Cidadeverde.com

Firmino a um passo de ser governo?


Firmino Filho (à esquerda): parte da reunião dos progressistas comandada por Ciro Nogueira, ontem

 

No início de agosto passado, em entrevista ao Jornal do Piauí (TV Cidade Verde), o prefeito Firmino Filho foi indagado se era governo ou oposição. O prefeito não gostou da pergunta e retrucou, com evidente descontentamento, afimando que era sim oposição. E deu o argumento que considerava definitivo: “Sou do PSDB”.

O argumento tem real possibilidade de desaparecer. Firmino vem demonstrando cada vez maior afinidade com o PP e mais distanciamento em relação ao PSDB. Ontem, esteve em reunião de progressistas. Poderia dizer que acompanhava a mulher, Lucy, filiada ao partido. De qualquer forma, é estranho para o principal líder tucano no estado.

Ciro Nogueira, o mandachuva do PP, renovou o convite para que Firmino mude de sigla e siga os passos da própria esposa. Segundo reportagem de Lídia Brito, Firmino agora estaria mais propenso a ingressar de vez no partido de Ciro. E dá a justificativa: a chegada do Zé Filho ao ninho tucano, sem que ele soubesse.

Vale perguntar se Lucy Silveira foi para o PP sem o conhecimento de Firmino. Ou que seu sobrinho, o deputado Firmino Paulo, também sem seu conhecimento, chegou a negociar sair do PSDB para um partido governista.

De fato, Firmino há muito se movimenta como se não tivesse grandes compromissos com o PSDB. Estimulou Silvio Mendes a desembarcar no PP, além da própria mulher. Comprou uma briga pouco racional com a Câmara, em uma estratégia que parece mais atender ao PP que ao PSDB. E, por fim, faz declarações que tiram o vigor da candidatura do tucano Luciano Nunes.

Se queria uma desculpa para deixar a sigla, pode usar agora a chegada de Zé Filho. Não se sabe exatamente o que haveria de tão grave na chegada de Zé Filho ao partido do qual já fez parte. Mas, seja como for, serve como desculpa.
 

Firmino é quadro de Ciro?

Um tucano cada vez mais distante da prefeitura é taxativo: “O Firmino é hoje um quadro do Ciro Nogueira”. A frase pode até ser exagerada, mas traduz o lugar que hoje Firmino Filho ocupa como um líder que cada vez lidera menos. Perde seguidores. Vê amigos cada vez mais reticentes. E só encontra em torno de si um punhado de lideranças – entre elas alguns vereadores – que estão mais atentos à caneta usada pelo prefeito que ao próprio prefeito.

Se decidir ir hoje para o PP, deve levar um punhado de gente, em especial essas lideranças que orbitam em torno do Poder, independente de quem o exerça. De lideranças mais substantivas, as que poderia levar para o PP já foram.