Cidadeverde.com

Oposição aposta em duas chapas para outubro


João Vicente Claudino: pronto para ingressar no PTB e já festejado por oposicionistas como candidato ao governo  (FOTO: Senado Federal)

 

As principais lideranças da oposição apostam em duas chapas na disputa pelo governo do Estado e o Senado, em outubro. E essa possibilidade fica mais perto com o ingresso do deputado Dr. Pessoa no Solidariedade (SD) e a filiação (marcada para dia 6 de abril) do ex-senador João Vicente Claudino ao PTB.

Uma das chapas deve ter como candidato ao governo o deputado Luciano Nunes (PSDB), acompanhado de dois candidatos ao Senado: Wilson Martins (PSB) e Robert Rios (que a caminho do DEM). Outra chapa deve ser capitaneada por João Vicente, tendo como companheiro Dr Pessoa, candidato ao Senado. Há ainda os nomes de Valter Alencar (PSC) e Fábii Sérvio (PSL), que também se colocam como alternativas ao Palácio de Karnak.

A estratégia da oposição é multiplicar candidaturas majoritárias com a intenção de fragmentar a votação e, assim, aumentar a chance de uma disputa em segundo turno. Esse tipo de estratégia foi utilizado em 1998 por forças que orbitavam não na oposição, mas no governo: além do governador Mão Santa (PMDB), houve o lançamento da candidatura Chico Gerardo (PSDB), para enfrentamento do então líder das pesquisas, Hugo Napoleão (PFL).

O resultado é conhecido: Hugo venceu a disputa no primeiro turno, mas perdeu no segundo, quando Chico e Mão Santa passaram a dividir o mesmo palanque. Os oposicionistas esperam repetir a estratégia de 1998 exatos 20 anos depois.

Dentro desta estratégia está a atração de nomes populares para compor a chapa de candidatos a cargos proporcionas (deputado federal e deputado estadual). A intenção é ter um número maior de “puxadores de votos” para a chapa majoritária.