aldo Rebelo). Isso ficou absolutamente fora de cogitação.  Ficou também definido, que nas eleições de 18, as prioridades do Partido serão eleger e reeleger governadores, Deputados Federais e Senadores da República e que os estados estarão livres para, de acordo com as peculiaridades locais, articularem suas coligações.”